O Paradigma da Roleta

Colecção de Artigos Didácticos do Caldeirão de Bolsa.

O Paradigma da Roleta

por MarcoAntonio » 23/10/2008 23:13


O Paradigma da Roleta


Os investidores tendem a tentar "recuperar" as perdas nos mesmos papéis onde aquelas se verificaram. Ora, primeiro que tudo: um lucro de x obtido no papel A vale exactamente o mesmo que um lucro do mesmo x no papel B. Em termos financeiros, é absolutamente indiferente onde recuperamos as perdas passadas. Em termos psicológicos, porém, não é...


Este princípio é muito semelhante à falácia do jogador: quando um jogador aposta, por exemplo, no vermelho na roleta, e perde, a tendência é continuar a apostar no vermelho até acertar e recuperar da perda. Porque o vermelho "tem de sair", diz o jogador para consigo!

Esta é uma falácia completa, a probabilidade de sair preto ou vermelho continua a ser a mesmíssima e neste caso o jogador está sempre em desvantagem em todas as apostas sendo irrelevante onde ele apostou antes e quantas vezes perdeu.


Algo muito semelhante ocorre nos mercados. Quando adquirem um título e o investimento corre mal ocorre, com frequência, duas coisas:

> Primeiro, tendem a ficar agarrados ao papel e a grande perda transforma-se numa perda maior. A dificuldade em fechar a posição a perder é grande e quanto mais o papel desvaloriza, mais difícil se torna;

> Segundo, o investidor não só não fecha a posição como, frequentemente, começa a procurar justificações adicionais e novos pontos de entrada. Ora, não só é difícil largar o "vermelho" como a tendência é reforçar e apostar cada vez mais na "cor" que nos fez perder, esperando que esta nos devolva o que nos tirou.


A semelhança entre a filosofia dos reforços e os sistemas tipo Martingale é enorme e evidente. E tal como Martingale, também o reforço, por sistema, não funciona. Ou por outra, não trás qualquer vantagem especial...


Uma forma de contornar esta prática: quando se detém um papel em perda e se pondera efectuar novas aquisições do mesmo título, há que fazer o maior esforço possível para se analisar a compra como se não tivesse existido outra anteriormente. Como se não se tivesse o papel já em carteira. Se a resposta porventura for não - "não, eu se estivesse de fora agora não quereria especialmente comprar este papel agora" - então, porque se está dentro a resposta não tem porque ser diferente. Absolutamente.

O trade B não melhora de expectativas só pelo facto de termos entrado antes no mesmo papel num trade A no valor y...


E este é um ponto que gostaria sublinhar muito bem, porque também ele envolve uma falácia frequente: os investidores tendem a dar um especial significado ao valor a que entraram. Ora, o valor a que entraram por norma não tem qualquer significado especial. Hoje, se olharmos para a cotação de uma cotada qualquer que temos em carteira, tenderemos a pesar essa cotação em função do valor a que entramos. Mas, no mesmo dia estão a olhar para a mesma cotada outros investidores que entraram a diferentes valores (ou que não entraram de todo) e só por essa razão tendem a efectuar uma análise diferente. Como é óbvio, não faz sentido uma vez que estamos a falar do mesmíssimo papel que fez o mesmíssimo percurso. Mas só porque Fulano entrou a 5, Sicrano entrou a 4 e Beltrano não entrou de todo, cada um dos 3 tenderá a efectuar avaliações diferentes e a apresentar perspectivas e expectativas diferentes quanto ao futuro do título.

Isto é enviezamento puro.

Para o mercado, o valor a que entramos nas acções não tem qualquer significado. Da mesma forma que para a Roleta é-lhe totalmente indiferente se na rodada anterior apostamos no "vermelho" ou no "preto". E se é difícil interiorizar este princípio elementar, basta recordar-nos que na rodada anterior outros jogadores apostaram na cor oposta e só por essa razão já não sofrem do mesmo enviezamento de análise...


Mas voltando à questão inicial, o princípio que está subjacente a toda esta linha de raciocínio do investidor é o princípio de que este pretende corrigir ("emendar") o passado. E tende a querer corrigir no mesmo "ponto" onde errou.

Ora, os erros passados não se corrigem, não se emendam. O que está partido, partido está...


Imaginem que eu tenho a casa em obras, enfim, ando a pintar as paredes e tenho andaimes espalhados pela casa e tal. Se eu hoje comprar um jarro decorativo e por descuido no meio da confusão doméstica o partir, nada do que eu faça amanhã corrige o "erro" cometido hoje. Amanhã tomarei novas decisões, que não têm de estar condicionadas pela véspera de forma nenhuma. Se estiverem, será no sentido de utilizar o passado como processo de aprendizagem e não como algo que eu tentarei corrigir em retrospectiva. Pois tal coisa não existe, é pura ilusão...

