O gajo está mesmo metido, não está?

Espaço dedicado a todo o tipo de troca de impressões sobre os mercados financeiros de uma forma genérica e a todo o tipo de informação útil que possa condicionar o desempenho dos mesmos

Moderadores: pata-hari, Ulisses Pereira, MarcoAntonio

O gajo está mesmo metido, não está?

por Açor3 » 1/2/2009 10:50

O GAJO ESTÁ MESMO METIDO, NÃO ESTÁ?


Ferreira Fernandes
Jornalista - ferreira.fernandes@dn.ptt
Isto deve ser genético. Já quando foi da II Guerra Mundial não entrámos. Agora, temos a II Crise Mundial (depois da de 1929) e continuamos de fora. Isto digo eu, que leio os jornais. Os lá de fora e os cá de dentro. Os lá de fora, é a crise, a crise e a crise. Ontem, o Guardian tinha na primeira página a foto cinzenta com umas caras cinzentas como já não se viam na Europa desde os anos 30. Proletas britânicos, com cartazes britânicos: "Empregos britânicos para trabalhadores britânicos!" Solidariedade é palavra que já de si se soletra mal, com medo não dá de todo.

Já em Portugal, as capas, é sobre a telenovela: "A Carta". Argumento escrito por cá, em 2005, de autor anónimo, mandado para Inglaterra para lhe dar patine internacional, e reimportado em episódios. Como veio com a chancela Serious Fraud Office (SFD), que tomamos por departamento da BBC, é um sucesso. Desde aí, o País está suspenso como só esteve há muito, quando apareceu a "Gabriela". A questão que atravessa o País é: "ele" está mesmo metido? O nosso nível de julgamento foi moldado por Tonico Bastos. Desde essa primeira telenovela, continuamos gente simples.

Reparem, a nossa, essa de negar a crise, é uma forma como outra qualquer de reagir. O americanos, embalados pela esperança de Obama, readaptam a doutrina Monroe: "Os projectos americanos para as empresas americanas." O Governo espanhol deixa os seus cidadãos mais necessitados resgatar os fundos de pensões. A Rússia de Putin, herdeira dos planos quinquenais da URSS, traça um plano trienal de crise. Os povos, assustados pelo estrebuchar dos líderes, regressam à luta de massas: greve geral em França e esse chauvinismo já referido dos trabalhadores das refinarias britânicas... Quem podia ainda ter dúvida sobre a vastidão da crise convenceu-se com a notícia da semana: Bono, por estar a preparar um novo álbum, não foi a Davos. Quando o próprio messias faz pela vidinha, isto está mesmo, mesmo, mal.

Só nós nos opomos à crise. Não, não é opormo-nos dessa forma vulgar dos outros, que procuram soluções ou, pelos menos, se assustam. Nós combatemo-la da forma mais radical: negamo-la. Não venham cá com as vossas estatísticas, que nós temos a nossa curiosidade: o gajo está mesmo metido, não está?

Eu acho piada à táctica e consolam-me sempre provas de que somos um pouco originais. Um povo que já deu mundos ao Mundo há de ter alguma peculiaridade. Se alguns bascos pensam que são únicos por causa de um sangue RH negativo especial, talvez nós sejamos, como mais ninguém, imunes às crises, sei lá.

O meu problema é ler jornais lá de fora. Peço desculpa, mas a crise é mais do que universal, é também portuguesa. Por isso, peço: mesmo que o gajo não esteja metido, metam-no. Não podemos é estar mais tempo nesta telenovela. |


Diário Noticias
Na bolsa só se perde dinheiro.Na realidade só certos Iluminados com acesso a informação privilegiada aproveitam-se dos pequenos investidores para lhes sugarem o dinheiro.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 3639
Registado: 13/6/2004 20:52
Localização: Lisboa

por Açor3 » 1/2/2009 10:51

O GRITO E A VOZ


Nuno Brederode Santos
Jurista - brederode@clix.pt
Acha que ainda tem condições para governar?", pergunta sempre quem mais se empenhou em destruir as condições para governar. Como que a pedir um insuspeito atestado de desempenho. "Todo este alarido em torno do caso está a distrair a atenção dos portugueses para os reais problemas da crise e da governação" é a versão dominante entre os que fomentam o alarido sobre o caso, distraindo a atenção dos portugueses para os reais problemas da crise e da governação. Como que a explicar o plano B, que é o de, se "isto" não for a lufadas de escândalo, ao menos paralisa-se o Estado, na sua desesperada defesa da cidadela que os votos construíram. De caminho, também se vende melhor. Porque o mercado da pequena infâmia existe. Só que é atípico: o rancor não se vende porque o rancor se compre. Há é quem o compre desde que ele esteja à venda.

Claro que talvez isto não fosse possível se a condição do sistema judicial fosse outra. Como ainda agora a inauguração do Ano Judicial exuberantemente demonstrou, a máquina é prisioneira de guerras que ninguém tem já forças para vencer. Uns, passam as responsabilidades à falta de meios, tomam a autonomia (técnica) de que gozam pela independência que só a outros toca, reclamam das leis que lhes cabe cumprir e dão-se a prerrogativa de propor melhor legislação (nem sempre apenas qual, às vezes como). Outros, endossam a culpa também à falta de meios, reclamam melhorias da condição profissional (que não tem já equivalente, deixados que estão para trás diplomatas e militares), tomam o seu dever de independência pela sua (necessária) tradução em direitos puramente instrumentais e não raro roçam o propósito de legislar aquilo mesmo que só lhes cumpre aplicar. Outros ainda, fazendo das questões salariais o seu único objectivo, tecem políticas de alianças em que apoiam ou não as reivindicações dos demais, mesmo que elas os transcendam por completo - sob condição de serem por eles apoiados. Enfim, os que supostamente seriam os mais livres, resistem à mais pequena tentativa de os submeter a um regime comum e geral, alegando - como os representantes dos médicos, ou dos engenheiros ou dos farmacêuticos - a natureza superior do seu papel e a feliz (e quase mística) coincidência dele com os interesses colectivos: o que é bom para a General Motors é bom para os Estados Unidos. Todos eles, porém, convergem no método: procuram fazer valer os seus interesses pela via mediática. Houve tempos em que a careta era a amarga derrapagem de um sorriso. Isso acabou. Hoje, à vista de uma câmara, a careta refloresce no sorriso.

Voltemos à tese geral. Pese embora às convicções de quem neles votou, pode suceder que um dia se descubra e se comprove a corrupção de um Presidente, um primeiro-ministro ou qualquer alto mandatário. Já aconteceu a outros, não há dogma que disso nos isente. Mas a questão é: e a lei previu? Previu. Então aplique-se, de cada vez que quem de direito entender haver razões para tal. Ninguém tem mais interesse nisso do que os que mais enganados se sentirem, ou seja, os que tiverem dado a cara. Só que, para isso há regras, que a mesma lei acolheu. Não há que entrar em regime de excepção, no qual ninguém votou. Nem instaurar a gritaria e o código sumário de vigilantes que nunca ousaram sufragar-se como tal. Nem induzir a confusão entre denunciante, polícia, juiz e carrasco. Nem fazer da opinião mediatizada - que nem sequer é certo que chegue a pública - o tribunal plenário de um regime que quisemos democrático.

O contrário é fazer da "busca insana da verdade" o álibi malsão que legitima a irresponsabilidade. É agravar as aflições de um aparelho de investigação, até agora pouco convincente, a dar mostras de isenção, não para a resolução de um problema, mas para o suscitar de outros, tantos quantos os necessários a fazer "prova" pública dela. E é espalhar, em voz baixinha, pelas ruas e vielas da cidade - que desespera aos solavancos da crise - o rumor catastrofista que é o caldo de cultura donde emergem todas as aventuras autoritárias: se há magistrados ou juízes que não conseguem enfrentar os media, acabe-se com a sua não exercida independência e sujeitem-se à cadeia de um funcionalismo hierárquico rigoroso; se há jornalistas que mentem ou manipulam, instaure-se uma censura prévia que responsavelmente acautele o "interesse geral"; se chegam à rua opiniões maliciosas, troque-se a liberdade de opinião por um seu patriótico controlo; se há políticos eleitos que são corruptos, substituam-se por aqueles que gente sábia e séria designar; e se as instituições democráticas não forem capazes de comportar tudo disto, instaurem-se outras que o sejam.

