Outros sites Cofina
Caldeirão da Bolsa

Entrevista a Cem

Espaço dedicado a todo o tipo de troca de impressões sobre os mercados financeiros de uma forma genérica e a todo o tipo de informação útil que possa condicionar o desempenho dos mesmos

Moderadores: Pata-Hari, Ulisses Pereira, MarcoAntonio

por pedrom » 15/4/2009 10:26

Bala Escreveu:Excelente entrevista e de enorme interesse. :clap:

Pessoalmente ao CEM tenho a agradecer o despertar, ou melhor o empurrão que me deu a caminho do MetaStock. Se não fosse aquele tópico "passo a passo", a explicar como se faz um sistema de trading, ainda hoje andaria a olhar para aquilo feito burro para um palácio.

Enfim, há gente que consegue explicar o difícil com uma facilidade de cuarago. :wink:


Abraço e bons trades...
O Bala


Onde posso encontar esse tópico "passo a passo" já que estou a ponderar adquirir o metastock?
De que vale a pena correr quando estamos na estrada errada?
 
Mensagens: 2317
Registado: 29/7/2004 19:55
Localização: Ourém

por nunofaustino » 15/4/2009 12:07

Eu considero que o Cem é um dos melhores participantes dos fóruns portugueses, e o principal impulsionador da discussão de um tema que quase todos evitam falar e que é mais importante do que sistemas de entrada e saída, escolha de tendência e afins, o Money Management.

Há alguns tópicos antigos (no Cdb e noutros fóruns entretanto desaparecidos ou quase) fantásticos com o Cem, o Cram2, o Fernando dos Aidos, o Lmm, o K, o Jas e outros que mostram que o MM é essencial para a sobrevivência e sucesso nos mercados a longo prazo.

Depois, e para além do que escreve aqui no fórum, é uma pessoa 5 estrelas que responde a praticamente qquer pergunta que lhe seja colocada e explica em termos relativamente simples, alguns dos conceitos mais complicados de interiorizar.

Um abr
Nuno
Pluricanal... não obrigado. Serviço péssimo e enganador!!!
 
Mensagens: 5157
Registado: 5/11/2002 5:10
Localização: Portugal

por Quico » 15/4/2009 15:05

pedrom Escreveu:
Onde posso encontar esse tópico "passo a passo" já que estou a ponderar adquirir o metastock?


Não é para tirar o mérito ao Metastock, mas há uma ferramenta praticamente tão boa - chega e sobra para não profissionais -, é gratuita, está online, e não é necessário andar a descarregar cotações. Para além do mais funciona em todos os sistemas operativos - está baseada em Java. (O próprio Marco António até já a adoptou...).

Trata-se do http://www.prorealtime.com/

Dá inclusivamente para testar sistemas de trading, e tudo...
A forma de programar é um bocado diferente da do Metastock, mas com jeito vai!

Abraço.
"People want to be told what to do so badly that they'll listen to anyone." - Don Draper, Mad Men
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 4688
Registado: 12/5/2004 19:52

por tiagopt2 » 15/4/2009 15:24

10 estrelas, mestre Cem!! :clap:
Surfar a Tendência - Análises técnicas, oportunidades, sugestões de investimento e artigos didácticos
 
Mensagens: 2032
Registado: 24/11/2007 23:02
Localização: Pinhal Novo

Re: Re

por cannot » 15/4/2009 16:35

Cem pt Escreveu:Obrigado mais uma vez.

Em relação à pergunta, acabei por reparar que há outra questão idêntica colocada mais atrás, o sistema de trading a que me estava a referir dá apenas um sinal de compra ou venda que depois eu próprio introduzo na plataforma de trading na véspera da sessão onde pretendo transacionar.

Normalmente gosto de calcular ao lado a quantidade a colocar em risco a atribuir a cada negócio específico, procurando ter sempre um risco controlado de exposição.

Existe obviamente a possibilidade de programar sites e plataformas de trading permitindo fazer intraday trading com programas automáticos, ao segundo exacto, quando as condições são disparadas em tempo real, geralmente chamados "trading programmes", enviando directamente para esses locais as fórmulas com a respectiva linguagem de programação.

Beijinhos e abraços a todos.
Cem


Eu sou muito novo por aqui portanto não conheço o cem mas em relação à entrevista está muito interessante.

Eu estou a começar nesta coisa das bolsas mas tenho bastante interesse em sistemas automáticos. Isto está relacionada com a minha área de especialização, claro está que também sou engenheiro e na área do controlo e robótica.

Neste momento desenvolvo sistemas de aprendizagem automática, ligados à visão robótica (por exemplo para os robots conseguirem interagir com pessoas devem antes aprender a identificar os nossos movimentos e a prever as possíveis situações futuras), mas na realidade estes sistemas podem ser usados com quaisquer tipo de dados que tenham uma sequência temporal.

Neste momento não tenho qualquer conhecimento do tipo de técnicas que se usam para detectar esses sinais que usas mas é um tema que gostaria de aprofundar para perceber se os métodos matemáticos que uso já são comuns neste meio. A primeira pergunta que faria ao cem era que literatura aconselha para me iniciar nestas andanças, sabendo que tenho um bom background em termos técnicos e científicos na área da automação, "machine learning", etc...

Se tiver disponibilidade certamente teria muito mais perguntas para fazer mas este tópico não será certamente o sítio correcto para iniciar este tipo de discussão.

grande abraço e obrigado desde já.
"Every solution breeds new problems." Murphy's Law
 
Mensagens: 1279
Registado: 15/1/2009 15:28
Localização: Earth

por MarcoAntonio » 15/4/2009 16:52

Quico Escreveu:
pedrom Escreveu:
Onde posso encontar esse tópico "passo a passo" já que estou a ponderar adquirir o metastock?


Não é para tirar o mérito ao Metastock, mas há uma ferramenta praticamente tão boa - chega e sobra para não profissionais -, é gratuita, está online, e não é necessário andar a descarregar cotações. Para além do mais funciona em todos os sistemas operativos - está baseada em Java. (O próprio Marco António até já a adoptou...).

Trata-se do http://www.prorealtime.com/

Dá inclusivamente para testar sistemas de trading, e tudo...
A forma de programar é um bocado diferente da do Metastock, mas com jeito vai!

Abraço.


Deixa-me só acrescentar ainda que tem a vantagem de podermos ver os nossos gráficos em qualquer computador, em qualquer local. Como está online e não no PC e nem sequer é preciso instalar nada, em qualquer momento e a partir de qualquer computador (que tenha acesso à net e suporte java) podemos ver os nossos gráficos.

E claro, destaque-se as vantagens práticas de não ter de andar com actualizações.

Na minha opinião, a menos que se queiram utilizar sistemas ou assim, chega perfeitamente para qualquer um.
Bons Negócios,
Marco Antonio
Caldeirão de Bolsa

FLOP - Fundamental Laws Of Profit


1. Mais vale perder um ganho que ganhar uma perda, a menos que se cumpra a Segunda Lei.
2. A expectativa de ganho deve superar a expectativa de perda, onde a expectativa mede a
....amplitude média do ganho/perda contra a respectiva probabilidade.
3. A Primeira Lei não é mesmo necessária mas com Três Leis isto fica definitivamente mais giro.
Avatar do Utilizador
Administrador Fórum
 
Mensagens: 34381
Registado: 4/11/2002 22:16
Localização: Vilar do Paraíso

Re

por Cem pt » 15/4/2009 17:25

Agradecimentos a todos, para não fugir à regra geral!

Quanto à pergunta colocada pelo amigo "Canhoto" devo acrescentar que existe sobre trading uma vasta literatura na net sobre o tema, podendo ser comprada online através de várias livrarias especializadas ou não. Ex: amazon.com , traderslibrary.com (através deste site comprei mais de 30 livros, há grandes descontos consoante a quantidade).

Tudo depende do gosto, da forma como se aborda a negociação nos mercados e dos indicadores apresentados por cada autor, este campo permite muitas "invenções" de métodos e novos indicadores.

Em termos de princípios mais gerais houve um livro que para mim foi básico, versando entrevistas a traders muito conhecidos e a sua forma bastante comum de actuar no mercado: o autor era (já faleceu) o Bruce Babcock e o título denominava-se "The Four Cardinal Principles of Trading".

Outro livro que me marcou bastante foi do famoso e lendário trader Larry Williams (que mantém o record do mundo batido na Robbins Cup dos traders profissionais ao transformar os 10.000 USD iniciais em 1.100.000 USD ao fim de 1 ano com dinheiro real) numa interessante publicação chamada "Long-term secrets to short-term trading" onde o autor aborda vários métodos básicos de negociação e dedica um espectacular capítulo à história que rodeou a aplicação da fórmula de money management que o fez ganhar esse célebre campeonato do mundo.

Há também as revistas periódicas, pessoalmente assino a "Stocks and Commodities", tem muitos anúncios chatos mas costuma de vez em quando trazer alguns bons artigos de novas ideias acompanhadas das fórmulas de programação em diversas plataformas de trading. Para começar talvez esta revista não seja muito aconselhável.

Veja contudo na função de "Pesquisa" aqui do fórum muitas outras sugestões e ideias de outras publicações interessantes lançadas por outros colegas do fórum, dou-lhe como exemplo um livro do Alexander Elder chamado "Trading for a living", um best-seller mundial sobre o tema.

Espero ter ajudado.

Bons negócios a todos.

Cem
O autor não assume responsabilidades por acções tomadas por quem quer que seja nem providencia conselhos de investimento. O autor não faz promessas nem oferece garantias nem sugestões, limita-se a transmitir a sua opinião pessoal. Cada um assume os seus riscos, incluindo os que possam resultar em perdas.


Citações que me assentam bem:


Sucesso é a habilidade de ir de falhanço em falhanço sem perda de entusiasmo – Winston Churchill

Há milhões de maneiras de ganhar dinheiro nos mercados. O problema é que é muito difícil encontrá-las - Jack Schwager

No soy monedita de oro pa caerle bien a todos - Hugo Chávez


O day trader trabalha para se ajustar ao mercado. O mercado trabalha para o trend trader! - Jay Brown / Commodity Research Bureau
 
Mensagens: 2867
Registado: 4/3/2008 17:21
Localização: 16

Re

por Cem pt » 15/4/2009 17:48

Já agora deixem-me colocar aqui uma pequena "provocação" dum pequeno excerto do livro do Larry Williams que atrás citei.

É um tema que provavelmente a maioria dos traders experientes não concordará mas ao qual eu aderi em absoluto e que os resultados dos testes que fiz ao longo de muitos anos comprovam ser mais eficazes, através do princípio genérico de que:

"Utilizar sistemas de trading sem stops de proteção gera maiores rentabilidades a longo prazo que sistemas com stop-losses"

Pois como ía dizendo existe uma passagem do livro em causa na página 229 onde o Larry Williams diz que:

"...effective commodity systems do better without a protective stop loss than with one".

É lógico que até pode acontecer que quer eu quer o autor não tenhamos nenhuma razão sobre esta estratégia de risk management.

Evidentemente, acrescento eu, quem utilizar sistemas de trading sem stops terá sempre de baixar francamente o nível de risco através da redução da alavancagem imprimida à quantidade comprada.

Desculpem esta referência à passagem do livro em causa, provavelmente estará aqui um pouco descontextualizada nesta thread mas não resisti...

Ficou pelo menos lançada uma ideia pouco "popular" entre a nossa comunidade de traders do fórum!



Cem
O autor não assume responsabilidades por acções tomadas por quem quer que seja nem providencia conselhos de investimento. O autor não faz promessas nem oferece garantias nem sugestões, limita-se a transmitir a sua opinião pessoal. Cada um assume os seus riscos, incluindo os que possam resultar em perdas.


Citações que me assentam bem:


Sucesso é a habilidade de ir de falhanço em falhanço sem perda de entusiasmo – Winston Churchill

Há milhões de maneiras de ganhar dinheiro nos mercados. O problema é que é muito difícil encontrá-las - Jack Schwager

No soy monedita de oro pa caerle bien a todos - Hugo Chávez


O day trader trabalha para se ajustar ao mercado. O mercado trabalha para o trend trader! - Jay Brown / Commodity Research Bureau
 
Mensagens: 2867
Registado: 4/3/2008 17:21
Localização: 16

por SirPatrickBateman » 15/4/2009 17:57

nunofaustino Escreveu:Eu considero que o Cem é um dos melhores participantes dos fóruns portugueses, e o principal impulsionador da discussão de um tema que quase todos evitam falar e que é mais importante do que sistemas de entrada e saída, escolha de tendência e afins, o Money Management.

Há alguns tópicos antigos (no Cdb e noutros fóruns entretanto desaparecidos ou quase) fantásticos com o Cem, o Cram2, o Fernando dos Aidos, o Lmm, o K, o Jas e outros que mostram que o MM é essencial para a sobrevivência e sucesso nos mercados a longo prazo.

Depois, e para além do que escreve aqui no fórum, é uma pessoa 5 estrelas que responde a praticamente qquer pergunta que lhe seja colocada e explica em termos relativamente simples, alguns dos conceitos mais complicados de interiorizar.

Um abr
Nuno


Eya Eya.... Nuno.... posso assinar nas tuas palavras?

Muito obrigado CEM.... excelente contributo ao longo do tempo, e excelente entrevista....

"Aprende-se sempre qualquer coisa, quando o CEM escreve... " --- ditado popular Chinês.
 
Mensagens: 869
Registado: 6/11/2002 16:28
Localização: Avr

Re: Re

por Jesse James » 15/4/2009 18:00

Cem pt Escreveu:
Pois como ía dizendo existe uma passagem do livro em causa na página 229 onde o Larry Williams diz que:

"...effective commodity systems do better without a protective stop loss than with one".


Cem


Interessante :shock: . Não tinha essa ideia, mas também nunca fiz ou tive acesso a testes que possam confirmar o contrário. Isso funciona apenas nas commodities, ou nos activos em geral? Estou a ver que tenho de repensar a minha forma de estar no trading :wink: Vou ver se consigo ler o livro!

bn

JJ
“O dinheiro é a religião do homem de bom senso” – Eurípedes (-480 - 406)
Take the money and run!
 
Mensagens: 771
Registado: 3/6/2008 15:12
Localização: Almada

por Bala » 15/4/2009 18:53

pedrom Escreveu:
Bala Escreveu:Excelente entrevista e de enorme interesse. :clap:

Pessoalmente ao CEM tenho a agradecer o despertar, ou melhor o empurrão que me deu a caminho do MetaStock. Se não fosse aquele tópico "passo a passo", a explicar como se faz um sistema de trading, ainda hoje andaria a olhar para aquilo feito burro para um palácio.

Enfim, há gente que consegue explicar o difícil com uma facilidade de cuarago. :wink:


Abraço e bons trades...
O Bala


Onde posso encontar esse tópico "passo a passo" já que estou a ponderar adquirir o metastock?

Boas!

Foi um tópico que se originou depois de uma almoçarada bem regada no Tromba Rija, ao qual eu infelizmente não pude ir :(

http://caldeiraodebolsa.jornaldenegocio ... romba+rija


Bons estudos :wink:
O Bala
StockMarket it's like a box of chocolates...You just never know what you gonna get.
http://alxander-gl.mybrute.com
Clã do Caldeirão: http://mybrute.com/team/27048
 
Mensagens: 992
Registado: 27/2/2007 13:49
Localização: Maia

por carrancho » 15/4/2009 23:22

Quanto mais Cem leio mais vontade tenho de ler. Pena tenho de não ter tido oportunidade de conhecer no almoço.

Parabéns pela entrevista.

Abraço,

Carrancho
Abraço,
Carrancho
 
Mensagens: 4363
Registado: 10/8/2006 19:44
Localização: Aveiro

Re

por JAS » 16/4/2009 1:13

Amigo Cem,

Já há muitos anos que sabia que tínhamos a engenharia em comum.
Não sabia é que também tínhamos a Saúde e a Tailândia...

Um abraço,
JAS
Na Bolsa como no Poker há que ter uma boa mão...
 
Mensagens: 6499
Registado: 5/11/2002 0:05
Localização: Lisboa

por Zeb_PT » 16/4/2009 10:01

Um optima entrevista, aproveito tambem para deixar uma pequena pergunta, como ter acesso à data, às cotações para as poder trabalhar através de programação? Existe maneira de exportar esses dados através do prorealtime?

Gostaria de fazer alguns scripts mais de análise de determinado ISIN em relação a alguns indicadores técnicos para retirar a fiabilidade dos mesmos como indicadores...
http://marketapprentice.wordpress.com

Para muito errar e muito mais aprender!

"who loses best will win in the end!" - Phantom of the Pits

Nota: As análises apresentadas constituem artigos de opinião do autor, não devendo ser entendidos como recomendações de compra e venda ou aconselhamento financeiro.
 
Mensagens: 919
Registado: 9/3/2009 23:07
Localização: 16

cem

por vset » 18/4/2009 20:02

Cool!

Já na primária copiava por ele nos testes.

8-)
 
Mensagens: 1029
Registado: 11/1/2004 13:37

Re: Entrevista a Cem

por Pintodoiro » 22/2/2014 0:59

Ulisses Pereira Escreveu:Hoje, o entrevistado do Caldeirão é Cem. Para aqueles que apenas há pouco tempo começaram a frequentar este mundo dos fóruns de Bolsa, recordo que o Cem é um dos participantes “históricos” dos fóruns de Bolsa.

Com uma lucidez de discurso fora do normal e com uma especialização em sistemas automáticos de negociação, sempre apelidei o Cem como “o guru dos gurus”. Talvez a sua linguagem mais técnica e a sua aversão a protagonismos, nunca fizeram dele um ídolo para as multidões. Mas, aqueles que são verdadeiramente bons, olham para ele com uma veneração e a admiração profunda.

É um enorme prazer poder entrevistar o “guru dos gurus”. :)

Ulisses: Há quantos anos negoceias em bolsa?

Cem: Desde o século passado!

Ulisses: Recordas-te dos teus primeiros dias como investidor e o teu primeiro negócio?

Cem: Nessa altura era tudo fezada e grande convicção de que as compras seriam baseadas em papéis que se iriam multiplicar por umas dezenas de vezes, santa ingenuidade!

Nunca tinha ouvido falar em Análise Técnica e era tudo baseado em Análise Fundamental, PERs, previsões de lucros, rumores de OPAS e coisas desse género. Os belos anos 90!

Recordo que na altura a primeira compra foram umas quantas acções da Inapa, o que estava relacionado com a indústria papeleira era considerada uma aposta muito sólida nesses tempos.

A seguir eram umas Reditus, parece que os computadores iam ser uma coisa do futuro, depois eram Lisnaves, a volatilidade daquelas acelerações astronómicas eram a verdadeira vertigem que todos os especuladores delirávamos, the good old times!

Ulisses: És, seguramente, uma das pessoas em Portugal que mais domina o mundo dos sistemas automáticos de negociação. Achas que o futuro dos mercados passa por aí?

Cem: Obrigado pela pergunta e pelo elogio mas não é como dizes, o assunto tem muito pano para mangas.
Não sou certamente um dos que mais domina este campo das novas tecnologias no campo da programação dos sistemas aplicados aos mercados, há milhares de programadores por esse mundo fora que, tenho a certeza, desenvolveram ferramentas de análise e sistemas de trading muito mais poderosos do que os que desenvolvi por hobby dedicado ao longo dos finais dos anos 90 para cá.

Os vulgarmente denominados sistemas automáticos de trading, de alguma forma mais ou menos dependentes de programação computarizada, encontram-se ao dispor dos grandes bancos de investimento, hedge funds, clientes institucionais e também, cada vez mais espalhados e divulgados, por muitas centenas de milhares de traders que actuam por conta própria, principalmente nos States por onde esta panóplia começou e se espalhou para o resto do mundo.

Serei talvez conhecido neste tipo de comunidades bolsistas da internet deste nosso rectângulo europeu por ter dado a cara por este tópico nos fóruns de Bolsa, apenas isso.

Outra questão pertinente tem sido se isto resulta em lucros ou cifrões no fim de cada ano ou de cada negócio. A resposta depende naturalmente da eficiência do programa de trading e dos seus resultados; terão tanto ou mais sucesso quanto mais performantes tiverem sido os testes feitos de antemão numas centenas de trades históricas efectuadas.

Infelizmente os resultados nestes sistemas de trading não aparecem logo ao virar da esquina, isto é como na pesca, há que ter alguma paciência e esperar que o peixe pique, por vezes passa muito tempo antes que os pesos pesados façam a diferença em relação aos pescadores de fim-de-semana.

A média duma rentabilidade de sucesso pode ser expectavelmente positiva no longo prazo mas a variação e o desvio-padrão da consistência dos resultados ainda é demasiado dispersa e por vezes muito exasperante para quem usa estes sistemas.
Por estes motivos há quem perca rapidamente as estribeiras e ponha em causa a sua real eficiência, até porque muitas vezes determinados sistemas com excelentes resultados em testes deixaram de os ter porque o comportamento do mercado em que foram aplicados mudou radicalmente.

Por exemplo, um sistema com bons resultados em tendências marcantes deixa de funcionar quando o mercado passa a lateralizar durante a esmagadora maioria do tempo. É claro que nesse caso se poderia juntar uma subrotina que identificasse o tipo de comportamento dominante e actuasse em conformidade mas tudo isto implica imensas variáveis e incertezas na programação que fazem deste tema dos sistemas de trading um campo imenso de possibilidades que podem vir a ser aproveitados pelos traders e especuladores da Bolsa em geral.

Também há obviamente quem venda gato por lebre, há imensa intrujice sem controlo nos anunciantes destes produtos, anunciando valores de performance milagrosos que, a serem verdade, tornariam os seus compradores em milionários em 2 tempos. Ora todos sabemos por experiência própria que neste campo ainda não há produtos milagreiros.
Se juntarmos, no entanto, os resultados de longo prazo de traders discricionários com os de traders que usem sistemas de negociação de sucesso comprovado “a la longue” não tenho dúvidas quanto ao desfecho final sobre quem terá mais sucesso ao fim de vários anos.

Nos campeonatos do mundo de traders profissionais da Robbins Cup, onde se têm juntado centenas de profissionais CTA (Commodity Trading Advisors) com muitos dos melhores gestores de fundos e com milhares de privados que gostariam de sair do anonimato, com dinheiro real e desde 1990 para cá ao longo dum ano inteiro de competição a actuar em commodities, Forex e derivados (futuros e opções), nunca até hoje ganhou ninguém que não tivesse algo parecido com um sistema de trading ou pelo menos regras muito mecanizadas ou disciplinadas de disparo das suas ordens.

Obviamente que quem usa sistemas de trading tem de obedecer a critérios muito rígidos: possuir elevada disciplina para seguir as ordens automatizadas, não questionar o porquê das compras e vendas do sistema e não se deixar enredar na grande armadilha das decisões emocionais.
Não sei se o futuro da negociação em Bolsa passará ou não pelo desenvolvimento deste nicho de mercado.
Há que notar que esta indústria dos sistemas de trading aplicados ao mercado tem na prática menos de 20 anos e que o Warren Buffett, que não usa a AT nas suas decisões, investe nos mercados há mais de 40 anos.

Em bom rigor a capitalização dos lucros tem uma importância crítica no sucesso da riqueza acumulada, mas sou levado a pensar que este sector tem um enorme potencial se o programa usado for comprovadamente eficiente e se o trader que o usa for realmente muito disciplinado.
Aqui também há muita crença: se o trader acreditar no potencial das ferramentas que usa terá provavelmente mais hipóteses de sucesso que um outro que desista às primeiras contrariedades que inevitavelmente lhe irão aparecer pela frente, tendendo então a mudar constantemente as regras das suas ordens.

Ulisses: Nunca fazes “trades” sem recorreres aos teus sistemas automáticos?

Cem: Sim, é um facto que só recorro a ordens dos sistemas de trading que desenvolvi para mim mesmo e vou mantendo esta forma de actuar porque comprovadamente deu-me bastante dinheiro a ganhar nos últimos 10/12 anos, mas não me perguntes quanto!

Ulisses: És um dos “históricos” dos fóruns de Bolsa. Quais os participantes que marcaram estes fóruns?

Cem: Meu caro Ulisses, vais-me desculpar mas não vou citar nomes. Não quero melindrar ninguém se me esquecesse de algum nome porque ao longo de imensos anos destas andanças muitos nicks, que recordo com saudade, apareceram e desapareceram sem deixar rasto e todos eles, antigos e mais recentes me marcaram bastante.

Certamente que uns se destacam ou destacaram mais que outros pelo nível claro de conhecimentos e experiências de mercado marcantes que possuem, nem preciso de os citar porque no passado até já os mencionei, mas ao longo dos anos nos fóruns de mercados em Portugal fui também aprendendo que até os mais “calejados” ou mais velhos vamos sempre bebendo novos conhecimentos até com mensagens de pessoal mais recente ou menos experiente no trading.

É por isso que ainda gosto imenso de ler os fóruns das Bolsas, é que estamos sempre a aprender e a divertirmo-nos com muito do que por aqui se vai dizendo.
Além do mais esta coisa dos fóruns ainda tem um magnífico extra: é que se fazem por esta via amizades magníficas e ganhamos um imenso respeito uns pelos outros, quanto é que isto pensam que vale?! Não tem preço!

Ulisses: Achas que hoje os participantes nos fóruns têm mais conhecimentos sobre o mercado do que há 10 anos atrás?

Cem: Inevitavelmente, sim, se a net tem algo de positivo é reter e espalhar depressa as coisas positivas que implicam mais conhecimentos.
No campo dos princípios básicos do trading, das armadilhas a evitar, de novos programas em tempo real, na facilidade de acesso aos mercados e a novos softwares de auxílio quer em auxiliares de AF e AT quer no desenvolvimento do sempre obscuro e espectacular campo do money management para aqueles que se dedicarem ao trading dos sempre perigosos produtos derivados, a vida está muito mais facilitada para os mais novos que só agora chegam aos mercados.

Ulisses: Por que é que tanta gente perde dinheiro nos mercados?

Cem: Ulisses, porque haveria de ser?! Os erros tradicionais do costume: “buy and forget”, o investimento a longo prazo dá sempre um retorno positivo, baixar a média dos preços de compra em tendências descendentes sem pensar que se está a expor a um risco de exposição em maiores quantidades do papel comprado, comprar na euforia excessiva e vender no pânico quando um determinado movimento de preços está a dar as últimas, usar regras baseadas principalmente em swings e esquecer as tendências dominantes, ficar convencido que o papel já está muito barato e que agora isto só pode mesmo subir, esquecer alguns detalhes subliminares de que é preciso ter em conta diversas escalas temporais numa decisão sobre que quantidade temos de colocar em risco em determinada entrada de compra num papel, etc.

Resumindo e concluindo: todos já vimos este filme vezes sem conta e infelizmente só há quem aprenda com os erros via “hard way”, à custa de muitas perdas que deixaram muita mossa e maltrato na carteira.

Ulisses: Profissionalmente, qual é a tua ocupação?

Cem: Engenheiro, com muito orgulho.

Ulisses: Quando consegues fugir do trabalho e do teu PC, o que fazes?

Cem: Adoro estar com a família, a minha mulher e a minha filha e, se possível numa estância balnear longe do mundo das notícias, de preferência nas Caraíbas ou na Tailândia. Mas não há bela sem senão, quando chego ao hotel a patroa descobre rapidamente que a primeira coisa que faço na televisão do quarto é um rápido zapping a verificar onde há canais sobre mercados!

Também me abstraio do que se passa à minha volta se estiver embrenhado numa excitante partida de xadrez, é o meu hobby favorito que vem dos meus tempos do liceu e que me ficou da loucura que rodeou o célebre match para o campeonato do mundo em 1972 entre o Fischer e o Spassky, não só me atraíam os lances espectaculares dos grandes mestres mas igualmente a guerra fria de bastidores que se passava entre as super-potências da altura.

Que mais? As grandes notícias do mundo internacional e do desporto de alta competição fascinaram-me desde sempre, se tiver um jornal ou revista da actualidade à mão de semear leio-o de fio a pavio.

Ulisses: Qual a tua personagem histórica favorita?

Cem: Com essa pergunta, assim de repente, é difícil escolher, mas se tiver de mencionar alguém da nossa História, outro passatempo sobre as nossas raízes culturais e de valores que gosto de cultivar e que infelizmente nas nossas escolas vão deixando perder cada vez mais, mencionaria algumas figuras brilhantes da nossa época áurea da 2ª Dinastia:

D. Nuno Álvares Pereira (nunca foi derrotado em combate, estando quase sempre no comando de uma minoria de tropas face ao inimigo na maior parte das batalhas), Infante D. Henrique (o primeiro homem de negócios do comércio marítimo, incluindo a iniciativa de convencer o pai D. João I a conquistar a primeira praça forte no norte de África, que servia de charneira às entradas e saídas do comércio mediterrânico com a Europa do norte: Ceuta), D. João II (o verdadeiro estratega dos Descobrimentos em larga escala planetária), Bartolomeu Dias (o primeiro a descobrir a passagem pela ponta sul da África, tendo participado também nas viagens de Vasco da Gama e Pedro Álvares Cabral), Afonso de Albuquerque (o estratega da conquista e predominância do domínio português nas praças fortes que deixou em dezenas de pontos no Índico e Golfo Pérsico) e já agora: Luís de Camões (aprender na altura do liceu “Os Lusíadas” era uma seca detestável, mas aperceber-me mais tarde da subtileza da linguagem poética avançada e da forma como defendia a epopeia, levada ao extremo, do portuguesismo dos nossos heróis e do nosso povo até ao século XVI, realmente é extraordinário como éramos um povo muito mais orgulhoso do que hoje somos há mais de 500 anos atrás).

Certamente haveria muitos mais a referir mas fica apenas a referência simbólica à época que na minha opinião mais marcou a nossa identidade de afirmação no mundo.

Ulisses: Podes dizer-me o livro, o filme e a música da tua vida?

Cem: Bolas, outras perguntas difíceis.
Isto não era suposto versar o tema do trading e dos mercados?!
Vou aqui deitar umas moedas ao ar e cá vai então:

Livro – “Manual do Metastock”, pois é claro, sem esta leitura não teria dedicado ao trading anos de esfuziantes pesquisas sobre o santo graal dos sistemas de trading e, podem crer, usar este tipo de ferramentas fez-me abrir um mundo novo de possibilidades acerca de como se pode ganhar muito dinheiro nos mercados a longo prazo e com muita paciência.

Filme – “Parque Jurássico (primeiro da série)”, para mim o mundo do cinema divide-se em antes e depois de Steven Spielberg, de facto o homem é genial.

Música – Enya: a música irlandesa pode deixar um ar melancólico a pairar mas a musicalidade instrumental e a voz da cantora ficam marcadas na nossa memória para sempre, em momentos em que preciso de me isolar ouvir esta música dá-me uma grande força para encarar adversidades. Obviamente há trechos musicais de outros autores, ex: “Imagine” do John Lennon, “I have a dream” dos Abba, “Nothing compares to you” da Sinead O’Connor e muitos outros que agora não me vêm à memória.

Ulisses: Qual é a maior ilusão do mercado?

Cem: Que é possível enriquecer em pouco tempo, para a maioria que se inicia nos mercados muitos pensam nos lucros fabulosos que podem ganhar e poucos pensam nos riscos do que podem vir a perder!

Ulisses: Que projecto, ao nível dos mercados, gostarias de abraçar?

Cem: É difícil estabelecer metas em projectos nos mercados, para mim basta-me continuar a usar no dia–a-dia a AT que fui desenvolvendo e que uso nos mercados, através da actualização da análise diária que faço correr nos programas de trading normalmente à noite a seguir ao jantar. Essa tarefa rotineira dá-me um gozo extraordinário independentemente de chegar rebentado ou ter tido ou não um dia de cão em termos profissionais.

Enquanto os mercados me derem gozo, e uns cobres extra jeitosos para além do salário normal, já me considero um tipo realizado e com sorte.
A saúde, a felicidade e a estabilidade familiar serão contudo as primeiras prioridades, a Bolsa e os mercados vieram por acréscimo e estarão para ficar enquanto esta actividade, hobby ou negócio extra, como lhe quiserem chamar, me for dando um enorme prazer em me continuar a dedicar.

Talvez a ideia mais maluca que tive recentemente foi a de colocar uma empresa na Bolsa. Aqui fica a breve história: era uma holding ligada ao sector da saúde que domina as participações accionistas numa clínica privada na marginal da linha do Estoril, onde vim a adquirir uma participação razoável e onde os outros sócios, quase todos médicos, me puseram à frente dessa SGPS, que vou gerindo como Administrador não remunerado nas poucas horas livres que vão aparecendo.

O facto de não haver nenhuma cotada do sector da saúde na nossa Bolsa e eu ter achado muito atractivo convencer os parceiros do negócio a poder investir ou especular com a liquidez de umas centenas de milhares de Euros por ano, provenientes dos lucros da clínica distribuídos em dividendos, numa carteira do tipo “hedge fund” foi na altura muito apelativo.

Ter à disposição capital adicional que poderia ter sido gerado por uma OPV acrescida dos lucros que o negócio vai gerando, não sei se sabem que a saúde é imune à crise porque os doentes não diminuem nestas alturas críticas, foi um projecto entusiasmante.
Só não foi para a frente porque o Banco que na altura foi contactado para o efeito, para colocador do negócio na praça e tomador firme da operação, achou o projecto super-interessante e uns meses depois de uma data de relatórios e pareceres com “business plan” à mistura, veio a dar o dito por não dito com uma nega diplomática alegando que a operação de mercado era muito arriscada!

O Banco chamava-se BPN e veio logo a seguir criar o seu próprio grupo de saúde no âmbito do seu núcleo accionista. Sem eu saber estava a competir ou a fornecer provavelmente informações relevantes para a ideia base do grupo de saúde da SLN que também nunca acabou por entrar para a Bolsa, não me perguntem porquê, mas que ainda hoje consideram prioritário não alienar! Olhem do que eu me safei e das voltas que o mundo dá.

Ulisses: O que é que ainda te falta para seres um grande “trader”?

Cem: Isso é algo que é difícil de avaliar e que depende das metas que estabelecemos para nós próprios, até porque considero o trading uma espécie de combate pessoal de cada um contra um dragão traiçoeiro, o mercado, onde o objectivo é ganhar dinheiro procurando antecipar os seus movimentos antes que ele nos faça em pedaços.
Não gosto de falar pessoalmente em termos de metas de trading mas basta-me que a este nível vá tendo uma rentabilidade média na minha carteira pessoal na casa dos 20% a 30% ao ano para me dar por satisfeito.
O segredo do sucesso é ir mantendo uma rentabilidade média razoável da ordem de grandeza da citada ao longo de uns 20 a 30 anos.

A capitalização dos eventuais lucros, atenção que infelizmente nem sempre é possível ter um ano positivo, encarregar-se-á de exponenciar o valor final da carteira, espero bem que se mantenha em ganhos tendencialmente crescentes ao longo do tempo, desde que vá mantendo o risco sempre relativamente controlado!

Se do ponto de vista do trading especulativo me considero relativamente disciplinado, procurando seguir à risca um plano de trading baseado em ordens mecanizadas resultantes dum sistema de trading e dum método eficiente de risco reduzido e optimizado de money management na carteira particular, as consequências de nos mantermos à tona de água virão por acréscimo, os lucros virão quase sem darmos por eles, bastando seguir os princípios básicos do trading:

- Tomar sempre posições de acordo com a tendência dominante.
- Controlar permanentemente o risco das posições expostas, quer a nível da maximização dos lucros como principalmente da minimização das perdas.
- Fechar posições perdedoras sem futuro o mais cedo possível logo que se sinta que a tendência dominante desapareceu.
- Deixarmo-nos seguir o máximo de tempo possível com a tendência, semanas ou meses a fio, se possível.

São estes pontos simples que originam uma carteira de trading saudável, poucos princípios que muitos ouviram falar mas que só poucos aderem na realidade prática do seu trading!

Ulisses: Quais são as características intrínsecas que um investidor deve ter?

Cem: Muita paciência para esperar pelas oportunidades certas, vontade de vencer e ganhar dinheiro mas com a capacidade de assumir riscos controlados, ter consciência de qual o risco a que está exposto através da simulação do que poderá acontecer de imediato à sua carteira se amanhã Wall Street abrir com um crash de 25% ou 30%, disciplina em aderir a regras básicas do trading e seguir um plano de negociação bem definido onde o estudo e a aplicação têm de ser permanentes numa base quase diária: ao longo de muitos anos a sorte deixa de ter um papel relevante e passa a ser o estudo e a análise permanentes que ditarão os resultados a longo prazo.

Sem estudo e sem esforço não se chega a lado nenhum em termos de resultados, em qualquer tipo de negócios ou ramo profissional. O trading não é excepção à regra de uma dedicação atenta e responsável, embora para muitos possa parecer quase um casino.

Outra coisa importante: embora nos devamos alhear dos impulsos emocionais de actuação impulsiva resultante das euforias e pânicos ou optimismos e pessimismos, estar atento a estes factores, sabendo controlá-los ou medi-los em qualquer tipo de comportamento reinante nos mercados, seja em regime tendencial ou oscilatório, pode ser um forte factor que permitirá obter vantagens se souber ser explorado em nosso favor.

Nos mercados não há certezas mas há probabilidades. Se soubermos colocar do nosso lado a esperança matemática em que, perante determinado cenário em que conhecemos a medição aproximada do factor emocional em determinada escala temporal, poderá atingir o ponto óptimo de geração da maior relação de ganho/perda, de acordo com padrões repetitivos do passado, teremos melhores hipóteses de obter sucesso do que outros que desconheçam essa importante informação.

Por muito que digam o contrário os sábios e os “profs.” da Economia, o verdadeiro motor que faz mexer os mercados não são os balanços e previsões de resultados das empresas e da Economia em geral, são apenas as expectativas do que sentem os participantes do mercado em relação ao que os outros pensam fazer. Porque não tirar então partido desta situação e procurar transformar estes indicadores de expectativas em indicadores líderes de trading?

Ulisses: Se fosses o CEO do Caldeirão, o que é que mudarias nele?

Cem: Vocês os moderadores é que são os especialistas e de certeza que já pensaram a fundo nisso.

Uma sugestão? Talvez pusesse em maior evidência e destaque, em paralelo no fórum junto a uma canto superior onde possamos ler as mensagens, um “refresh” com as cotações dos principais índices, acções mais populares e do EuroDollar.

Em relação à qualidade das intervenções, nesse ponto acho que o Caldeirão é incomparável, é a sua grande mais-valia aqui em Portugal e mesmo em relação a muitos dos grandes sites idênticos lá de fora.

Todos os participantes em geral contribuem de uma forma extraordinária e muito generosa para que isso aconteça e este ponto deve ser preservado e mantido a todo o custo, foi assim que o Caldeirão ganhou a notoriedade que lhe é sobejamente reconhecida.
Só espero que não venha aí uma OPA dum maluco qualquer, era bom para os moderadores e donos do site mas mau para a comunidade que participa e lê o fórum.

Ulisses: Para finalizar, que conselhos darias a alguém que está a dar os primeiros passos nos mercados?

Cem: Não se deixar levar pelas suas vontades emocionais primárias, ler bastante este tipo de fóruns das Bolsas e alguma literatura especializada, procurando destrinçar o que é positivo e negativo na sua forma de actuar nos mercados.

Começar com pouco capital e, sempre com dinheiro que nunca venha a precisar para as suas despesas diárias, pelo mercado de acções para ir confirmando por tentativa e erro o que deve ou não fazer no seu trading especulativo ou de investimento.

Nunca alavancar posições numa fase inicial em mercados de warrants, opções, futuros ou cambiais.

A regra número um terá de ser a de procurar manter sempre que possível o seu capital inicial. Há que ter uma noção fundamental: um valor de começo significativo para aplicação nos mercados só o vamos ter uma vez na vida, se o perdermos acabou-se a aventura de pensar que o trading pode dar muito dinheiro a ganhar e é assim que muitos perdem as ilusões e nunca mais querem saber dos mercados.

Quem perdeu nesta apaixonante actividade normalmente atribui-o ao azar! Mas se fizerem uma auto-crítica mais séria foram os que arriscaram demasiado sem saber o timing correcto apropriado e o nível de risco a que estavam sujeitos, é a vida!
Estar demasiado exposto a posições compradas em bear markets é demolidor e é um erro muito comum dos que aparecem muito novatos nestas andanças da Bolsa, o pessoal nestas condições só pensa que a recuperação está mesmo ali ao virar da esquina e que os preços já estão demasiado baratos, sem suspeitar que a martelada ainda pode demorar mais alguns meses ou até uns anos valentes.

Pensar que as Bolsas são só rosas, que somos os mais espertos e que “desta é que é, já não pode descer mais!”, os milhões estão mesmo ali à mão de semear para ser ganhos após umas poucas ordens do tipo “comprar à fartazana que isto é aposta certa”, sem suspeitar do pesadelo que os vai esperar até terminar realmente o bear market, tudo isto é muito repetitivo e demasiado frequente e atroz para quem desce pelo cano por esta via! Não quero com isto dizer que não compremos algumas vezes durante os bear markets, mas com algum tino e cautela, antes de ter a certeza que o bull voltou. É preferível comprar ao dobro dos mínimos com as acções em subida sustentada em bull market do que nos novos mínimos que uma acção vai fazendo em queda permanente num bear market, ponto.

Esta gente que perde e são muitos, a maioria, podem crer, vai deixando correr o marfim pensando que foi só um pequeno azar inicial a aposta não estar a resultar de imediato, a recuperação vem já aí, normalmente só pensa nos prejuízos tarde demais e sai em desespero perto dos mínimos!

Resumindo e concluindo: o mundo dos mercados é realmente único mas tem de ser abordado com o máximo de cuidado por todos os que daqui quiserem tirar partido em seu benefício, ou lucrar com o trading.
Para isso é necessário ter acesso ao máximo de informação possível, seja de carácter fundamental ou técnico, para tomar uma decisão de compra ou venda.
Com a certeza porém de que, qualquer que tenha sido o resultado final, o desenrolar de todo o ciclo desde a compra até à venda passando pelo misto de emoções que se desenrola no interior do detentor dessas acções durante esse período de stress, torna a negociação dos mercados na actividade de risco mais fascinante que existe à data presente.

Ulisses: Muito obrigado pela entrevista e que os teus sistemas te continuem a iluminar o caminho.






Depois de relida, achei-a muito mais interessante agora do que há quatro anos atrás, provavelmente porque a experiência, a vivência adquirida nestes últimos anos me fazem reflectir melhor sobre os vários pontos abordados na entrevista.

Esta entrevista do "Cem", devia na minha opinião, estar permanentemente no topo dos tópicos. É nem mais nem menos um excelente manual de negociação, mencionando de forma sucinta e clara a forma de estar no mercado e dele tirar partido.


Parabéns aos intervenientes na entrevista.

Pintodoiro
Põe tudo que és na mais pequena coisa que faças.

Fernando Pessoa
 
Mensagens: 687
Registado: 28/7/2006 0:00
Localização: Reino Maravilhoso

Re: Entrevista a Cem

por FDPC » 22/2/2014 2:52

Espetáculo , grande satisfação ver os valores nacionais em voga.

Parabéns ao Caldeirão, ao Ulisses ao Cem e a todos os foristas.

Bons negócios
Por uma Politica Solidária a Migração, abaixo os muros da intolerância
 
Mensagens: 1469
Registado: 15/9/2013 23:16
Localização: Sintra

Re: Entrevista a Cem

por Primvs » 22/2/2014 10:01

Tambem havia por ai um entrevista ao The Mecanhic que era so rir :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
É da vida...
 
Mensagens: 2966
Registado: 6/2/2007 16:36
Localização: Alverca

Re: Entrevista a Cem

por Parabolic » 22/2/2014 14:55

E ao JAS, esse grande mago da JMT.
 
Mensagens: 261
Registado: 21/3/2009 16:16

Re: Entrevista a Cem

por mpfreitas » 22/2/2014 16:01

Parabolic Escreveu:E ao JAS, esse grande mago da JMT.


Para mim votava já no ...Elias :?:
 
Mensagens: 1094
Registado: 18/5/2007 22:03
Localização: 16

Re: Entrevista a Cem

por Cem pt » 22/2/2014 20:41

Obrigado a todos pela vossa simpatia.

Gostaria também de relembrar as entrevistas ao Mech, ao JAS e a tantos outros, lembro-me que as entrevistas que publicou o Caldeirão na altura registaram um conjunto de intervenções de grande qualidade.

Para além do mais restaram as tais amizades da "net" feitas aqui no "site" e nas almoçaradas, essas ficam para sempre.
O autor não assume responsabilidades por acções tomadas por quem quer que seja nem providencia conselhos de investimento. O autor não faz promessas nem oferece garantias nem sugestões, limita-se a transmitir a sua opinião pessoal. Cada um assume os seus riscos, incluindo os que possam resultar em perdas.


Citações que me assentam bem:


Sucesso é a habilidade de ir de falhanço em falhanço sem perda de entusiasmo – Winston Churchill

Há milhões de maneiras de ganhar dinheiro nos mercados. O problema é que é muito difícil encontrá-las - Jack Schwager

No soy monedita de oro pa caerle bien a todos - Hugo Chávez


O day trader trabalha para se ajustar ao mercado. O mercado trabalha para o trend trader! - Jay Brown / Commodity Research Bureau
 
Mensagens: 2867
Registado: 4/3/2008 17:21
Localização: 16

Re: Entrevista a Cem

por NOEL » 22/2/2014 23:12

Primvs Escreveu:Tambem havia por ai um entrevista ao The Mecanhic que era so rir :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

viewtopic.php?t=67395 :D
 
Mensagens: 203
Registado: 27/10/2006 15:32
Localização: Beira Alta

Re: Entrevista a Cem

por pvg80713 » 23/2/2014 10:47

grande momento sem dúvida que infelizmente me passou... não sei porquê ?

talvez fosse bom o Ulisses fazer um update destas pessoas, algumas andam desaparecidas...
 
Mensagens: 4191
Registado: 19/4/2005 11:11

Re: Entrevista a Cem

por Andre vez » 7/9/2014 15:23

Mas que maravilha estar a reler esta, e outras entrevistas.

Fico um pouco com saudade e nostalgia com certos foristas que não tem andado por cá tanto quanto eu gostava.
Abraço
André
 
Mensagens: 268
Registado: 25/5/2009 14:38
Localização: 16

Re: Entrevista a Cem

por DC89 » 9/9/2014 0:07

Cem poderias dar umas "luzes" sobre este assunto que referes na entrevista? :-k

"esquecer alguns detalhes subliminares de que é preciso ter em conta diversas escalas temporais numa decisão sobre que quantidade temos de colocar em risco em determinada entrada de compra num papel"
 
Mensagens: 1365
Registado: 26/12/2007 15:50

AnteriorPróximo

Quem está ligado:
Utilizadores a ver este Fórum: freitax, Google [Bot], pattern, vinas1976 e 38 visitantes