Outros sites Cofina
Caldeirão da Bolsa

Políticas para Portugal

Espaço dedicado a todo o tipo de troca de impressões sobre os mercados financeiros de uma forma genérica e a todo o tipo de informação útil que possa condicionar o desempenho dos mesmos

Moderadores: Pata-Hari, Ulisses Pereira, MarcoAntonio

Re: Políticas para Portugal

por mais_um » 31/8/2022 21:34

NirSup Escreveu:
mais um Escreveu:Se alguém está equivocado aqui és tu, provavelmente nunca fostes a um espectaculo ou evento desportivo, os bilhetes têm o valor impresso e vender a um preço superior ao que está impresso é que é ilegal ou crime, depende da legislação. Mas pergunta ao google. :lol

Será um crime sem castigo?
Muitos apregoam aos 7 ventos que é crime. E eu pergunto: cadê os condenados?
E ninguém diz nada.

By Nirvana


Se perguntasses ao Google tinhas a resposta... :lol: :lol:

Especuladores da Champions condenados a multas ou trabalho comunitário


https://www.jn.pt/justica/especuladores ... 70212.html


Nirsup, não é nada pessoal, a minha brincadeira acaba aqui. :wink:
"Só duas coisas são infinitas, o universo e a estupidez humana. Mas no que respeita ao universo ainda não tenho a certeza" Einstein
“Com os actuais meios de acesso à informação, a ignorância não é uma fatalidade, mas uma escolha pessoal" Eu
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 8059
Registado: 14/11/2008 0:48
Localização: Lisboa

Re: Políticas para Portugal

por NirSup » 31/8/2022 22:24

Caro mais_um,
Mas o que é que tem a ver o c* com as calças?
Estamos a falar da revenda por particulares (não comerciantes) de bilhetes para um espetáculo musical e colocas aqui um caso com 5 anos de plataformas de venda digital ilegal?
Mas o que é que tem a ver uma coisa com a outra?
Francamente.
Não vou continuar a dar esmola para este peditório com pessoas com notório deficit cognitivo.

As quatro pessoas detidas pela ASAE por gerirem plataformas eletrónicas de venda ilegal de bilhetes para o Benfica-Borussia de Dortmund desta terça-feira, foram julgadas em sumário esta quarta-feira e condenadas a multas ou, em alternativa, trabalho comunitário.

By Nirvana

Em tempo: e já agora onde está aqui o crime de especulação (que é isso que se discute)?
Why 99% of the technical analysis you guys see on the internet is complete bullshit? ( r/wallstreetbets)
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 3810
Registado: 29/4/2014 15:34

Re: Políticas para Portugal

por rg7803 » 31/8/2022 22:46

Marco Martins Escreveu:Já que falaram no concerto dos coldplay e da necessidade de um regulador intervir, poderia também ser acrescentado que toda a banda deveria estar sujeita a testes anti doping, drogas ou álcool.
Mesmo que esta banda esteja limpa existem muitas que não o estão e passam essa imagem para o público de uma forma decadente (recordo-me por exemplo do concerto da winehouse, que teve de ser levada ao colo para o palco).
Mas independentemente disso, como em qualquer profissão, nos espectáculos, deveria haver um controlo maior.



Marco de que buraco é que saíste?
Penso que estejas na galhofa ... só pode.
Esse comentário é a coisa mais estúpida, imbecil e cretina que li aqui em muito tempo. E no Caldeirão o que não falta em tempos mais recentes são comentários, frases, alusões, declarações etc tristes, imbecis e despropositadas devido à pouca disponibilidade da moderação.
Se for humor ... estás de parabéns :D!
“Buy high, sell higher...”.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 4011
Registado: 1/5/2008 23:09
Localização: Almada.

Re: Políticas para Portugal

por mais_um » 31/8/2022 23:20

NirSup Escreveu:Caro mais_um,
Mas o que é que tem a ver o c* com as calças?
Estamos a falar da revenda por particulares (não comerciantes) de bilhetes para um espetáculo musical e colocas aqui um caso com 5 anos de plataformas de venda digital ilegal?
Mas o que é que tem a ver uma coisa com a outra?
Francamente.
Não vou continuar a dar esmola para este peditório com pessoas com notório deficit cognitivo.

As quatro pessoas detidas pela ASAE por gerirem plataformas eletrónicas de venda ilegal de bilhetes para o Benfica-Borussia de Dortmund desta terça-feira, foram julgadas em sumário esta quarta-feira e condenadas a multas ou, em alternativa, trabalho comunitário.

By Nirvana

Em tempo: e já agora onde está aqui o crime de especulação (que é isso que se discute)?


Qual é a parte do português que não percebes?

Domingos Urbano Antunes, inspetor-diretor da Unidade Nacional de Informações e Investigação Criminal da ASAE, afirmou, ao JN, que "estas detenções só foram possíveis graças a um demorado e paciente trabalho de investigação, que passou por muita vigilância" e alertou para a necessidade de os "consumidores evitarem a aquisição de bilhetes acima do seu valor oficial, uma vez que essa venda constitui um crime de especulação punido com pena de prisão até 3 anos".


Se fizesses aquilo que dizes aos outros para fazer, perguntar ao google e perceberes português, saberias que é crime vender bilhetes acima do preço facial, independentemente se é particular ou não. Neste caso eram particulares que utilizavam uma plataforma digital, não eram uma empresa :lol: . Os problemas cognitivos não são seguramente meus. Quando aprenderes a falar português continuamos a conversa.

Um indivíduo de Paços de Ferreira foi detido pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) por estar a vender bilhetes para o concerto dos U2 com lucros na ordem dos 200%.
A detenção ocorreu numa operação desencadeada pela autoridade numa ação de vigilância online, realizada pela Unidade Nacional de Informações e Investigação Criminal, para o combate à especulação e combate ao mercado negro de venda de bilhetes, apanhando 10 indivíduos nesta prática ilegal, sendo um deles residente no concelho. “Até ao momento, foram detidos 10 indivíduos, em flagrante delito, em vários pontos do país, designadamente, nas cidades de Lisboa, Moita, Odivelas, Paços de Ferreira, Vila Nova de Gaia, Viana do Castelo, Matosinhos e Benedita, pela prática do Crime de Especulação, sobre o valor de venda oficial de bilhetes para os concertos”, referiu a ASAE, em comunicado.
Foram ainda apreendidos 26 bilhetes para o concerto, entre os 37 e os 200 euros, e que estavam a ser transacionados entre os 150 e 400 euros.https://www.imediato.pt/pacos-de-ferrei ... os-de-200/


Mas já que tens dificuldades com o português talvez consigas chegar lá com o inglês... :lol:

(em França)
Can I resell my ticket ?

In accordance with the law of June 27, 1919, you can occasionally resell your tickets at a price less than or equal to their face value - except when the show is subject to specific provisions specifying that the tickets are strictly nominative and non-transferable.

French law authorizes individuals to resell events tickets, on an exceptional basis, for example following an impossibility to go to the performance.

In accordance with article 313-6-2. of the criminal code relating to resale in the usual way: "The act of selling, offering for sale or exposing with a view to sale or transfer or providing the means for the sale or transfer access tickets to a sporting, cultural or commercial event or to a live show, in the usual way and without the authorization of the producer, organizer or owner of the exploitation rights of this event or this show, is punished by a fine of €15,000. This penalty is increased to a fine of €30,000 in the event of a repeat offence."
"Só duas coisas são infinitas, o universo e a estupidez humana. Mas no que respeita ao universo ainda não tenho a certeza" Einstein
“Com os actuais meios de acesso à informação, a ignorância não é uma fatalidade, mas uma escolha pessoal" Eu
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 8059
Registado: 14/11/2008 0:48
Localização: Lisboa

Re: Políticas para Portugal

por MarcoAntonio » 1/9/2022 2:10

Caros, a discussão não pode continuar nestes termos.

Nirsup, pedes condenações em tribunal, quando te apresentam condenações, já não serve. Talvez fosse mais fácil aceitar que também te equivocas, não? O que estás a fazer é conhecido como "moving the goal post" (de cada vez que te mostram que estás errado numa coisa, crias um novo requisito e o problema passa a ser outro). Seja como for, a discussão não pode continuar assim...
Bons Negócios,
Marco Antonio
Caldeirão de Bolsa

FLOP - Fundamental Laws Of Profit


1. Mais vale perder um ganho que ganhar uma perda, a menos que se cumpra a Segunda Lei.
2. A expectativa de ganho deve superar a expectativa de perda, onde a expectativa mede a
....amplitude média do ganho/perda contra a respectiva probabilidade.
3. A Primeira Lei não é mesmo necessária mas com Três Leis isto fica definitivamente mais giro.
Avatar do Utilizador
Administrador Fórum
 
Mensagens: 36861
Registado: 4/11/2002 22:16
Localização: Vilar do Paraíso


Re: Políticas para Portugal

por Marco Martins » 1/9/2022 14:12

 
Mensagens: 6064
Registado: 7/4/2007 17:13
Localização: Algarve

Re: Políticas para Portugal

por Opcard » 1/9/2022 14:49

Na última edição do expresso hà o artigo do Ricardo Reis que justifica o preço do jornal .

Eu tenho dúvidas se haverá políticas para Portugal para sair desta situação , parte da Europa parou só que os outros pararam lá em cima.


« Está semana, o economista Tiago Tavares fez a seguinte observação nas redes sociais: se Portugal tivesse crescido nos últimos 20 anos ao ritmo a que cresceu nos seis anos anteriores (entre 1995 a 2001), nesta altura seríamos tão ricos como a Holanda. Não porque o final do século XX tenha sido uma época dourada na economia portuguesa, antes pelo contrário, mas porque o desempenho económico tem sido tão medíocre no século XXI até agora. No entanto, e apesar de tantos escreverem sobre isto há mais de uma década, continua a faltar um sentido de urgência no Estado ou nos debates públicos acerca deste desastre. O Governo anterior ganhou muitos votos com uma agenda focada em reverter as reformas do Executivo que tinha substituído; o Governo atual já está no poder há seis meses e, apesar de todas as promessas, continua sem anunciar uma verdadeira reforma cuja intenção seja abanar a economia.

Talvez a razão para esta indiferença seja uma aversão aos números do PIB real per capita. A riqueza de um país resulta de milhões de ações e decisões tomadas todos os dias. É fácil acreditar que o resultado final “é o que tiver de ser”. Para perceber se as pessoas estão afinal contentes ou desiludidas com o país, um bom princípio de economia é o da “preferência revelada”: olhar para as suas escolhas, porque estas vão refletir aquilo que elas verdadeiramente preferem. Da perspetiva de um indivíduo, a principal escolha sobre o seu país é se decide viver nele. Emigrar não é fácil e custa muito estar longe da família e viver numa cultura que não é a nossa.

Em 2020, as Nações Unidas compilaram novos dados sobre a emigração, que foram analisados para o nosso país no “Relatório da Emigração” preparado pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas. Na década entre 2011 e 2020 saíram de Portugal 992 mil portugueses, dos quais pelo menos 400 mil de forma permanente. Metade destes saíram nos últimos seis anos, ou seja, os anos da troika são responsáveis por só metade das saídas. Em 2019, a ONU estima que há 2,6 milhões de pessoas que nasceram em Portugal e que vivem hoje no estrangeiro. Para o tamanho do nosso país, é um número avassalador.

Se os números absolutos não o assustam, talvez as comparações ajudem. Com um rácio de emigrantes para residentes de 0,26, Portugal está no oitavo lugar do mundo. Acima de nós estão países cuja população fugiu à guerra e à opressão (Arménia, Bósnia, Palestina e Síria), fugiu de desastres naturais (Porto Rico) ou um país cujas fronteiras foram redesenhadas (Macedónia do Norte). O único comparável com Portugal é a Albânia: de lá também se foge da falta de perspetivas económicas. As grandes mensagens do Presidente da República (“somos os maiores”) ou do primeiro-ministro (“estamos no caminho certo”) recolhem palmas quando eles as repetem em eventos públicos. Mas as pessoas que aplaudiram, quando mais tarde chegam a casa, fazem as malas e vão-se embora.

Código: Selecionar todos
As pessoas fogem da vossa liderança e governação ao mesmo ritmo que fugiam da Guerra Colonial


Comparando antes no tempo, no último século em Portugal só saiu 10% ou mais da população durante uma década nos anos 60. Senhores Presidente e primeiro-ministro, desculpem-me a brutalidade, mas é preciso um abano: as pessoas fogem da vossa liderança e governação ao mesmo ritmo que fugiam da Guerra Colonial.

Neste verão consegui, como habitual, viajar um pouco por Portugal. Em Lisboa ou no Porto, as residências nas zonas nobres e centrais estão cada vez mais ocupadas por estrangeiros reformados. No litoral norte alentejano florescem os empreendimentos com casas de férias (logo vazias a maior parte do ano) destinados ao mercado internacional. À volta de Bragança, Guimarães ou Fundão descobri terrenos comprados por imigrantes que estabelecem comunidades autossus­tentáveis, retiros de ioga e outras atividades meritórias que contribuem aproximadamente zero para o emprego e para a riqueza local. Para pagar dívidas passadas e consumos presentes, os portugueses que ficaram no país vendem hoje os terrenos que eram das famílias e tornam-se caseiros das casas onde cresceram.

Mas não é isto Portugal a transformar-se na “Florida da Europa”? Não. Há 30 anos, a Florida era um estado adormecido onde os americanos se reformavam. Mas desde então tem sido dos estados mais dinâmicos e aguerridos a atrair empresas e profissionais e a privilegiar o crescimento económico, reduzindo regulações e impostos. Na última década foi o estado americano com maior crescimento da população e tornou-se a 15ª maior economia do mundo. Há muito a criticar e a não querer imitar na Florida, mas quer nas políticas quer nos resultados Portugal tem caminhado na direção oposta ao estado do sul dos EUA.

Há pouco menos de um ano, eu era um dos poucos otimistas acerca de Portugal. O mundo estava a mudar numa direção que nos favorecia, com o trabalho à distância que reduz os custos de periferia, a transição energética para longe dos combustíveis fósseis que não temos e o financiamento do PRR a suprir a nossa falta de capital. Discutiu-se crescimento económico nos debates eleitorais, e a sociedade civil, via FFMS, Gulbenkian e Sedes, ofereceu roteiros de reformas e políticas para o novo Governo escolher. Mas, o verão está a chegar ao fim, a janela de oportunidade está a fechar-se, e o progresso é muito pouco. »
 
Mensagens: 3580
Registado: 14/3/2009 0:19
Localização: 16

Re: Políticas para Portugal

por Marco Martins » 1/9/2022 16:10

Opcard Escreveu:Na última edição do expresso hà o artigo do Ricardo Reis que justifica o preço do jornal .

Eu tenho dúvidas se haverá políticas para Portugal para sair desta situação , parte da Europa parou só que os outros pararam lá em cima.


« Está semana, o economista Tiago Tavares fez a seguinte observação nas redes sociais: se Portugal tivesse crescido nos últimos 20 anos ao ritmo a que cresceu nos seis anos anteriores (entre 1995 a 2001), nesta altura seríamos tão ricos como a Holanda. Não porque o final do século XX tenha sido uma época dourada na economia portuguesa, antes pelo contrário, mas porque o desempenho económico tem sido tão medíocre no século XXI até agora. No entanto, e apesar de tantos escreverem sobre isto há mais de uma década, continua a faltar um sentido de urgência no Estado ou nos debates públicos acerca deste desastre. O Governo anterior ganhou muitos votos com uma agenda focada em reverter as reformas do Executivo que tinha substituído; o Governo atual já está no poder há seis meses e, apesar de todas as promessas, continua sem anunciar uma verdadeira reforma cuja intenção seja abanar a economia.

Talvez a razão para esta indiferença seja uma aversão aos números do PIB real per capita. A riqueza de um país resulta de milhões de ações e decisões tomadas todos os dias. É fácil acreditar que o resultado final “é o que tiver de ser”. Para perceber se as pessoas estão afinal contentes ou desiludidas com o país, um bom princípio de economia é o da “preferência revelada”: olhar para as suas escolhas, porque estas vão refletir aquilo que elas verdadeiramente preferem. Da perspetiva de um indivíduo, a principal escolha sobre o seu país é se decide viver nele. Emigrar não é fácil e custa muito estar longe da família e viver numa cultura que não é a nossa.

Em 2020, as Nações Unidas compilaram novos dados sobre a emigração, que foram analisados para o nosso país no “Relatório da Emigração” preparado pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas. Na década entre 2011 e 2020 saíram de Portugal 992 mil portugueses, dos quais pelo menos 400 mil de forma permanente. Metade destes saíram nos últimos seis anos, ou seja, os anos da troika são responsáveis por só metade das saídas. Em 2019, a ONU estima que há 2,6 milhões de pessoas que nasceram em Portugal e que vivem hoje no estrangeiro. Para o tamanho do nosso país, é um número avassalador.

Se os números absolutos não o assustam, talvez as comparações ajudem. Com um rácio de emigrantes para residentes de 0,26, Portugal está no oitavo lugar do mundo. Acima de nós estão países cuja população fugiu à guerra e à opressão (Arménia, Bósnia, Palestina e Síria), fugiu de desastres naturais (Porto Rico) ou um país cujas fronteiras foram redesenhadas (Macedónia do Norte). O único comparável com Portugal é a Albânia: de lá também se foge da falta de perspetivas económicas. As grandes mensagens do Presidente da República (“somos os maiores”) ou do primeiro-ministro (“estamos no caminho certo”) recolhem palmas quando eles as repetem em eventos públicos. Mas as pessoas que aplaudiram, quando mais tarde chegam a casa, fazem as malas e vão-se embora.

Código: Selecionar todos
As pessoas fogem da vossa liderança e governação ao mesmo ritmo que fugiam da Guerra Colonial


Comparando antes no tempo, no último século em Portugal só saiu 10% ou mais da população durante uma década nos anos 60. Senhores Presidente e primeiro-ministro, desculpem-me a brutalidade, mas é preciso um abano: as pessoas fogem da vossa liderança e governação ao mesmo ritmo que fugiam da Guerra Colonial.

Neste verão consegui, como habitual, viajar um pouco por Portugal. Em Lisboa ou no Porto, as residências nas zonas nobres e centrais estão cada vez mais ocupadas por estrangeiros reformados. No litoral norte alentejano florescem os empreendimentos com casas de férias (logo vazias a maior parte do ano) destinados ao mercado internacional. À volta de Bragança, Guimarães ou Fundão descobri terrenos comprados por imigrantes que estabelecem comunidades autossus­tentáveis, retiros de ioga e outras atividades meritórias que contribuem aproximadamente zero para o emprego e para a riqueza local. Para pagar dívidas passadas e consumos presentes, os portugueses que ficaram no país vendem hoje os terrenos que eram das famílias e tornam-se caseiros das casas onde cresceram.

Mas não é isto Portugal a transformar-se na “Florida da Europa”? Não. Há 30 anos, a Florida era um estado adormecido onde os americanos se reformavam. Mas desde então tem sido dos estados mais dinâmicos e aguerridos a atrair empresas e profissionais e a privilegiar o crescimento económico, reduzindo regulações e impostos. Na última década foi o estado americano com maior crescimento da população e tornou-se a 15ª maior economia do mundo. Há muito a criticar e a não querer imitar na Florida, mas quer nas políticas quer nos resultados Portugal tem caminhado na direção oposta ao estado do sul dos EUA.

Há pouco menos de um ano, eu era um dos poucos otimistas acerca de Portugal. O mundo estava a mudar numa direção que nos favorecia, com o trabalho à distância que reduz os custos de periferia, a transição energética para longe dos combustíveis fósseis que não temos e o financiamento do PRR a suprir a nossa falta de capital. Discutiu-se crescimento económico nos debates eleitorais, e a sociedade civil, via FFMS, Gulbenkian e Sedes, ofereceu roteiros de reformas e políticas para o novo Governo escolher. Mas, o verão está a chegar ao fim, a janela de oportunidade está a fechar-se, e o progresso é muito pouco. »


Muito bom artigo!
Portugal tem de acordar para a realidade e ser realista naquilo que quer e como o quer fazer.
E os políticos têm um papel muito importante aqui, pois são eles que devem orientar o caminho, as dificuldades e os objetivos!!

Provavelmente temos de definir 5 grandes objectivos e mudar tudo em função disso.
 
Mensagens: 6064
Registado: 7/4/2007 17:13
Localização: Algarve

Re: Políticas para Portugal

por Masterchief » 2/9/2022 10:06

Pensionistas vão ter bónus ainda este ano
Mexidas no IRS, no IVA de alguns produtos, apoios para as famílias mais pobres e um extra para as pensões. O Governo está a ultimar um pacote de 2 mil milhões de euros para travar as perdas de rendimento das famílias. Medidas são temporárias, mas podem pesar em 2023.

É assim que se ganham eleições.

Não é que as reformas não devam acompanhar, ou até mais, a inflação. Mas se calhar nesta altura há outras medidas prioritárias tal como a energia, a saúde, a economia, etc.
Mas lá está, prioridades para o governo não é governar o país, é manter os seus principais eleitores satisfeitos. Dá com uma mão e retira com a outra mas o que interessa é o que se dá. O resto não é culpa deles. É a conjuntura económica, é a guerra, é...
 
Mensagens: 452
Registado: 29/11/2007 2:53
Localização: V.N.Gaia

Re: Políticas para Portugal

por NirSup » 2/9/2022 22:56

A Guerra do Alecrim e da Mangerona

Está instalada a guerra entre quem defende que há crime de especulação e quem defende que não há crime de especulação.
Então eu tenho uma nota de 10 euros que, por qualquer razão, virou uma raridade e não a posso vender pelo dobro do preço?
Claro que posso (apesar de indicar que apenas vale 10 euros). Desde que não engane ninguém por que não?
Mas se for um bilhete de um espetáculo musical já não posso?

Os advogados acham que não há crime de especulação. A ASAE, por dever de ofício, diz que há crime.
E o que fazem as autoridades judiciais e judiciárias?
Chutam para canto. Respondem nim.
País ridículo. Somos um país ridículo.
By Nirvana
Why 99% of the technical analysis you guys see on the internet is complete bullshit? ( r/wallstreetbets)
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 3810
Registado: 29/4/2014 15:34

Re: Políticas para Portugal

por BearManBull » 4/9/2022 14:37

A UE cada vez mais asfixiada na paranoia socialista. Combate-se a inflação, com despesismo e estimulo ao consumo.... :wall:

Governo vai eliminar a sobrexata no preço da eletricidade destinada a financiar as energias renováveis e dar uma bonificação única de 100 euros por criança.



Os dois primeiros pacotes, que totalizam 30 mil milhões de euros, incluíam, entre outros benefícios para os cidadãos, um subsídio de transporte público com bilhetes a nove euros por mês que permitem viajar por toda a Alemanha e um desconto em combustível, limitado a três meses, que terminou em agosto.


Alguém será capaz de meter na cabecita desta gente que a inflação é um problema de excesso de procura e falta de oferta.
“It is not the strongest of the species that survives, nor the most intelligent, but rather the one most adaptable to change.”
― Leon C. Megginson
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 6603
Registado: 15/2/2011 11:59
Localização: 22

Re: Políticas para Portugal

por Marco Martins » 5/9/2022 9:15

NirSup Escreveu:A Guerra do Alecrim e da Mangerona

Está instalada a guerra entre quem defende que há crime de especulação e quem defende que não há crime de especulação.
Então eu tenho uma nota de 10 euros que, por qualquer razão, virou uma raridade e não a posso vender pelo dobro do preço?
Claro que posso (apesar de indicar que apenas vale 10 euros). Desde que não engane ninguém por que não?
Mas se for um bilhete de um espetáculo musical já não posso?

Os advogados acham que não há crime de especulação. A ASAE, por dever de ofício, diz que há crime.
E o que fazem as autoridades judiciais e judiciárias?
Chutam para canto. Respondem nim.
País ridículo. Somos um país ridículo.
By Nirvana


Depende um pouco do contexto.
De certa forma tens razão, contudo se considerares que uma pessoa aquire todas as notas de 10€ disponíveis e depois as vende por 20€, isso já será especulação.
 
Mensagens: 6064
Registado: 7/4/2007 17:13
Localização: Algarve

Re: Políticas para Portugal

por BearManBull » 5/9/2022 17:30

Nesse caso, acho que o Governo tem de fazer obrigatoriamente outra coisa: compensar os senhorios, seja por via fiscal, seja por outra via. Doutra forma, pode travar o mercado de arrendamento, fazendo que surjam menos casas para arrendar. Tem de haver equilíbrio: defender os inquilinos sem penalizar os senhorios.


Os senhorios donos da faca, do queijo têm de ser protegidos...

Neste país vai tudo sempre no sentido de proteger poderes instalados.

Ainda gostava que me explica-se como impedir uma subida absurda dos preços já abusivos praticados na exploração de inquilinos , poderia afetar o mercado.

MM nenhum proprietário vai deixar de alugar uma propriedade se tiver possibilidade disso, senão vai perder dinheiro. Esse argumento é uma batata socialista.

Os alugueres deviam estar impedidos de seguir a inflação. Não tem coerência nenhuma, porque a inflação pode ser de 10% e os inquilinos podem não terem aumentado os rendimentos...
“It is not the strongest of the species that survives, nor the most intelligent, but rather the one most adaptable to change.”
― Leon C. Megginson
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 6603
Registado: 15/2/2011 11:59
Localização: 22

Re: Políticas para Portugal

por Marco Martins » 5/9/2022 18:22

BearManBull Escreveu:
Nesse caso, acho que o Governo tem de fazer obrigatoriamente outra coisa: compensar os senhorios, seja por via fiscal, seja por outra via. Doutra forma, pode travar o mercado de arrendamento, fazendo que surjam menos casas para arrendar. Tem de haver equilíbrio: defender os inquilinos sem penalizar os senhorios.


Os senhorios donos da faca, do queijo têm de ser protegidos...

Neste país vai tudo sempre no sentido de proteger poderes instalados.

Ainda gostava que me explica-se como impedir uma subida absurda dos preços já abusivos praticados na exploração de inquilinos , poderia afetar o mercado.

MM nenhum proprietário vai deixar de alugar uma propriedade se tiver possibilidade disso, senão vai perder dinheiro. Esse argumento é uma batata socialista.

Os alugueres deviam estar impedidos de seguir a inflação. Não tem coerência nenhuma, porque a inflação pode ser de 10% e os inquilinos podem não terem aumentado os rendimentos...


Mas os senhorios também são afectados pela inflacção!
Por exemplo, a minha tia (já tem 93 anos) tem duas casas alugadas (com rendas baixas vitalicias por cerca de 80€ e 40€ mensais).
Numa das casas tem de fazer um reboco que lhe custará 2000€ !!! Como é que com estas rendas, ela consegue fazer uma manutenção do que quer que seja!!!
Com as rendas, nunca vai recuperar o valor da obra e para vender a casa não lhe dão quase nada devido à renda vitalícia!

Discordo com o aumento abusivo das rendas, onde por vezes se vê alugueres de pocilgas como se fossem hoteis de 5 estrelas, contudo existem situações que também só penalizam os senhorios.
 
Mensagens: 6064
Registado: 7/4/2007 17:13
Localização: Algarve

Re: Políticas para Portugal

por BearManBull » 6/9/2022 0:00

Marco Martins Escreveu:Por exemplo, a minha tia (já tem 93 anos) tem duas casas alugadas (com rendas baixas vitalicias por cerca de 80€ e 40€ mensais).
Numa das casas tem de fazer um reboco que lhe custará 2000€ !!! Como é que com estas rendas, ela consegue fazer uma manutenção do que quer que seja!!!
Com as rendas, nunca vai recuperar o valor da obra e para vender a casa não lhe dão quase nada devido à renda vitalícia!


Nem 8 nem 80. Esses contractos obviamente que são inviáveis.
“It is not the strongest of the species that survives, nor the most intelligent, but rather the one most adaptable to change.”
― Leon C. Megginson
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 6603
Registado: 15/2/2011 11:59
Localização: 22

Re: Políticas para Portugal

por Marco Martins » 6/9/2022 9:14

https://www.jornaldenegocios.pt/economia/financas-publicas/detalhe/costa-explica-que-nao-anunciou-antes-medidas-porque-so-agora-e-possivel-avaliar-impactos

Acho interessante anunciarem medidas, apenas porque no resto da europa as começaram a anunciar.... e mesmo assim, ainda vão anunciar mais medidas ao longo da semana!!!

Podem até ser boas medidas... mas parece-me tudo um pouco em cima do joelho, apenas porque os outros o fizeram!!!

As medidas têm por finalidade ser apenas um analgésico onde todos os problemas de fundo continuam existentes e sem combate? Se sim, estaremos no caminho certo...

Certamente os mais desfavorecidos precisam de uma protecção maior... mas não pode ser com medidas avulso onde não se sabe como continuarão a ser suportadas!!!
 
Mensagens: 6064
Registado: 7/4/2007 17:13
Localização: Algarve

Re: Políticas para Portugal

por BearManBull » 6/9/2022 9:41

Marco Martins Escreveu:As medidas têm por finalidade ser apenas um analgésico onde todos os problemas de fundo continuam existentes e sem combate? Se sim, estaremos no caminho certo...


Neste momento temos um problema enorme de falta oferta. Os governos deviam fazer exatamente o oposto, reduzir apoios sociais e reduzir impostos ás industrias. Neste contexto a única medida que se preza é a descida do IVA na eletricidade.
“It is not the strongest of the species that survives, nor the most intelligent, but rather the one most adaptable to change.”
― Leon C. Megginson
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 6603
Registado: 15/2/2011 11:59
Localização: 22

Re: Políticas para Portugal

por Caramelo » 6/9/2022 10:10

BearManBull Escreveu:Neste contexto a única medida que se preza é a descida do IVA na eletricidade.
Como dizia o outro, já fizeste as contas :-k :mrgreen:

Em conferência de imprensa, o primeiro-ministro referiu que o Executivo socialista vai pedir à Assembleia da República para que a proposta para reduzir para 6% a taxa atual de 13% do IVA sobre a eletricidade – valor que incide sobre os primeiros 100 kWh de energia elétrica consumidos em cada mês, desde que a potência contratada não supere os 6,9 kVA – seja “agendada e discutida com caráter de urgência para entrar em vigor a partir de 1 de outubro” e até dezembro de 2023.

https://eco.sapo.pt/2022/09/05/iva-da-e ... a-de-fora/
 
Mensagens: 469
Registado: 25/4/2007 21:23
Localização: Lisboa

Re: Políticas para Portugal

por Celsius-reloaded » 6/9/2022 11:08

Caramelo Escreveu:
BearManBull Escreveu:Neste contexto a única medida que se preza é a descida do IVA na eletricidade.
Como dizia o outro, já fizeste as contas :-k :mrgreen:

Em conferência de imprensa, o primeiro-ministro referiu que o Executivo socialista vai pedir à Assembleia da República para que a proposta para reduzir para 6% a taxa atual de 13% do IVA sobre a eletricidade – valor que incide sobre os primeiros 100 kWh de energia elétrica consumidos em cada mês, desde que a potência contratada não supere os 6,9 kVA – seja “agendada e discutida com caráter de urgência para entrar em vigor a partir de 1 de outubro” e até dezembro de 2023.

https://eco.sapo.pt/2022/09/05/iva-da-e ... a-de-fora/


€1.

Isto contado ng acreditaria.
The market gives; The market takes.
 
Mensagens: 2270
Registado: 29/11/2007 2:35
Localização: Coimbra

Re: Políticas para Portugal

por Marco Martins » 6/9/2022 11:30

Celsius-reloaded Escreveu:€1.

Isto contado ng acreditaria.


Então não acreditam? :) Acreditou nisto uma maioria da população :)
 
Mensagens: 6064
Registado: 7/4/2007 17:13
Localização: Algarve

Re: Políticas para Portugal

por caldeirum » 6/9/2022 12:00

Celsius-reloaded Escreveu:
Caramelo Escreveu:
BearManBull Escreveu:Neste contexto a única medida que se preza é a descida do IVA na eletricidade.
Como dizia o outro, já fizeste as contas :-k :mrgreen:

Em conferência de imprensa, o primeiro-ministro referiu que o Executivo socialista vai pedir à Assembleia da República para que a proposta para reduzir para 6% a taxa atual de 13% do IVA sobre a eletricidade – valor que incide sobre os primeiros 100 kWh de energia elétrica consumidos em cada mês, desde que a potência contratada não supere os 6,9 kVA – seja “agendada e discutida com caráter de urgência para entrar em vigor a partir de 1 de outubro” e até dezembro de 2023.

https://eco.sapo.pt/2022/09/05/iva-da-e ... a-de-fora/


€1.

Isto contado ng acreditaria.


100kw x 0,20€ = 20€
se iva 13% = 2.6€
se iva 6% =1.2€
poupança = 1,4€ mês upa upa

Acima de 100kw a taxa está nos 23%. Olha que essa não tocam. Acho que a maioria das casas superam os 100kw por mês.
 
Mensagens: 233
Registado: 14/10/2021 22:31

Re: Políticas para Portugal

por Marco Martins » 6/9/2022 12:12

Não querendo ser mau, mas se a Rússia quiser encostar a UE à parede, o que irá fazer?
Se provocarem a instabilidade no médio oriente e outros países produtores de petróleo... com os preços tão altos para o gás, e com o petróleo a subir aos 200€ teremos um problema enorme e sem qualquer outra possibilidade, teremos de negociar com a Rússia (por muito que isso nos possa custar)...
 
Mensagens: 6064
Registado: 7/4/2007 17:13
Localização: Algarve

Re: Políticas para Portugal

por p3droPT » 6/9/2022 13:00

BearManBull Escreveu:
Os senhorios donos da faca, do queijo têm de ser protegidos...

Neste país vai tudo sempre no sentido de proteger poderes instalados.

Ainda gostava que me explica-se como impedir uma subida absurda dos preços já abusivos praticados na exploração de inquilinos , poderia afetar o mercado.

MM nenhum proprietário vai deixar de alugar uma propriedade se tiver possibilidade disso, senão vai perder dinheiro. Esse argumento é uma batata socialista.



E torna-se por isso mais correto o estado fazer controlo de preços?

Se querem resolver o problema da habitação é simples. Corte-se, nem que seja temporariamente as taxas e taxinhas e tempos de aprovação municipais de projetos residenciais, reduza-se o IVA da construção que asfixia o sector (tenho 2 projetos em standby por falta de rendibilidade aos custos vs proveitos atuais) e observe-se a oferta aumentar brutalmente em 2 a 3 anos. Agora países geridos por advogados com todo o respeito só dá para burocracia em cima de burocracia, é o mindset deles que não conseguem mudar em vez de estar virado para a resolução de problemas.

Marco Martins Escreveu:Então não acreditam? :) Acreditou nisto uma maioria da população :)


Vamos fazer um exercicio... E com o PSD algo seria diferente?

[
Marco Martins Escreveu:Não querendo ser mau, mas se a Rússia quiser encostar a UE à parede, o que irá fazer?
Se provocarem a instabilidade no médio oriente e outros países produtores de petróleo... com os preços tão altos para o gás, e com o petróleo a subir aos 200€ teremos um problema enorme e sem qualquer outra possibilidade, teremos de negociar com a Rússia (por muito que isso nos possa custar)...


Não vai fazer nada e a UE vai ter de ceder até porque o Kremlin sabe bem com o tipo de gente que lida em Bruxelas. É o Charles Michel e a Von der Leyen que vão bater o pé ao Putin e ao Shoigu e o Lavrov? :lol: Quem apoia esta loucura de braço de ferro não pode estar bem. Percebo o racional de luta contra o tipo de regime X mas a realidade é que estamos na mó de baixo.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 1039
Registado: 27/6/2010 23:26

Re: Políticas para Portugal

por Hramos3 » 6/9/2022 13:25

És pensionista e tens uma pensão de 5000€? Toma lá 2500€ extra, e actualizaremos a pensão não tarda.

És trabalhador e ganhas até 2699€ (brutos?) ? Toma lá 125€, e não podemos aumentar salários porque espiral inflacionária.



Depois queixem-se...
Editado pela última vez por Hramos3 em 6/9/2022 13:27, num total de 2 vezes.
 
Mensagens: 409
Registado: 14/6/2011 16:43
Localização: 20

AnteriorPróximo

Quem está ligado:
Utilizadores a ver este Fórum: Google [Bot], HCC1, PAULOJOAO, Qualnhick e 56 visitantes