Mal com a política por amor da economia, mal com a economia por amor da sociedade. Um dia, muito mais tarde, os historiadores discutirão quais, de entre nós, foram os culpados. |


Diário Noticias
Na bolsa só se perde dinheiro.Na realidade só certos Iluminados com acesso a informação privilegiada aproveitam-se dos pequenos investidores para lhes sugarem o dinheiro.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 3639
Registado: 13/6/2004 20:52
Localização: Lisboa

por Timbrado10 » 1/2/2009 12:19

Claro que não!

Como é capaz de deduzir isso?

Peço que de imediato os moderadores intervenham e que bloqueiem este post.
 
Mensagens: 156
Registado: 16/11/2008 11:04
Localização: 11

por Flying Turtle » 1/2/2009 13:07

Timbrado10 Escreveu:Peço que de imediato os moderadores intervenham e que bloqueiem este post.


Essa é boa... :shock:

FT
"Existo, logo penso" - António Damásio, "O Erro de Descartes"
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 3240
Registado: 25/10/2002 17:26
Localização: Oeiras/Lisboa

Re

por bolsa » 1/2/2009 20:02

Timbrado10 Escreveu:Claro que não!

Como é capaz de deduzir isso?

Peço que de imediato os moderadores intervenham e que bloqueiem este post.




?????????
 
Mensagens: 576
Registado: 7/2/2005 18:06

por atomez » 1/2/2009 20:33

Timbrado10 Escreveu:Peço que de imediato os moderadores intervenham e que bloqueiem este post.

Censura, é?

Estamos é todos metidos, para não dizer outra palavra começada por ph...
As pessoas são tão ingénuas e tão agarradas aos seus interesses imediatos que um vigarista hábil consegue sempre que um grande número delas se deixe enganar.
Niccolò Machiavelli
http://www.facebook.com/atomez
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 5852
Registado: 4/11/2002 22:48
Localização: Entre Marte e Vénus

por tugatuga111 » 1/2/2009 20:39

Também não percebi essa do Timbrado...
 
Mensagens: 174
Registado: 18/7/2008 19:50
Localização: lândia

por mapaman » 1/2/2009 20:42

Timbrado10 Escreveu:Claro que não!

Como é capaz de deduzir isso?

Peço que de imediato os moderadores intervenham e que bloqueiem este post.



Ó amigo timbrado,a expressão/dedução/pensamento ou o que lhe quizer chamar não é do Açor3,mas do ferreira fernandes que desde já pode consultar no link

http://dn.sapo.pt/2009/02/01/opiniao/o_ ... _esta.html

cumps
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 1600
Registado: 24/1/2008 22:05

por zguibz » 1/2/2009 20:53

Timbrado, tem calma jovem; lá porque a noticia não nos agrada não podemos mandar matar o mensageiro... :shame:


abraços
zguibz
O caminho para cima e o caminho para baixo, são um único caminho!
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 489
Registado: 30/8/2006 19:09
Localização: No meio da selva...

por keijas » 1/2/2009 21:00

mapaman Escreveu:
Timbrado10 Escreveu:Claro que não!

Como é capaz de deduzir isso?

Peço que de imediato os moderadores intervenham e que bloqueiem este post.



Ó amigo timbrado,a expressão/dedução/pensamento ou o que lhe quizer chamar não é do Açor3,mas do ferreira fernandes que desde já pode consultar no link

http://dn.sapo.pt/2009/02/01/opiniao/o_ ... _esta.html

cumps



Será que "timbrado" vai exigir a demissão do escriba
do "DN" por transformar em escrito o seu pensamento??

keijas
 
Mensagens: 905
Registado: 17/5/2008 19:41
Localização: ourem

banir??

por rufa » 1/2/2009 21:37

Força Açor e obrigado pelas informações que incomodam os timbrados deste país que para alguns se chama local 11 :wink:

Cumps.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 1386
Registado: 29/11/2007 12:52

por Timbrado10 » 1/2/2009 22:05

Desculpem, mas usei um pouco a ironia...!

Por mim nao tenho qualquer duvida que ele esta envolvido.
 
Mensagens: 156
Registado: 16/11/2008 11:04
Localização: 11

por angeloandrade » 1/2/2009 22:20

Incrivel esta novela e esta forma de os portugueses se preocuparem com um pseudo problema.
Independentemente de o Socrates estar metido nisto ou não este não é o momento de as preocupações de todos nos estarem voltados para um caso Freeport ou freepor... LOL
Eu, se fosse o Socrates depois de tudo o que foi referido acerca da sua pessoa e se realmente não é culpado ja me teria demitido... E não me candidatava novamente, deixava que o pais fosse a eleições e que estivesse nas mãos de todos nos a escolha do seu sucessor!!! Isso sim seria o pior serviço prestado ao pais e a melhor "chapada" de luva branca a todos os que tem tentado deitar ao chão (faria isso se estivesse inocente como é obvio).
Muitos dos portugueses regojizariam com esta desistencia mas quando voltassem à realidade e a imagem de Manuela Ferreira Leite, Paulo Portas, Francisco Louça e o Jeronimo de Sousa, ah e mais o individuo do PS que não seria boa escolha de certeza, talvez o Poeta Alegre... eh ai sim voltariamos ao cinzentismo que nos caracteriza.
Ai depois todos os portugueses sensatos optariam como eu quem em legislativas voto sempre em branco, não vejo ninguem a altura, todavia o Socrates é o menos mau de todos... Porem nunca votaria nele, para isso acontecer ele teria de:
- acabar com os subsidios (rendimento minimo e afins), ajudaria as pessoas atraves de generos alimentares e habitação.
- diminuir para metade a força trabalhadora das camaras municipais dado que pelo que me é possivel observar em todas as camaras municipais que conheço metade dos funcionários estão a ver o que a outra metade faz
- Obrigar a que a avaliação dos professores continue e que não sejam so estes a ser avaliados, mas sim, também: médicos, enfermeiros, juizes, policia, guarda, exercito, etc... todos avaliados e os fracos despedidos com justa causa não havendo nunca trabalho vitalicio...
- reduzir para metade os deputados obriga-los a trabalhar a tempo inteiro... ou seja 7 horas por dia... e sem facilidade de justificação de faltas, nem ajudas de custo, nem de mordomias, nem de alavanca para outros trabalhos. Seria trabalho de FULL TIME
- Acabar com as ajudas a bancos e a Berardos e a Fundações etc...
- Criar leis que obriguem os individuos responsaveis pela falencia de empresas e ou bancos a serem responsabilizados pelo acto e pagarem até ao ultimo centimo tudo o que devem... Não é receber 10000000 de euros como o PTP e depois, num futuro muito longinquo ter possivelmente de pagar 1000000 de euros, o crime nao pode nunca compensar
- obrigar os individuos que estão presos a trabalhar, trabalhar para comer, 7 horas por dia em vez de passarem o tempo a puxar pelo fisico e jogar videojogos...
-..... mais medidas existiam mas seria uma tristeza constatar que o pais esta a anos luz daquilo que poderia ser.........
- ah mais uma medida obrigar as televisoes a acabar com programas que afectam o desenvolvimento salutar das crianças... tais como: morangos com açucar e programas do genero bem como todas as novelas e proibir aqueles programas da tarde... e já agora os da manha também....
- ah e ainda... acabar com os que dão opinião sobre tudo e percebem de tudo e falam de tudo como se fossem FILHOS DE DEUSES MAIORES que de tudo sabem... entre eles o Marcelo Rebelo de Sousa e Miguel Sousa Tavares com o António Vitorino a caminhar a passos largos para atingir o patamar dos dois seres com maior capacidade intelectual em todo o pais. Percebem de politica, economia, literatura, desportos vários (futebol, rugby, ténis), media, jet set, musica, tabaco, comida, etc... a minha capacidade intelectual ja não é capaz de citar mais temas....
Por isso, meus caros colegas de forum vamos é trabalhar para tentar que este pais evolua o máximo possivel... Quanto ao Socrates esqueçamos o problemazito que está a passar e em vez de o empurrarmos vamos é mante-lo cá que inocente ou não é o menos mau de todos... Um dia se for culpado é fazer justiça, se roubou 5500000 que seja obrigado a por la todos os euros e que sejá punido com a respectiva pena de prisão para o sucedido...
Um abraço.
PS: Sr. Socrates nao de demita...
 
Mensagens: 142
Registado: 29/11/2007 1:59
Localização: bairro

por newtrade » 1/2/2009 22:26

eu nao falei porque tambem me pareceu que era a ironizar , mas não tinha a certeza , mas ai esta a comprovação.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 884
Registado: 12/10/2008 15:57
Localização: Santarém-cartaxo

por tava3 » 1/2/2009 22:40

Claro que estava mas o pessoal fica cego.

angeloandrade

São medidas que ficariam bem a qualquer cor politica.

:)
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 3604
Registado: 3/11/2004 15:53
Localização: Lisboa

por angeloandrade » 1/2/2009 22:46

pois sao...
mas ninguem as toma...
este parece dos poucos politicos com "eles" quase no sitio...
por isso....
 
Mensagens: 142
Registado: 29/11/2007 1:59
Localização: bairro

por keijas » 1/2/2009 23:09

Timbrado10 Escreveu:Desculpem, mas usei um pouco a ironia...!

Por mim nao tenho qualquer duvida que ele esta envolvido.


Evitavas pedir desculpa :!: :!: :!:,que não tinhas
completado o que realmente pretendias exprimir,já tinha percebido....

Só existem duas pessoas que não perceberam....e para
nosso mal,são o sr.Procurador da República e a srª
Procuradora, responsável pelo processo.

Deixa que possamos apreciar a condenação
pela justiça, caso se confirme,na inquisição bastava um "timbrado" para dar a machadada,

Para ti "Timbrado"(e não só)
Por mim nao tenho qualquer duvida que ele esta envolvido.

que deves fazer parte dos partecipantes no acto,pois
não tens dúvidas, aprenta tudo para que isto se resolva depressa, o país não aguenta muito mais tempo esta indefinição. O desemprego aumenta de dia para dia, é necessário tomar medidas e se Sócrates
está manietado por esta situação, que venha outro.

Asim é que o país não pode continuar.

keijas
 
Mensagens: 905
Registado: 17/5/2008 19:41
Localização: ourem

por artista_ » 2/2/2009 0:27

Bom este tópico, não sei se ria se chore...

Não percebo porque é que ele se devia demitir se não for culpado?!

Enfim, este país nem sei porque ponta se lhe pode pegar!???

boa semana para todos

artista
Sugestões de trading, análises técnicas, estratégias e ideias http://sobe-e-desce.blogspot.com/
http://www.gamesandfun.pt/afiliado&id=28
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 16222
Registado: 17/3/2003 22:51
Localização: Almada

por Açor3 » 2/2/2009 11:36

Pedro Santos Guerreiro
Em defesa da defesa de Sócrates
psg@mediafin.pt

--------------------------------------------------------------------------------


O que se está a passar em Portugal é gravíssimo: um julgamento popular ao primeiro-ministro. José Sócrates é inocente, a comunicação social é diligente, a Justiça é delinquente. Até prova em contrário, todas as provas são a favor dessa sentença.


Os portugueses estão sedentos de Justiça, desconfiam dos seus políticos, iram-se com os banqueiros, tresanda a corrupção. E esse é o contexto ideal para a manipulação das massas, para os apedrejamentos públicos, para uma qualquer forma de justiça popular que é, em si mesma, a negação da Justiça. Como escrevia Joseph Conrad no prodigioso "O Agente Secreto", o homem "não é um animal investigador. Adora o óbvio. Evita explicações." Venera condenações.

O mais fácil é entrar no festival alucinante do "cheira a esturro", "onde há fumo há fogo" para aqui, "a mulher de César" para ali e outras formas sonsas de acusar sem se comprometer. O Caso Freeport não é um invento político nem um intento mediático. Mas o dessegredo do processo é um reconhecimento prévio de que a Justiça desistiu do seu papel. Só quem não acredita num julgamento nos tribunais opta por fazê-lo pelas próprias mãos do povo. O público é incompetente para julgar. A divisão de um País entre os que condenam e os que ilibam o primeiro-ministro é uma perversão social. A entrevista em que Sócrates contestou as suspeitas sobre as suas habilitações literárias foi, então, um momento que cobriu o País de ridículo. Preparamo-nos para repeti-lo?

Quatro milhões de euros saíram de Inglaterra para, suspeita-se, pagar "luvas" para um licenciamento em Alcochete; esse licenciamento teve aprovação supersónica, três dias antes do fim de um mandato governamental. Há gravações de conversas, empresas criadas e mortas num ápice, cartas rogatórias pedindo acesso a contas bancárias. Tudo isto é verdade e, ao contrário do papel deplorável a que se prestou no Caso Casa Pia, a comunicação social está a noticiar os passos e os factos. Mesmo que as fugas de informação sejam selectivas (são-no sempre), os factos noticiados são relevantes. E o dever de informação, que nos leva por instinto a desafiar o segredo de Justiça, não significa desprezar a presunção de inocência.

Já tivemos um Presidente da República sob escuta; um líder partidário reformado compulsivamente por alegadas suspeições de indícios de ligações ao Caso Casa Pia. Agora temos um primeiro-ministro suspeito de ser suspeito, buscas em directo na TV a escritórios de advogados e de arquitectos, uma total incapacidade de se clarificar se está ou não envolvida no Caso Freeport a pessoa com mais poder em Portugal, que entretanto se deita numa câmara ardente de apedrejamento público.

O financiamento partidário é um cancro da democracia. Há interesses políticos obscuros no caso BPN, as aprovações aos casos Siresp ou Casino de Lisboa por governos de gestão criam um clima pestilento. Mas não é assim que se combate a corrupção, que existe e grassa. Não é denunciando tudo, como Marinho Pinto em tempos fez, que se consegue mais que nada. Pelo contrário: deitando corpos para a fogueira mediática vamos cobrindo os fautores, corruptores e criminosos que os tribunais não conseguem condenar. Isso não é justiça, é um espectáculo.

Se o processo está descontrolado, a manipulação parece controlada. O primeiro-ministro pode sair mal ou, até, sair vítima deste processo. Mas pisa terreno minado. Como disse César, que tinha uma mulher que tinha de parecer o que era, "é impossível não acabar sendo como os outros acreditam que você é".

Jornal Negócios
Na bolsa só se perde dinheiro.Na realidade só certos Iluminados com acesso a informação privilegiada aproveitam-se dos pequenos investidores para lhes sugarem o dinheiro.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 3639
Registado: 13/6/2004 20:52
Localização: Lisboa

por Açor3 » 2/2/2009 11:39

Camilo Lourenço
Sócrates e o País em banho-maria
camilolourenco@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------


Quem tiver visto o debate quinzenal no Parlamento percebeu que o primeiro-ministro estava visivelmente afectado pelo caso Freeport (deve ter sido o seu pior debate). Como se viu ao não admitir o erro relativamente ao alegado relatório da OCDE sobre a Educação em Portugal e quando envolveu Guilherme Silva na assinatura, com Espanha, do acordo para o TGV.


Com a declaração de ontem, Sócrates afastou as dúvidas que sobre si recaem? É duvidoso. Não acrescentou nada de novo ao que havia dito no fim-de-semana (excepto, talvez, no facto de a Procuradoria ter anunciado que as investigações se reportam a factos de 2005) e, na conferência de imprensa, cometeu um deslize: limitou as perguntas dos jornalistas. Foi um erro de palmatória. Porque o debate é onde Sócrates está como peixe na água. Veja-se, por exemplo, a diferença de eficácia entre a primeira e a segunda parte da intervenção de ontem: começou tenso e distendeu-se quando chegou às perguntas dos jornalistas.

Sócrates precisava de ter aproveitado a declaração de ontem para fazer um contra-ataque fulminante contra quem o acusa. Não o conseguiu. Com isso pode ter dado espaço para que o pântano, entretanto instalado, se agrave. Sabendo-se que a crise económica é profunda e que o País precisa de liderança forte, esta situação é preocupante. É que o primeiro-ministro devia estar concentrado nas soluções para a crise e não a defender-se de acusações.

Jornal Negócios
Na bolsa só se perde dinheiro.Na realidade só certos Iluminados com acesso a informação privilegiada aproveitam-se dos pequenos investidores para lhes sugarem o dinheiro.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 3639
Registado: 13/6/2004 20:52
Localização: Lisboa

Caius Julius Caesar Imperador Romano

por regresso do profeta » 2/2/2009 13:17

Há nos confins da Ibéria um povo que nem se governa,nem se deixa governar.(Caius Julius Caesar 100 -40 AC).

Ps:Impressionante como já diziam isto de nós à mais de 2050 anos.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 145
Registado: 29/11/2007 12:28
Localização: 14

Re: Caius Julius Caesar Imperador Romano

por mais_um » 2/2/2009 13:50

regresso do profeta Escreveu:Há nos confins da Ibéria um povo que nem se governa,nem se deixa governar.(Caius Julius Caesar 100 -40 AC).

Ps:Impressionante como já diziam isto de nós à mais de 2050 anos.


Isso só mostra que:

a)Não evoluimos em 2050 anos
b)Somos coerentes
c)Os problemas do ensino em Portugal já vem de longe
d)Estamos geneticamente preparados para viver no caos
e)Para enfrentar a situação actual da economia mundial, temos uma grande vantagem em relação aos restante povos do planeta, já que temos uma larga experiencia em viver sobre os efeitos da crise
f)Há 2050 anos assassinaram o nosso grande lider para nos dominar, algo que se está a repetir novamente... :mrgreen: :mrgreen:

Bom almoço... :P :P

Alexandre Santos
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 6514
Registado: 14/11/2008 0:48
Localização: Lisboa

por rmachado » 2/2/2009 15:58

Timbrado10 Escreveu:Desculpem, mas usei um pouco a ironia...!

Por mim nao tenho qualquer duvida que ele esta envolvido.


[Modo Piada]
Ok, parece que pertences a escola Irónica da MFL (vulgo Manuela Ferreira Leite).
[/Modo Piada]
 
Mensagens: 2125
Registado: 24/8/2004 10:42
Localização: Carregado

por tava3 » 2/2/2009 16:08

"Não evoluímos em 2050 anos"

A culpa é do socras, aquele socras...

:wink:
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 3604
Registado: 3/11/2004 15:53
Localização: Lisboa

por antsantos » 2/2/2009 16:19

Eu acho que deviamos de trazer para cá aquela lei do Hugo Chavez que chumbou no ano passado e aplicá-la, dar assim poder eterno ao Zezinho, a ver no que dava, ficavamos era com um peso enorme perante os nossos netos, mas aquela dos 2050 anos deixava de se arrastar eternamente.
 
Mensagens: 58
Registado: 23/10/2008 1:02
Localização: 5

Próximo

Quem está ligado: