Outros sites Cofina
  • Notificações
Caldeirão da Bolsa

Uk- libra e o euro- Porquê

Espaço dedicado a todo o tipo de troca de impressões sobre os mercados financeiros de uma forma genérica e a todo o tipo de informação útil que possa condicionar o desempenho dos mesmos

Moderadores: Pata-Hari, Ulisses Pereira, MarcoAntonio

Uk- libra e o euro- Porquê

por xico Xico » 15/2/2010 15:42

Hoje vou lançar este tópico, de algum interesse e que muitos de nós não sabem a resposta.
Convencido, que vou conseguir a resposta, pois este fórum tem uma elevada participação e muitos de vós são formados na área de economia.

Desde a implementação do euro, fiquei sempre com a duvida do porquê que a Inglaterra não aderiu. Ouvia as vezes, que devido á libra ter um valor superior ao euro, tendo sido essa a sua razão, no qual não fiquei nada convencido.

Gostava então saber algumas das vossas opiniões sobre este assunto

Eu não posso adiantar muito mais visto os meus argumentos serem nulos nesta matéria

Agradeço a participação
 
Mensagens: 125
Registado: 23/12/2009 17:45
Localização: 14

por kpt » 15/2/2010 16:05

O argumento de que têm uma moeda forte não é certamente aquele que explica as razões por detrás da não adesão do UK à moeda única, até porque ter uma moeda forte ou fraca pode ser bom ou mau, dependendo muito do contexto em que nos encontramos e das necessidades específicas de cada momento.

A principal razão, a meu entender, é que o UK não quis perder, como naturalmente se percebe, a sua autonomia em termos de política monetária.

Se o UK aderisse ao Euro deixaria de ter uma política monetária própria e consequentemente deixaria de ter não só um grande mecanismo ao dispor de todos os países com moeda própria, a que se dá o nome de protecção cambial, bem como deixaria de poder controlar de forma directa as taxas de juro e a inflação.

Como se percebe, não ter uma moeda própria implica não ter controlo sobre a própria política monetária (seja com objectivos cambiais, seja com objectivos de (des)incentivar o crédito via taxa de juro, controlar inflação).

Como uma grande potência que é, o UK não quis deixar de ter essa autonomia ou, muitas das suas eventuais aspirações e objectivos poderiam ser postos em causa.

Podemos também perguntar. Então porque é que a Alemanha e a França aderiram? Bom, o BCE, bem ou mal, acaba por ser dirigido pelos interesses Alemães e Franceses, pelo que no fundo estes dois países acabaram por dividir a 2 a sua política monetária.

O mais pequenos juntaram-se porque teriam mais a ganhar do que a perder.
 
Mensagens: 1131
Registado: 11/5/2007 23:19
Localização: Lx

por xtech » 15/2/2010 16:08

Porque o Euro é planeado e dominado pela dupla franco-alemã... que seguem um modelo diferente da economia britânica.

Como os ingleses também têm o seu orgulho, não quiseram ficar subordinados a isso... a meu ver, bem.
"Deus quer, o homem sonha, a obra nasce" (F.P.)
 
Mensagens: 220
Registado: 29/11/2007 14:30
Localização: Sendim City - Capital do Planalto Mirandês

por nunoand99 » 15/2/2010 19:27

O UK não aderiu pela mesma razão que em Inglaterra se conduz em sentido contrário ;)

Gostam de evidenciar a sua Não-Continentalidade!

Somente isso, e é histórico...

Mas "isso", tem muita força.
 
Mensagens: 1344
Registado: 16/5/2005 21:38

por cannot » 15/2/2010 20:01

A libra foi "obrigada" a sair do MTC (Mecanismo de taxas de câmbio - que, dito de forma simples, pretendia fixar as taxas de câmbio dentro de um intervalo pequeno). A história é algo complicada mas posso fazer um resumo resumido do que aconteceu.

O Reino Unido acabou por aderia ao MTC mas sem realmente negociarem o valor dessa entrada. Esse valor foi considerado com muitos demasiado elevado, entre os quais os Alemães. Outras moedas com problemas eram a Lira o Escudo por exemplo. Os Italiano tiveram até que realinhar a sua entrada no MTC para valores mais baixos. Isto era tudo uma luta entre os países e a tentativa de encontrar um valor de câmbio que fosse sustentável para todos, com a Alemanha como a potência mais forte.

De forma simples o que aconteceu foi que a relação entre a Alemanha e o Reino Unido entrou em colapso. Isto fez com que o Reino Unido, com uma economia a entrar em recessão, ficasse em maus lençóis. Para ajudar à festa os especuladores, entre os quais o mais conhecido foi George Soros, começaram a abrir posições curtas em relação à Libra de grande valor. A certa altura estavam os políticos do Reino Unido a tentar salvar a moeda de uma desvalorização inevitável, com subidas extraordinariamente agressivas das taxas de juro, mas já nada "convencia" o mercado do contrário.

Inevitavelmente, e face a uma desvalorização muito elevada da Libra, o Reino Unido acabou por anunciar que saia do MTC. Os mercados tinham cilindrado o banco de Inglaterra. Por um lado era o governo a "gastar" dinheiro a comprar Libras (cerca de 15 mil milhões) e os operadores a vender. O que aconteceu na realidade foi a transferência de dinheiro dos contribuintes ingleses para os operadores (especuladores) de mercado, o que custou muito à economia e ao povo inglês.

Podem pensar em histórias mais romanceadas de que o Reino Unido não quis entrar no Euro, mas a realidade é que não teve outra hipótese depois de tantos erros cometidos. É certo que as visões políticas da altura entre a Alemanha e o Reino Unido eram diferentes, mas o braço de ferro feito acabou por ser uma dura humilhação para os Inglaterra.

Mais tarde, o facto de estar fora do MTC permitiu à Inglaterra reestruturar a sua economia e em poucos anos começou a prosperar. Portanto, se calhar, isto acabou por ser o melhor que poderia ter acontecido para eles. Não havia era necessidade de ter gasto tanto dinheiro com políticas erradas na tentativa de controlar a Libra, lutando contra o mercado e a realidade de uma sobrevalorização da Libra aquando da entrada no MTC.

Abraço
"Every solution breeds new problems." Murphy's Law
 
Mensagens: 1279
Registado: 15/1/2009 15:28
Localização: Earth

por xico Xico » 15/2/2010 21:10

cannot Escreveu:A libra foi "obrigada" a sair do MTC (Mecanismo de taxas de câmbio - que, dito de forma simples, pretendia fixar as taxas de câmbio dentro de um intervalo pequeno). A história é algo complicada mas posso fazer um resumo resumido do que aconteceu.

O Reino Unido acabou por aderia ao MTC mas sem realmente negociarem o valor dessa entrada. Esse valor foi considerado com muitos demasiado elevado, entre os quais os Alemães. Outras moedas com problemas eram a Lira o Escudo por exemplo. Os Italiano tiveram até que realinhar a sua entrada no MTC para valores mais baixos. Isto era tudo uma luta entre os países e a tentativa de encontrar um valor de câmbio que fosse sustentável para todos, com a Alemanha como a potência mais forte.

De forma simples o que aconteceu foi que a relação entre a Alemanha e o Reino Unido entrou em colapso. Isto fez com que o Reino Unido, com uma economia a entrar em recessão, ficasse em maus lençóis. Para ajudar à festa os especuladores, entre os quais o mais conhecido foi George Soros, começaram a abrir posições curtas em relação à Libra de grande valor. A certa altura estavam os políticos do Reino Unido a tentar salvar a moeda de uma desvalorização inevitável, com subidas extraordinariamente agressivas das taxas de juro, mas já nada "convencia" o mercado do contrário.

Inevitavelmente, e face a uma desvalorização muito elevada da Libra, o Reino Unido acabou por anunciar que saia do MTC. Os mercados tinham cilindrado o banco de Inglaterra. Por um lado era o governo a "gastar" dinheiro a comprar Libras (cerca de 15 mil milhões) e os operadores a vender. O que aconteceu na realidade foi a transferência de dinheiro dos contribuintes ingleses para os operadores (especuladores) de mercado, o que custou muito à economia e ao povo inglês.

Podem pensar em histórias mais romanceadas de que o Reino Unido não quis entrar no Euro, mas a realidade é que não teve outra hipótese depois de tantos erros cometidos. É certo que as visões políticas da altura entre a Alemanha e o Reino Unido eram diferentes, mas o braço de ferro feito acabou por ser uma dura humilhação para os Inglaterra.

Mais tarde, o facto de estar fora do MTC permitiu à Inglaterra reestruturar a sua economia e em poucos anos começou a prosperar. Portanto, se calhar, isto acabou por ser o melhor que poderia ter acontecido para eles. Não havia era necessidade de ter gasto tanto dinheiro com políticas erradas na tentativa de controlar a Libra, lutando contra o mercado e a realidade de uma sobrevalorização da Libra aquando da entrada no MTC.

Abraço


Desculpa cannot, mas não cheguei a perceber o porquê da Inglaterra não entrar no euro.
A sua resposta foi bastante completa mas algo não estou a compreender, se puder, agradecia de uma forma mais clara a razão
 
Mensagens: 125
Registado: 23/12/2009 17:45
Localização: 14

por cannot » 15/2/2010 21:42

xico Xico Escreveu:
cannot Escreveu:A libra foi "obrigada" a sair do MTC (Mecanismo de taxas de câmbio - que, dito de forma simples, pretendia fixar as taxas de câmbio dentro de um intervalo pequeno). A história é algo complicada mas posso fazer um resumo resumido do que aconteceu.

O Reino Unido acabou por aderia ao MTC mas sem realmente negociarem o valor dessa entrada. Esse valor foi considerado com muitos demasiado elevado, entre os quais os Alemães. Outras moedas com problemas eram a Lira o Escudo por exemplo. Os Italiano tiveram até que realinhar a sua entrada no MTC para valores mais baixos. Isto era tudo uma luta entre os países e a tentativa de encontrar um valor de câmbio que fosse sustentável para todos, com a Alemanha como a potência mais forte.

De forma simples o que aconteceu foi que a relação entre a Alemanha e o Reino Unido entrou em colapso. Isto fez com que o Reino Unido, com uma economia a entrar em recessão, ficasse em maus lençóis. Para ajudar à festa os especuladores, entre os quais o mais conhecido foi George Soros, começaram a abrir posições curtas em relação à Libra de grande valor. A certa altura estavam os políticos do Reino Unido a tentar salvar a moeda de uma desvalorização inevitável, com subidas extraordinariamente agressivas das taxas de juro, mas já nada "convencia" o mercado do contrário.

Inevitavelmente, e face a uma desvalorização muito elevada da Libra, o Reino Unido acabou por anunciar que saia do MTC. Os mercados tinham cilindrado o banco de Inglaterra. Por um lado era o governo a "gastar" dinheiro a comprar Libras (cerca de 15 mil milhões) e os operadores a vender. O que aconteceu na realidade foi a transferência de dinheiro dos contribuintes ingleses para os operadores (especuladores) de mercado, o que custou muito à economia e ao povo inglês.

Podem pensar em histórias mais romanceadas de que o Reino Unido não quis entrar no Euro, mas a realidade é que não teve outra hipótese depois de tantos erros cometidos. É certo que as visões políticas da altura entre a Alemanha e o Reino Unido eram diferentes, mas o braço de ferro feito acabou por ser uma dura humilhação para os Inglaterra.

Mais tarde, o facto de estar fora do MTC permitiu à Inglaterra reestruturar a sua economia e em poucos anos começou a prosperar. Portanto, se calhar, isto acabou por ser o melhor que poderia ter acontecido para eles. Não havia era necessidade de ter gasto tanto dinheiro com políticas erradas na tentativa de controlar a Libra, lutando contra o mercado e a realidade de uma sobrevalorização da Libra aquando da entrada no MTC.

Abraço


Desculpa cannot, mas não cheguei a perceber o porquê da Inglaterra não entrar no euro.
A sua resposta foi bastante completa mas algo não estou a compreender, se puder, agradecia de uma forma mais clara a razão


MTC ou SME (sistema monetário europeu), foi a primeira fase para a criação do Euro, uma moeda única (equivalente a ter taxas realmente fixas entre os diversos países). Os países que entraram no euro faziam parte dos países que aderiram ao MTC, que obrigava a ter uma taxa de câmbio dentro de variações muito limitadas. Devido à quebra brusca da Libra, em 1992, o RU abandonou o MTC porque não conseguiu cumprir com os limites da variação permitida.

Abraço
"Every solution breeds new problems." Murphy's Law
 
Mensagens: 1279
Registado: 15/1/2009 15:28
Localização: Earth

por xico Xico » 15/2/2010 22:03

Ok, mas não houve esse tipo de problemas com outros paises que aderiram ao euro?
 
Mensagens: 125
Registado: 23/12/2009 17:45
Localização: 14

por nunoand99 » 15/2/2010 22:11

Acreditas nisso cannot?

Isso parece mais desculpa politica da altura

Não era obrigatório que os paises que aderiram às condições de adesão (onde se inseria a espécie de "peg" que referes) adoptassem posteriormente o €...

Por outro lado, nunca me lembro de ter visto alguma vez que o UK tenha adoptado as condições de adesão, para posterior entrada no Euro

És capaz de postar algum link que aponte no sentido contrário?

Alguns paises, por livre e espontanea vontade, e motivados pelo peso que o comércio com a Zona Euro tinha na altura, aderiram ao MTC, alguns sem sequer fazerem parte da União Europeia, quanto mais da Zona Euro (ex: Noruega).

Saudações & Bons Negócios
 
Mensagens: 1344
Registado: 16/5/2005 21:38

por RiscoCalculado » 15/2/2010 23:24

A melhor explicação para a não aderência do UK ao Euro é de longe a do kpt:

Se o UK aderisse ao Euro deixaria de ter uma política monetária própria e consequentemente deixaria de ter não só um grande mecanismo ao dispor de todos os países com moeda própria, a que se dá o nome de protecção cambial, bem como deixaria de poder controlar de forma directa as taxas de juro e a inflação.

Como se percebe, não ter uma moeda própria implica não ter controlo sobre a própria política monetária (seja com objectivos cambiais, seja com objectivos de (des)incentivar o crédito via taxa de juro, controlar inflação).

Como uma grande potência que é, o UK não quis deixar de ter essa autonomia ou, muitas das suas eventuais aspirações e objectivos poderiam ser postos em causa.



A verdade é que apesar de ter aderido ao MTC sempre houve oposição muito forte dentro do Reino Unido, e aliás só assinaram o tratado de Maastricht após lhes ter sido conferido o direito de "opt-out". Estiveram "lá" mas sempre sempre muito divididos. Nunca estiveram muito "convictos" que era para ficar.


Podem pensar em histórias mais romanceadas de que o Reino Unido não quis entrar no Euro, mas a realidade é que não teve outra hipótese depois de tantos erros cometidos. É certo que as visões políticas da altura entre a Alemanha e o Reino Unido eram diferentes, mas o braço de ferro feito acabou por ser uma dura humilhação para os Inglaterra.

Mais tarde, o facto de estar fora do MTC permitiu à Inglaterra reestruturar a sua economia e em poucos anos começou a prosperar. Portanto, se calhar, isto acabou por ser o melhor que poderia ter acontecido para eles. Não havia era necessidade de ter gasto tanto dinheiro com políticas erradas na tentativa de controlar a Libra, lutando contra o mercado e a realidade de uma sobrevalorização da Libra aquando da entrada no MTC.


cannot, o que referes aconteceu com vários países (Itália, França, Portugal...). Todos eles tiveram dificuldades devido à pouca credibilidade das bandas iniciais de 2.25% demasiado estreitas e ao ataque dos especuladores. No escudo por exemplo houve dias em que as taxas de juro overnight dispararam para perto de 60% para defender a moeda. Foi devido aos ataques que as bandas tiveram de ser alargadas de 2.25% para 15% (o "problema" não foi só com o UK).
Itália tal como o UK optou nessa altura por sair do MTC, mas depois regressou em finais de 1996. O Reino Unido se quisesse tb poderia ter "regressado", só não o fez porque não quis e aliás nessa altura (em que a Itália regressou) o câmbio da libra para o marco nem era muito diferente do valor central que tinha anteriormente (cerca de 0.35)
Editado pela última vez por RiscoCalculado em 16/2/2010 2:05, num total de 1 vez.
"In my whole life, I have known no wise people over a broad subject matter area who didn't read all the time - none, zero" - Charlie Munger

"Entre os seres humanos, existe uma espécie de interacção que assenta não nos conhecimentos, nem sequer na falta de conhecimentos, mas no facto de não se saber quanto não se sabe ..." - John Kenneth Galbraith
 
Mensagens: 441
Registado: 11/11/2008 18:23
Localização: 16

por nunoand99 » 15/2/2010 23:26

RiscoCalculado Escreveu:A melhor explicação para a não aderência da libra ao Euro é de longe a do kpt:

Se o UK aderisse ao Euro deixaria de ter uma política monetária própria e consequentemente deixaria de ter não só um grande mecanismo ao dispor de todos os países com moeda própria, a que se dá o nome de protecção cambial, bem como deixaria de poder controlar de forma directa as taxas de juro e a inflação.

Como se percebe, não ter uma moeda própria implica não ter controlo sobre a própria política monetária (seja com objectivos cambiais, seja com objectivos de (des)incentivar o crédito via taxa de juro, controlar inflação).

Como uma grande potência que é, o UK não quis deixar de ter essa autonomia ou, muitas das suas eventuais aspirações e objectivos poderiam ser postos em causa.



A verdade é que apesar de ter aderido ao MTC sempre houve oposição muito forte dentro do Reino Unido, e aliás só assinaram o tratado de Maastricht após lhes ter sido conferido o direito de "opt-out". Estiveram "lá" mas sempre sempre muito divididos. Nunca estiveram muito "determinados" que era para ficar.


Podem pensar em histórias mais romanceadas de que o Reino Unido não quis entrar no Euro, mas a realidade é que não teve outra hipótese depois de tantos erros cometidos. É certo que as visões políticas da altura entre a Alemanha e o Reino Unido eram diferentes, mas o braço de ferro feito acabou por ser uma dura humilhação para os Inglaterra.

Mais tarde, o facto de estar fora do MTC permitiu à Inglaterra reestruturar a sua economia e em poucos anos começou a prosperar. Portanto, se calhar, isto acabou por ser o melhor que poderia ter acontecido para eles. Não havia era necessidade de ter gasto tanto dinheiro com políticas erradas na tentativa de controlar a Libra, lutando contra o mercado e a realidade de uma sobrevalorização da Libra aquando da entrada no MTC.


cannot, o que referes aconteceu com vários países (Itália, França, Portugal...). Todos eles tiveram dificuldades devido à pouca credibilidade das bandas iniciais de 2.25% demasiado estreitas e ao ataque dos especuladores. No escudo por exemplo houve dias em que as taxas de juro overnight dispararam para perto de 60% para defender a moeda. Foi devido aos ataques que as bandas tiveram de ser alargadas de 2.25% para 15% (o "problema" não foi só com o UK).
Itália tal como o UK optou nessa altura por sair do MTC, mas depois regressou em finais de 1996. O Reino Unido se quisesse tb poderia ter "regressado", só não o fez porque não quis e aliás nessa altura (em que a Itália regressou) o câmbio da libra para o marco nem era muito diferente do valor central que tinha anteriormente (cerca de 0.35)


Boa verdade RiscoCalculado,

Nem me tava a lembrar dessa do "opt out" ;)

Saudações & Bons Negócios
 
Mensagens: 1344
Registado: 16/5/2005 21:38

por cannot » 16/2/2010 0:28

nunoand99 Escreveu:
RiscoCalculado Escreveu:A melhor explicação para a não aderência da libra ao Euro é de longe a do kpt:

Se o UK aderisse ao Euro deixaria de ter uma política monetária própria e consequentemente deixaria de ter não só um grande mecanismo ao dispor de todos os países com moeda própria, a que se dá o nome de protecção cambial, bem como deixaria de poder controlar de forma directa as taxas de juro e a inflação.

Como se percebe, não ter uma moeda própria implica não ter controlo sobre a própria política monetária (seja com objectivos cambiais, seja com objectivos de (des)incentivar o crédito via taxa de juro, controlar inflação).

Como uma grande potência que é, o UK não quis deixar de ter essa autonomia ou, muitas das suas eventuais aspirações e objectivos poderiam ser postos em causa.



A verdade é que apesar de ter aderido ao MTC sempre houve oposição muito forte dentro do Reino Unido, e aliás só assinaram o tratado de Maastricht após lhes ter sido conferido o direito de "opt-out". Estiveram "lá" mas sempre sempre muito divididos. Nunca estiveram muito "determinados" que era para ficar.


Podem pensar em histórias mais romanceadas de que o Reino Unido não quis entrar no Euro, mas a realidade é que não teve outra hipótese depois de tantos erros cometidos. É certo que as visões políticas da altura entre a Alemanha e o Reino Unido eram diferentes, mas o braço de ferro feito acabou por ser uma dura humilhação para os Inglaterra.

Mais tarde, o facto de estar fora do MTC permitiu à Inglaterra reestruturar a sua economia e em poucos anos começou a prosperar. Portanto, se calhar, isto acabou por ser o melhor que poderia ter acontecido para eles. Não havia era necessidade de ter gasto tanto dinheiro com políticas erradas na tentativa de controlar a Libra, lutando contra o mercado e a realidade de uma sobrevalorização da Libra aquando da entrada no MTC.


cannot, o que referes aconteceu com vários países (Itália, França, Portugal...). Todos eles tiveram dificuldades devido à pouca credibilidade das bandas iniciais de 2.25% demasiado estreitas e ao ataque dos especuladores. No escudo por exemplo houve dias em que as taxas de juro overnight dispararam para perto de 60% para defender a moeda. Foi devido aos ataques que as bandas tiveram de ser alargadas de 2.25% para 15% (o "problema" não foi só com o UK).
Itália tal como o UK optou nessa altura por sair do MTC, mas depois regressou em finais de 1996. O Reino Unido se quisesse tb poderia ter "regressado", só não o fez porque não quis e aliás nessa altura (em que a Itália regressou) o câmbio da libra para o marco nem era muito diferente do valor central que tinha anteriormente (cerca de 0.35)


Boa verdade RiscoCalculado,

Nem me tava a lembrar dessa do "opt out" ;)

Saudações & Bons Negócios


Tem razão, eu só disse palermices. Tenho que deixar a droga :) sorry!

Abraço

ps - a história que descrevi é verdadeira, mas não será a razão da posterior não adesão à moeda única, o Euro.
"Every solution breeds new problems." Murphy's Law
 
Mensagens: 1279
Registado: 15/1/2009 15:28
Localização: Earth

por djovarius » 16/2/2010 10:00

Bom dia,

Para lá do que já foi dito, é preciso recordar, que à época, os Ingleses não desgostaram da ideia, apesar da oposição popular. Para muitos empresários nem fazia sentido ficar de fora.
Blair até dizia que queria, mas não no arranque.
Na verdade, havia a vontade de esperar que o Euro passasse alguns "testes" de credibilidade.

Curiosamente, um deles vai ser agora, com a questão da Grécia e dos países Ibéricos. Se o EUR aguentar bem a turbulência que aí vem, então o Reino Unido poderá entrar. No futuro, estará mais protegido de uma eventual crise interna.

Eles vão esperar para ver. E se o Euro passar o teste e ainda atrair mais membros, deixa de fazer sentido o RU ficar de fora para lá desta década.

Abraço

dj
Cuidado com o que desejas pois todo o Universo pode se conjugar para a sua realização.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 8119
Registado: 10/11/2002 19:32
Localização: Planeta Algarve


Quem está ligado:
Utilizadores a ver este Fórum: Apramg, CarlosBatista, condehumberto, CORTIÇA, cristianosantos85, Google [Bot], Goya777, Jonas74, m-m, Phil2014, Qualnhick, yaya e 47 visitantes