Contudo, o que se verifica (no contexto da psicologia do investidor) é que a tendência é, não a de utilizar o passado como aprendizagem mas como condicionante. E a condicionante é eu querer "emendar" o passado em vez de olhar para o Futuro de "cabeça limpa e fresca", sem enviezamentos de análise, sem raciocínios toldados pela visão turba de quem fez "asneira".


Basicamente, no dia seguinte o investidor vai comprar um jarro exactamente igual e dirá para consigo que "terá mais cuidado" para não o voltar partir.


Ora, obviamente o facto de não partir o segundo jarro não corrige em nada o facto de ter partido o primeiro. E se isto poderá parecer óbvio demais ou eventualmente inútil, desenganem-se porque não é (no contexto da psicologia do investidor) nem óbvio nem inútil. Porquê?

Porque eu não tenho que comprar o mesmo jarro. Aliás, não tenho que comprar jarro nenhum e ponto.

Assim, o investidor que "parte um jarro" mais rapidamente do que estar à procura de outro jarro exactamente igual, deveria porventura procurar jarros de melhor qualidade ou outra peça decorativa que não parta tão facilmente ou ainda, não comprar jarro nenhum pelo menos enquanto a casa estiver em obras.


Esta analogia do jarro mostra a diferença entre tomar decisões condicionado pelo passado ou tomar decisões utilizando o passado como processo de aprendizagem...




A moral da história é a de que não devem investir na base de "recuperar as perdas" mas na base de efectuar boas decisões na tentativa (com o objectivo) de realizar "bons investimentos futuros".

Para essas (novas) decisões, é totalmente indiferente o valor a que compraram e as acções que compraram no passado. A fixação nos trades passados, nas acções e nos valores adquiridos, como algo que terá de ser corrigido/restabelecido, qual "vermelho" na roleta que não saiu mas que "terá de sair" arrastar-vos-á para a repetição de erros sucessivos e para análises enviezadas, no mínimo pouco clarividentes...
Editado pela última vez por MarcoAntonio em 23/10/2008 23:38, num total de 4 vezes.
Bons Negócios,
Marco Antonio
Caldeirão de Bolsa

FLOP - Fundamental Laws Of Profit


1. Mais vale perder um ganho que ganhar uma perda, a menos que se cumpra a Segunda Lei.
2. A expectativa de ganho deve superar a expectativa de perda, onde a expectativa mede a
....amplitude média do ganho/perda contra a respectiva probabilidade.
3. A Primeira Lei não é mesmo necessária mas com Três Leis isto fica definitivamente mais giro.
Avatar do Utilizador
Administrador Fórum
 
Mensagens: 31621
Registado: 4/11/2002 22:16
Localização: Vilar do Paraíso

por pata-hari » 23/10/2008 23:20

Marco, isto é muito útil porque há muitos, muitos, muitos investidores com esses dilemas neste preciso instante.
Avatar do Utilizador
Administrador Fórum
 
Mensagens: 20113
Registado: 25/10/2002 17:02
Localização: Lisboa

por mapaman » 23/10/2008 23:40

Boas,

este é um post que deveria ficar na mente de muita gente até ao fim do bear!

Para completar o texto,se me permites,falta dizer que essas novas posições devem ser assumidas,apenas e só quando o mercado virar.Até lá, as perdas,se não forem assumidas,devem ser diminuidas com outros produtos financeiros,sob pena de se voltarem a repetir os mesmos erros noutro lado.

cumps
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 1600
Registado: 24/1/2008 22:05

Re: O Paradigma da Roleta

por Jesse James » 23/10/2008 23:40

Ora, eis um exemplo do que não se aprende academicamente.

Deixa-me acrescentar o seguinte.

Quem tem acções com a filosofia "isto é para o longo prazo, estas descidas hão-de passar, e vou recuperar o investimento", devia pensar no seguinte:

Ao afirmar isso, está consciente que antes de subir tem grande probabilidade de descer, o que acontece na maioria dos casos.

Ora, isso é exactamente que comprar no dia em que afirma isso, sabendo que vai descer. Colocando de parte o shortselling, está conscientemente a "comprar" para perder dinheiro.

Acreditem que, nestas situações, não vender é o mesmo que comprar, e esperar pela descida.

Ora isso, não faz qualquer sentido, e deve ser ser evitado.
“O dinheiro é a religião do homem de bom senso” – Eurípedes (-480 - 406)
Take the money and run!
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 771
Registado: 3/6/2008 15:12
Localização: Almada

por corvo47 » 23/10/2008 23:40

Pata-Hari Escreveu:Marco, isto é muito útil porque há muitos, muitos, muitos investidores com esses dilemas neste preciso instante.




Quem tem investido no mercado nos últimos meses certamente que está dentro desse protótipo de investidor.
Conheço um "investidor" amigo que comprou SONI a 7.00€ (achando que era uma pechincha porque já tinha estado a 12.00€), voltaram a comprar a 5.00€ e mais recentemente a 2.30€, sempre com a mesma linha de raciocínio-Uma pechincha!!!
Nunca se lembrou a comprar nem EDP,nem JMT,...


Um abraço.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 710
Registado: 14/3/2008 22:39
Localização: Terra Media

por Jesse James » 24/10/2008 0:06

Ainda agora estive a ler outros tópicos, e posts recentes, que contrariam profundamente esta temática, são aos molhes.

Não há nada a fazer, existirão sempre touros, ursos e as ovelhinhas, que dão dinheiro aos dois primeiros.

E, se calhar, ainda bem que é assim...

bn

JJ
“O dinheiro é a religião do homem de bom senso” – Eurípedes (-480 - 406)
Take the money and run!
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 771
Registado: 3/6/2008 15:12
Localização: Almada

comentário

por jotabilo » 24/10/2008 0:13

Caro Corvo 47

Mas tanto a EDP ou a JM estão tb em maus lençóis...Também arranjas cada alternativa.
Quem é um pequeno investidor e investiu meia dúzia de cobres perante este carrocel apenas lhe resta, racionalmente, ter em conta a sua opção de ter preferido um determinado título numa determinada altura e esperar que os os pressupostos então admitidos se concretizem. Andar a saltar pouco lhe pode adiantar se consideramos que se trata de uma crise generalizada.
Poderemos optar por nos tornarmos líquidos e aguardar que a tendência crescente se venha a concretizar. Julgo que esta atidude será a mais correcta a tomar nesta altura.
No entanto um investidor é um investidor e não um pilha-galinhas.
De resto julgo que é timbre dos grandes investidores estarem atentos ao evoluir dos mercados e mexer na carteira o menos possível...a bolsa, salvo situações de magna e excepcional grandeza, compensa em função do capital investido, da nossa paciência em aguardar os lucros e da oportunidade na compra.
Naturalmente que os conselhos do triunviratista têm pertinência para os recolectores de algumas valias no sua imensa actividade de adivinhação.
Mas como ele tb diz, citando, "ganhei mais quando me mantive quieto e expectante perante o evoluir do mercado"

cumps
 
Mensagens: 940
Registado: 3/12/2007 20:31
Localização: 14

Re: O Paradigma da Roleta

por fbarrancos » 24/10/2008 0:24

MarcoAntonio Escreveu:
O Paradigma da Roleta


Os investidores tendem a tentar "recuperar" as perdas nos mesmos papéis onde aquelas se verificaram. Ora, primeiro que tudo: um lucro de x obtido no papel A vale exactamente o mesmo que um lucro do mesmo x no papel B. Em termos financeiros, é absolutamente indiferente onde recuperamos as perdas passadas. Em termos psicológicos, porém, não é...


Este princípio é muito semelhante à falácia do jogador: quando um jogador aposta, por exemplo, no vermelho na roleta, e perde, a tendência é continuar a apostar no vermelho até acertar e recuperar da perda. Porque o vermelho "tem de sair", diz o jogador para consigo!

Esta é uma falácia completa, a probabilidade de sair preto ou vermelho continua a ser a mesmíssima e neste caso o jogador está sempre em desvantagem em todas as apostas sendo irrelevante onde ele apostou antes e quantas vezes perdeu.


Algo muito semelhante ocorre nos mercados. Quando adquirem um título e o investimento corre mal ocorre, com frequência, duas coisas:

> Primeiro, tendem a ficar agarrados ao papel e a grande perda transforma-se numa perda maior. A dificuldade em fechar a posição a perder é grande e quanto mais o papel desvaloriza, mais difícil se torna;

> Segundo, o investidor não só não fecha a posição como, frequentemente, começa a procurar justificações adicionais e novos pontos de entrada. Ora, não só é difícil largar o "vermelho" como a tendência é reforçar e apostar cada vez mais na "cor" que nos fez perder, esperando que esta nos devolva o que nos tirou.


A semelhança entre a filosofia dos reforços e os sistemas tipo Martingale é enorme e evidente. E tal como Martingale, também o reforço, por sistema, não funciona. Ou por outra, não trás qualquer vantagem especial...


Uma forma de contornar esta prática: quando se detém um papel em perda e se pondera efectuar novas aquisições do mesmo título, há que fazer o maior esforço possível para se analisar a compra como se não tivesse existido outra anteriormente. Como se não se tivesse o papel já em carteira. Se a resposta porventura for não - "não, eu se estivesse de fora agora não quereria especialmente comprar este papel agora" - então, porque se está dentro a resposta não tem porque ser diferente. Absolutamente.

O trade B não melhora de expectativas só pelo facto de termos entrado antes no mesmo papel num trade A no valor y...


E este é um ponto que gostaria sublinhar muito bem, porque também ele envolve uma falácia frequente: os investidores tendem a dar um especial significado ao valor a que entraram. Ora, o valor a que entraram por norma não tem qualquer significado especial. Hoje, se olharmos para a cotação de uma cotada qualquer que temos em carteira, tenderemos a pesar essa cotação em função do valor a que entramos. Mas, no mesmo dia estão a olhar para a mesma cotada outros investidores que entraram a diferentes valores (ou que não entraram de todo) e só por essa razão tendem a efectuar uma análise diferente. Como é óbvio, não faz sentido uma vez que estamos a falar do mesmíssimo papel que fez o mesmíssimo percurso. Mas só porque Fulano entrou a 5, Sicrano entrou a 4 e Beltrano não entrou de todo, cada um dos 3 tenderá a efectuar avaliações diferentes e a apresentar perspectivas e expectativas diferentes quanto ao futuro do título.

Isto é enviezamento puro.

Para o mercado, o valor a que entramos nas acções não tem qualquer significado. Da mesma forma que para a Roleta é-lhe totalmente indiferente se na rodada anterior apostamos no "vermelho" ou no "preto". E se é difícil interiorizar este princípio elementar, basta recordar-nos que na rodada anterior outros jogadores apostaram na cor oposta e só por essa razão já não sofrem do mesmo enviezamento de análise...


Mas voltando à questão inicial, o princípio que está subjacente a toda esta linha de raciocínio do investidor é o princípio de que este pretende corrigir ("emendar") o passado. E tende a querer corrigir no mesmo "ponto" onde errou.

Ora, os erros passados não se corrigem, não se emendam. O que está partido, partido está...


Imaginem que eu tenho a casa em obras, enfim, ando a pintar as paredes e tenho andaimes espalhados pela casa e tal. Se eu hoje comprar um jarro decorativo e por descuido no meio da confusão doméstica o partir, nada do que eu faça amanhã corrige o "erro" cometido hoje. Amanhã tomarei novas decisões, que não têm de estar condicionadas pela véspera de forma nenhuma. Se estiverem, será no sentido de utilizar o passado como processo de aprendizagem e não como algo que eu tentarei corrigir em retrospectiva. Pois tal coisa não existe, é pura ilusão...

Contudo, o que se verifica (no contexto da psicologia do investidor) é que a tendência é, não a de utilizar o passado como aprendizagem mas como condicionante. E a condicionante é eu querer "emendar" o passado em vez de olhar para o Futuro de "cabeça limpa e fresca", sem enviezamentos de análise, sem raciocínios toldados pela visão turba de quem fez "asneira".


Basicamente, no dia seguinte o investidor vai comprar um jarro exactamente igual e dirá para consigo que "terá mais cuidado" para não o voltar partir.


Ora, obviamente o facto de não partir o segundo jarro não corrige em nada o facto de ter partido o primeiro. E se isto poderá parecer óbvio demais ou eventualmente inútil, desenganem-se porque não é (no contexto da psicologia do investidor) nem óbvio nem inútil. Porquê?

Porque eu não tenho que comprar o mesmo jarro. Aliás, não tenho que comprar jarro nenhum e ponto.

Assim, o investidor que "parte um jarro" mais rapidamente do que estar à procura de outro jarro exactamente igual, deveria porventura procurar jarros de melhor qualidade ou outra peça decorativa que não parta tão facilmente ou ainda, não comprar jarro nenhum pelo menos enquanto a casa estiver em obras.


Esta analogia do jarro mostra a diferença entre tomar decisões condicionado pelo passado ou tomar decisões utilizando o passado como processo de aprendizagem...




A moral da história é a de que não devem investir na base de "recuperar as perdas" mas na base de efectuar boas decisões na tentativa (com o objectivo) de realizar "bons investimentos futuros".

Para essas (novas) decisões, é totalmente indiferente o valor a que compraram e as acções que compraram no passado. A fixação nos trades passados, nas acções e nos valores adquiridos, como algo que terá de ser corrigido/restabelecido, qual "vermelho" na roleta que não saiu mas que "terá de sair" arrastar-vos-á para a repetição de erros sucessivos e para análises enviezadas, no mínimo pouco clarividentes...



Identifico-me na INTEGRA com este artigo :shock:

Marco... ha à venda na farmacia algo tipo que cure esse mal??? é que sofro desse eu dum muito similar (que tambem poderias associar) no caso de ganhos bons numa accao... tambem fico sempre com a vontade de la ir dar outra "picadinha" e por vezes... TUMBA!!! la se foi o lucro da primeira vez :x

Estou a pensar seriamente em mudar de correctora... nao so por estar desgostoso com a que tenho ... MAS PRINCIPALMENTE: para nao tender a fazer nabisses!!!


Ha sempre aquele felling... depois de perder-mos... e vermos que isto anda para baixo à tantos dias... tambem queremos estar no dia que isto de um pulinho pa cima (é um felling estupido, eu sei... mas faz parte) ... exemplo... hj estou fora... agora olhei para o fecho dos states... e ja tou todo lixado de nao estar dentro para aproveitar um possivel ressalto amanha... :mrgreen:

Tenho que conseguir curar isto de alguma forma... senao ... em breve a minha carteira nem accoes nem guito :mrgreen:
Cumprimentos,
<b>FB</b>arrancos
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 159
Registado: 29/11/2007 3:14
Localização: 5

por artista_ » 24/10/2008 0:27

corvo47 Escreveu:Conheço um "investidor" amigo que comprou SONI a 7.00€ (achando que era uma pechincha porque já tinha estado a 12.00€)


Pois esta é uma idéia que também conheço alguns que têm, "está barato porque já esteve muito mais caro" :)

Não sei onde foram buscar essa idéia mas que é um facto isso é... já falei disso com um dos meus melhores amigos "houve lá achas que está barato a 4 porque já esteve a 6?! mas há uns meses atrás, antes de subir até aos 6, estava a 3 e o ano passado esteve a 2", mas não dá, não vale a pena...

abraços

artista
Sugestões de trading, análises técnicas, estratégias e ideias http://sobe-e-desce.blogspot.com/
http://www.gamesandfun.pt/afiliado&id=28
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 16068
Registado: 17/3/2003 22:51
Localização: Almada

Re: comentário

por corvo47 » 24/10/2008 0:44

[quote="jotabilo"]Caro Corvo 47

Mas tanto a EDP ou a JM estão tb em maus lençóis...Também arranjas cada alternativa.


Não foram alternativas, falei na EDP e JMT como poderia ter falado noutras.Foi só para realçar o caso da roleta, do tipo que aposta sempre no vermelho.
Embora neste caso especifico, considerando o espaço temporal em que comprou SONI a 7.00,5.00,2.30.Teria sido sempre melhor aposta diversificar. A EDP e JMT tiveram um desempenho menos desagradável.Mas não é isso que está em questão.

Por outro lado também estou à vontade, porque já há muitos meses que fechei as minhas posições na nossa bolsa.Estou 100% liquido.Sou um simples observador atento e não está nos meus horizontes comprar seja o que for enquanto os mercados estiverem neste estado.

Um abraço.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 710
Registado: 14/3/2008 22:39
Localização: Terra Media

Re: O Paradigma da Roleta

por MarcoAntonio » 24/10/2008 9:12

fbarrancos Escreveu:Marco... ha à venda na farmacia algo tipo que cure esse mal???


Um processo poderá ser através do exercício que descrevo, tentarmos imaginar que não fizemos nenhuma compra antes e perguntar a nós próprios qual sería a nossa decisão se estivessemos de fora. Por exemplo, fazermos a nós proprios a seguinte pergunta: não tenha nada em carteira, que títulos escolheria? Entraria agora? Entraria agora nomeadamente neste determinado papel?


É claro que dizê-lo é mais fácil do que fazê-lo. Mas auto-treinarmo-nos para o fazer, estou convencido que ajuda a ultrapassa-lo...


Não será uma cura, mas uma espécie de terapia.
Bons Negócios,
Marco Antonio
Caldeirão de Bolsa

FLOP - Fundamental Laws Of Profit


1. Mais vale perder um ganho que ganhar uma perda, a menos que se cumpra a Segunda Lei.
2. A expectativa de ganho deve superar a expectativa de perda, onde a expectativa mede a
....amplitude média do ganho/perda contra a respectiva probabilidade.
3. A Primeira Lei não é mesmo necessária mas com Três Leis isto fica definitivamente mais giro.
Avatar do Utilizador
Administrador Fórum
 
Mensagens: 31621
Registado: 4/11/2002 22:16
Localização: Vilar do Paraíso

por pedro29 » 24/10/2008 10:00

Texto de leitura obrigatória para todos os iniciados e não só.

:clap: :clap: :clap:
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 101
Registado: 19/6/2007 14:28

por Elias » 24/10/2008 10:09

Bom artigo, Marco!

1 abraço,
Elias
 
Mensagens: 35428
Registado: 5/11/2002 12:21
Localização: Barlavento

Re: O Paradigma da Roleta

por longBlackCandle » 24/10/2008 14:33

Bom artigo, no entanto não pude deixar de reparar na falacia em que o Marco caiu quando afirma o seguinte:

MarcoAntonio Escreveu:...
Este princípio é muito semelhante à falácia do jogador: quando um jogador aposta, por exemplo, no vermelho na roleta, e perde, a tendência é continuar a apostar no vermelho até acertar e recuperar da perda. Porque o vermelho "tem de sair", diz o jogador para consigo!

Esta é uma falácia completa, a probabilidade de sair preto ou vermelho continua a ser a mesmíssima e neste caso o jogador está sempre em desvantagem em todas as apostas sendo irrelevante onde ele apostou antes e quantas vezes perdeu.
...


É matematicamente óbvio que a probabilidade de sair "vermelho" é bem maior do que sair "preto", sabendo que nos últimos lançamentos saiu sempre "preto" (ver probabilidade condicional). Por isso o jogador faz muitissimo bem em continuar a apostar no "vermelho".

Com isto não pretendo fazer nenhuma extrapolação para os mercados, apenas chamar a atenção para a incorrecção matemática do Marco.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 304
Registado: 2/6/2005 13:54
Localização: 16

Re: O Paradigma da Roleta

por MNFV » 24/10/2008 14:35

Acontecimentos independentes meu caro, a probabilidade de na jogada seguinte sair vermelho é sempre 50%.

longBlackCandle Escreveu:Bom artigo, no entanto não pude deixar de reparar na falacia em que o Marco caiu quando afirma o seguinte:

MarcoAntonio Escreveu:...
Este princípio é muito semelhante à falácia do jogador: quando um jogador aposta, por exemplo, no vermelho na roleta, e perde, a tendência é continuar a apostar no vermelho até acertar e recuperar da perda. Porque o vermelho "tem de sair", diz o jogador para consigo!

Esta é uma falácia completa, a probabilidade de sair preto ou vermelho continua a ser a mesmíssima e neste caso o jogador está sempre em desvantagem em todas as apostas sendo irrelevante onde ele apostou antes e quantas vezes perdeu.
...


É matematicamente óbvio que a probabilidade de sair "vermelho" é bem maior do que sair "preto", sabendo que nos últimos lançamentos saiu sempre "preto" (ver probabilidade condicional). Por isso o jogador faz muitissimo bem em continuar a apostar no "vermelho".

Com isto não pretendo fazer nenhuma extrapolação para os mercados, apenas chamar a atenção para a incorrecção matemática do Marco.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 1184
Registado: 28/12/2007 17:02

Re: O Paradigma da Roleta

por atomez » 24/10/2008 14:40

MarcoAntonio Escreveu:Para o mercado, o valor a que entramos nas acções não tem qualquer significado. Da mesma forma que para a Roleta é-lhe totalmente indiferente se na rodada anterior apostamos no "vermelho" ou no "preto".

Essa analogia com a roleta não é inteiramente correcta.

Na roleta é de facto verdade que o momento em que entramos é indiferente porque sendo um jogo totalmente aleatório o resultado da jogada seguinte é totalmente independente dos resultados anteriores.

Já nas acções não é assim. O resultado de um dia depende de facto dos dias anteriores. É por isso que existe a análise técnica, o momentum, as tendências.

O que quero dizer é que a situação no mercado é pior do que na roleta para quem insiste em manter uma posição perdedora.
As pessoas são tão ingénuas e tão agarradas aos seus interesses imediatos que um vigarista hábil consegue sempre que um grande número delas se deixe enganar.
Niccolò Machiavelli
http://www.facebook.com/atomez
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 5852
Registado: 4/11/2002 22:48
Localização: Entre Marte e Vénus

Re: O Paradigma da Roleta

por pedro29 » 24/10/2008 14:40

48% já que o 0 é verde :mrgreen:

mnfv Escreveu:Acontecimentos independentes meu caro, a probabilidade de na jogada seguinte sair vermelho é sempre 50%.

longBlackCandle Escreveu:Bom artigo, no entanto não pude deixar de reparar na falacia em que o Marco caiu quando afirma o seguinte:

MarcoAntonio Escreveu:...
Este princípio é muito semelhante à falácia do jogador: quando um jogador aposta, por exemplo, no vermelho na roleta, e perde, a tendência é continuar a apostar no vermelho até acertar e recuperar da perda. Porque o vermelho "tem de sair", diz o jogador para consigo!

Esta é uma falácia completa, a probabilidade de sair preto ou vermelho continua a ser a mesmíssima e neste caso o jogador está sempre em desvantagem em todas as apostas sendo irrelevante onde ele apostou antes e quantas vezes perdeu.
...


É matematicamente óbvio que a probabilidade de sair "vermelho" é bem maior do que sair "preto", sabendo que nos últimos lançamentos saiu sempre "preto" (ver probabilidade condicional). Por isso o jogador faz muitissimo bem em continuar a apostar no "vermelho".

Com isto não pretendo fazer nenhuma extrapolação para os mercados, apenas chamar a atenção para a incorrecção matemática do Marco.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 101
Registado: 19/6/2007 14:28

Re: O Paradigma da Roleta

por longBlackCandle » 24/10/2008 14:47

mnfv Escreveu:Acontecimentos independentes meu caro, a probabilidade de na jogada seguinte sair vermelho é sempre 50%.

longBlackCandle Escreveu:Bom artigo, no entanto não pude deixar de reparar na falacia em que o Marco caiu quando afirma o seguinte:

MarcoAntonio Escreveu:...
Este princípio é muito semelhante à falácia do jogador: quando um jogador aposta, por exemplo, no vermelho na roleta, e perde, a tendência é continuar a apostar no vermelho até acertar e recuperar da perda. Porque o vermelho "tem de sair", diz o jogador para consigo!

Esta é uma falácia completa, a probabilidade de sair preto ou vermelho continua a ser a mesmíssima e neste caso o jogador está sempre em desvantagem em todas as apostas sendo irrelevante onde ele apostou antes e quantas vezes perdeu.
...


É matematicamente óbvio que a probabilidade de sair "vermelho" é bem maior do que sair "preto", sabendo que nos últimos lançamentos saiu sempre "preto" (ver probabilidade condicional). Por isso o jogador faz muitissimo bem em continuar a apostar no "vermelho".

Com isto não pretendo fazer nenhuma extrapolação para os mercados, apenas chamar a atenção para a incorrecção matemática do Marco.



Não meu caro, não são independentes. E não são precisamente pelo facto de se saber o que saiu nos ultimos lançamentos.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 304
Registado: 2/6/2005 13:54
Localização: 16

Re: O Paradigma da Roleta

por atomez » 24/10/2008 14:52

longBlackCandle Escreveu:É matematicamente óbvio que a probabilidade de sair "vermelho" é bem maior do que sair "preto", sabendo que nos últimos lançamentos saiu sempre "preto" (ver probabilidade condicional). Por isso o jogador faz muitissimo bem em continuar a apostar no "vermelho".


Não, não só não é matematicamente óbvio como é errado!

Uma explicação, com moedas e cara e coroa porque na roleta há o 0 (e na roleta americana o 00) que altera um pouco as estatísticas.

Lançando uma moeda normal a probabilidade de sair cara ou coroa é 50% para cada.

Matematicamente, a probabilidade de uma dada série de acontecimentos aleatórios e independentes entre si é o produto das probabilidades de cada um deles.

Qual a probabilidade de em 10 lançamentos sairem sempre caras?

Será 0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5 = 0.9765%

Mas se tiverem já saído 9 caras seguidas, qual é a probabilidade de sair cara outra vez?

Neste caso o cálculo é diferente porque já sabemos o resultado dos 9 lançamentos anteriores, em que a probabilidade de ter saído cara foi 1 (porque saiu mesmo)

Então será 1x1x1x1x1x1x1x1x1x0.5 = 50%

Ou seja, a probabilidade de sair cara no 10º lançamento é na mesma 50%, mesmo que antes já tenham saído 9 caras.

As moedas, e as bolas da roleta, não têm memória... nós é que temos mas, a não ser quem tenha poderes psíquicos de telecinética, isso não influencia o mundo físico.
Editado pela última vez por atomez em 24/10/2008 14:56, num total de 1 vez.
As pessoas são tão ingénuas e tão agarradas aos seus interesses imediatos que um vigarista hábil consegue sempre que um grande número delas se deixe enganar.
Niccolò Machiavelli
http://www.facebook.com/atomez
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 5852
Registado: 4/11/2002 22:48
Localização: Entre Marte e Vénus

por pedro29 » 24/10/2008 14:55

Acho que as coisas se podem ver assim:

Qual a probabilidade de sair vermelho na proxima saída? 50% (1/2)(esquecer o 0 pra nao complicar). Evento independente.

Qual a probabilidade de sair 3 vezes preto nas próximas 3 saídas? 12,5% (1/2^3).

Acho que é isto.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 101
Registado: 19/6/2007 14:28

por katanga » 24/10/2008 14:57

Parabéns Marco por este excelente post.Mais a propósito vem, tendo em conta a conjuntura que atravessamos.

Há semanas li algo parecido da autoria de Pedro Arroja, em que ele diz, mais ou menos, que são muitos os perdedores porque somos humanos, porque temos MEMÓRIA.Porque recordando-nos temos tendência a repetir actos passados, sem fazer a devida análise prévia.O conselho é "desumanizarmo-nos".

Estamos num ponto de viragem, em termos de investimentos, para muitos de nós.Estes assuntos são importantes para preparar o futuro.

Calma e bons negócios.
 
Mensagens: 88
Registado: 29/11/2007 4:20
Localização: 16

Re: O Paradigma da Roleta

por FrancRap » 24/10/2008 15:00

longBlackCandle Escreveu:
mnfv Escreveu:Acontecimentos independentes meu caro, a probabilidade de na jogada seguinte sair vermelho é sempre 50%.

longBlackCandle Escreveu:Bom artigo, no entanto não pude deixar de reparar na falacia em que o Marco caiu quando afirma o seguinte:

MarcoAntonio Escreveu:...
Este princípio é muito semelhante à falácia do jogador: quando um jogador aposta, por exemplo, no vermelho na roleta, e perde, a tendência é continuar a apostar no vermelho até acertar e recuperar da perda. Porque o vermelho "tem de sair", diz o jogador para consigo!

Esta é uma falácia completa, a probabilidade de sair preto ou vermelho continua a ser a mesmíssima e neste caso o jogador está sempre em desvantagem em todas as apostas sendo irrelevante onde ele apostou antes e quantas vezes perdeu.
...


É matematicamente óbvio que a probabilidade de sair "vermelho" é bem maior do que sair "preto", sabendo que nos últimos lançamentos saiu sempre "preto" (ver probabilidade condicional). Por isso o jogador faz muitissimo bem em continuar a apostar no "vermelho".

Com isto não pretendo fazer nenhuma extrapolação para os mercados, apenas chamar a atenção para a incorrecção matemática do Marco.



Não meu caro, não são independentes. E não são precisamente pelo facto de se saber o que saiu nos ultimos lançamentos.


Ai essa matemática...
Claro que são acontecimentos independentes. Tirar, por exemplo, bolas numeradas de um saco sem as repor isso sim não são acontecimentos independentes, porque ao tirar uma bola e n a repondo está se a influenciar os acontecimentos seguintes.

Neste caso de vermelho ou preto um acontecimento não tem nada a ver com o seguinte, ou com o anterior. As probabilidades sao exactamente as mesmas de calhar um ou outro.

Espero ter sido minimamente explicito..

Cumps
 
Mensagens: 137
Registado: 26/11/2007 4:39
Localização: Lisboa

Re: O Paradigma da Roleta

por longBlackCandle » 24/10/2008 15:10

Atomez Escreveu:Qual a probabilidade de em 10 lançamentos sairem sempre caras?

Será 0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5 = 0.9765%


:shock:

Precisamente. A probabilidade de nesses 10 lançamentos sair pelo menos uma coroa é de 1 - 0.009765 (~1).

:P

Por isso diz-me lá onde apostavas no 11º lançamento sabendo que nos 10 anteriores sairam 10 caras?
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 304
Registado: 2/6/2005 13:54
Localização: 16

Re: O Paradigma da Roleta

por Zenith » 24/10/2008 15:12

longBlackCandle Escreveu:
mnfv Escreveu:Acontecimentos independentes meu caro, a probabilidade de na jogada seguinte sair vermelho é sempre 50%.

longBlackCandle Escreveu:Bom artigo, no entanto não pude deixar de reparar na falacia em que o Marco caiu quando afirma o seguinte:

MarcoAntonio Escreveu:...
Este princípio é muito semelhante à falácia do jogador: quando um jogador aposta, por exemplo, no vermelho na roleta, e perde, a tendência é continuar a apostar no vermelho até acertar e recuperar da perda. Porque o vermelho "tem de sair", diz o jogador para consigo!

Esta é uma falácia completa, a probabilidade de sair preto ou vermelho continua a ser a mesmíssima e neste caso o jogador está sempre em desvantagem em todas as apostas sendo irrelevante onde ele apostou antes e quantas vezes perdeu.
...


É matematicamente óbvio que a probabilidade de sair "vermelho" é bem maior do que sair "preto", sabendo que nos últimos lançamentos saiu sempre "preto" (ver probabilidade condicional). Por isso o jogador faz muitissimo bem em continuar a apostar no "vermelho".

Com isto não pretendo fazer nenhuma extrapolação para os mercados, apenas chamar a atenção para a incorrecção matemática do Marco.



Não meu caro, não são independentes. E não são precisamente pelo facto de se saber o que saiu nos ultimos lançamentos.


Sugiro que faças a seguinte experiência: lança uma moeda e regista a sequência obtida (caras e coroas).
Analisa a seuquência e identifica as subsequências com uma cara isolada e vê o que vem a seguir
depois faz a mesma coisa para subseuencias com duas caras sucessivas e vê o que vem a seguir
para tres caras sucessivas etc
Se qq for o nº de caras sucessivas que tenhas, aproximadamente metade das vezes no lançamento seguinte sair caras e metade coroas os lançamentos são independentes. Se não obtiveres isso então demonstraste que o modelo mental que a maior parte das pessoas usa está errado :lol:
1 milhão de lançamentos deve ser suficiente, e deve dar tempo até bolsa subir :lol:
 
Mensagens: 201
Registado: 29/11/2007 14:36
Localização: Aveiro

Re: O Paradigma da Roleta

por Zenith » 24/10/2008 15:15

longBlackCandle Escreveu:
Atomez Escreveu:Qual a probabilidade de em 10 lançamentos sairem sempre caras?

Será 0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5x0.5 = 0.9765%


:shock:

Precisamente. A probabilidade de nesses 10 lançamentos sair pelo menos uma coroa é de 1 - 0.009765 (~1).

:P

Por isso diz-me lá onde apostavas no 11º lançamento sabendo que nos 10 anteriores sairam 10 caras?

Continuas a ter 50% de hipoteses de acertar, escolhendo caras ou coroas.
 
Mensagens: 201
Registado: 29/11/2007 14:36
Localização: Aveiro

Próximo

Quem está ligado:
Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante