A escolha de um Warrant...

Colecção de Artigos Didácticos do Caldeirão de Bolsa.

A escolha de um Warrant...

por MarcoAntonio » 14/12/2007 17:57

A escolha de um Warrant...

Negociar Warrants reveste-se de vários perigos que são muitas vezes ignorados ou negligenciados. Além de se tratar de um produto alavancado, o que naturalmente permite atingir maiores ganhos mas igualmente possibilita a ocorrência de grandes perdas, acresce que o Warrant é um produto bastante complexo envolvendo outras variáveis que não apenas a direcção do mercado.

Assim e devido às suas características não basta estar do lado certo do mercado, mas estar do lado certo, no momento certo e no Warrant adequado. A questão do timing e da escolha do Warrant são pois de grande importância e regra geral determinantes para o sucesso ou insucesso do trade...


Em primeiro lugar, devemos tomar em consideração o plano temporal do trade que temos em vista: Curtíssimo, Curto ou Médio-prazo. Não pretendo neste artigo discutir a dinâmica do Warrant pelo que o mesmo pressupõe que se conhece e domina a mecânica de funcionamento dos Warrants. No quadro seguinte apresentam-se os vários planos temporais e o que me parece mais importante previligiar e evitar em cada um dos casos:


Imagem


Num trade de curtíssimo-prazo é importante previligiar o efeito de alavancagem, especialmente em daytrading. Desta forma consegue-se transformar pequenos movimentos (nomeadamente intradiários) em movimentos negociáveis que permitam cobrir custos de negociação. Por seu turno, há que ter em consideração o spread Bid/Ask, pois o efeito de alavancagem que transforme um movimento no subjacente de 1% em 10% no Warrant de nada serve se o mesmo Warrant tiver um spread Bid/Ask na ordem dos 10, 20 ou mais %. Neste caso não é muito importante a questão da maturidade e da distancia entre o strike e o subjacente, individualmente. Mas no seu conjunto poderão levar o Warrant a um valor absoluto muito baixo implicando elevados spreads, no caso do Warrant muito out-of-the-money e já relativamente perto do maturidade.

Num trade de curto-prazo (várias sessões a algumas semanas) o aspecto principal a ter em linha de conta é a questão da sensibilidade à volatilidade dado que um movimento do subjacente pode não ter o efeito desejado no Warrant caso esteja a ser contrariado por uma perda de volatilidade implícita se se tratar de um Warrant muito sensível neste aspecto. Neste caso, ainda não sendo crítica, a questão da perda de valor temporal também deverá ser analisada. Deve-se previligiar uma boa relação entra a alavancagem e a estabilidade perante a perda de valor temporal e a sensibilidade à volatilidade. Warrants muito alavancados tendem a ser muito instáveis e se bem que podem servir perfeitamente para daytrading ou curtíssimo-prazo já poderão não ser adequados para um trade de algumas semanas.

Num trade de médio-prazo, a questão da perda de valor temporal ganha um maior relevo pois estando-se a falar de um trade que pode durar vários meses, surge obviamente um efeito cumulativo que não deverá ser negligenciado. Neste caso é preferível que o Warrant tenha características bastante estáveis, o mais parecido possível com Futuros ou CFD's, um Warrant em que a perda de valor temporal e a sensibilidade à volatilidade tenham efeitos mínimos. A estabilidade levanta ainda outra questão que mais adiante analisarei em maior pormenor.


No quadro seguinte poderá ver-se em traços gerais qual a situação do Warrant mais adequada para cada um dos planos temporais tendo em conta as características atrás descritas:


Imagem


Não sendo tão importante no caso do daytrading e curtíssimo-prazo, será de evitar principalmente no curto e médio-prazo Warrants que estejam perto da maturidade, mesmo que pareçam apelativos. Os Warrants perto da maturidade e principalmente se estiverem out-of-the-money tendem a ficar bastante instáveis além de que a sua margem de manobra temporal é reduzida. A questão é mais ou menos óbvia mas não faz mal algum referi-la em todo o caso...


Existe a tentação de efectuar a escolha com base numa simulação nas calculadoras de Warrants. Estas aplicações têm obviamente utilidade, no entanto devem servir apenas de auxiliar à escolha. Evite utilizar essas ferramentas para projectar um determinado cenário. Sinceramente, entendo que a escolha de um Warrant é mais complexa do que descobrir qual o Warrant que valoriza mais se o índice for ao valor x no dia y.
Esse cenário pode falhar de diversas formas pois não só temos de estar correctos quanto à direcção do mercado como em relação a um valor específico num dado espaço de tempo.
Trata-se de uma ponderação muito restritiva que poderá levar à escolha de um Warrant demasiado perigoso caso o índice não corresponda a essas expectativas específicas. Nada de particularmente improvável quando ponderamos um único cenário...


Retomo agora o aspecto da estabilidade do Warrant. Uma das características específicas do Warrant é o facto do seu comportamento se alterar ao longo do tempo com a evolução do subjacente e com a aproximação da data de maturidade. Este aspecto não deve ser descurado em trades com prazos mais alargados.
Esta característica particular dos Warrants é responsável por muitos trades perdedores que em Futuros ou CFD's seríam possívelmente ganhadores.
Isto porque, decorrido um tempo considerável desde a compra do Warrant, este já não é o mesmo, as suas características mudaram. Este aspecto é tão mais importante em trades que não estejam a correr particularmente bem mas em que a nossa análise ao subjacente nos diga para manter a posição dado que visamos um movimento num plano mais alargado, movimento esse que nos continua a parecer possível e provável. No entanto, o Warrant aproximou-se da maturidade e simultaneamente o subjacente poderá ter-se afastado (ainda que apenas ligeiramente) do strike. O Warrant pode muito bem ter passado a pouco adequado para o nosso plano temporal ou num caso mais extremo, dada a proximidade da maturidade e da distância do strike o sucesso no trade estar agora bastante comprometido, senão impossível. Convém não ficar «fixado» num Warrant principalmente se o trade se arrasta no tempo. Não hesite em mudar de Warrant se pretende manter a posição. Pela experiência que tenho é algo que os investidores não ponderam, mas se pretende manter a posição poderá ser bastante vantajoso passar para outro Warrant entretanto mais adequado. Não tem qualquer desvantagem se abrir uma posição do mesmo valor da que acabou de fechar a não ser os custos de negociação. Quanto às vantagens são de diversa ordem: ao escolher um Warrant com outro strike mais acessível e/ou uma maturidade mais afastada passa a ter maiores probabilidades de sucesso.

Note que caso o trade não corra conforme o esperado, tal pode significar que:

:arrow: O Warrant que na altura da escolha se encontrava in-the-money passou a out-of-the-money, alterando-se as suas características básicas de sensibilidade à volatilidade e à perda de valor temporal;

:arrow: O Warrant cujo strike se encontrava perto do subjacente, valor aquele facilmente atingível num certo período de tempo, passou a estar entretanto afastado do strike com a agravante de que a margem de manobra temporal reduziu-se igualmente com a aproximação da data de maturidade.

Mesmo nos casos em que o trade corre favoravelmente poderá compensar a dada altura mudar de Warrant pois o que se detém tenderá a perder elasticidade ao passar a encontrar-se deep-in-the-money.

Relembro que este artigo visa apenas a questão da escolha de um Warrant adequado. O artigo pressupõe que se conhece e domina a mecânica de funcionamento dos Warrants.

Marco Antonio
Bons Negócios,
Marco Antonio
Caldeirão de Bolsa

FLOP - Fundamental Laws Of Profit


1. Mais vale perder um ganho que ganhar uma perda, a menos que se cumpra a Segunda Lei.
2. A expectativa de ganho deve superar a expectativa de perda, onde a expectativa mede a
....amplitude média do ganho/perda contra a respectiva probabilidade.
3. A Primeira Lei não é mesmo necessária mas com Três Leis isto fica definitivamente mais giro.
Avatar do Utilizador
Administrador Fórum
 
Mensagens: 31618
Registado: 4/11/2002 22:16
Localização: Vilar do Paraíso

Warrants

por Marijon2 » 14/12/2007 19:17

Marco António

Excelente tópico :)

Espero que tenha muita participação :!: Até logo 8-)


Bjs

Maria João
 
Mensagens: 609
Registado: 14/2/2007 22:16
Localização: Parede

por nunoand99 » 14/12/2007 20:27

Marco,

Li na diagonal, e vi atentamente as tabelas

A 1ª é muito boa (a mim falta-me essa capacidade de sintese)

A 2ª eu diria que depende da estratégia e do risco que estamos dispostos a correr. Ou seja é pessoal...


Eu, por exemplo, quando tenho mais que uns 90%-95% da carteira longa, compro sempre (desde que há) warrants MUITO "out of the money" (e com longas maturidades, obviamente) por forma a ter uma espécie de SEGURO.

Normalmente até é uma parte dos "profits" do ano que vai para aí.
 
Mensagens: 915
Registado: 16/5/2005 21:38

por Crómio » 14/12/2007 21:15

Parabéns Marco,

Mais uma que vou imprimir.

Em relação às calculadoras de warrants (neste caso a do Commerzbank) tenho a dizer que no cálculo dos Turbos, os valores não bateram certo com a realidade durante a evolução do turbo e também não percebo porque é que se a volatilidade não entra no cálculo dos turbos, o valor do turbo varia com volatilidade (na calculadora)(?).

Este parágrafo anterior também serve de exemplo de o quanto uma pessoa pode ficar baralhada.

Continuação de um bom trabalho.
There are two kinds of investors: those who don't know where the market is headed, and those who don't know that they don't know.

William Bernstein
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 2745
Registado: 2/11/2007 16:52

por Touro » 15/12/2007 4:21

Na prática a questão da mudança de 'warrant' fazendo uma espécie de 'rollover' não funciona no mercado português devido ao número de emissões muito limitado.

Há subjacentes apenas com um 'warrant' cotado! Outros têm dois, sendo que o segundo é pior que o primeiro. Eu diria que 99% dos 'warrants' cotados em Portugal são para especulação intradiária, são roletas russas, e aqui é preciso ter muito, muito cuidado com as alavancagens, porque são tentadoras e podem arruinar os mais distraídos.

A probabilidade de no longo prazo ganhar com estes 'warrants' é a mesma de ganhar a lotaria. Mas atenção, a probabilidade de perder é igual à probabilidade de não ganhar a lotaria.

É preferivel aplicar o dinheiro na lotaria, porque os ganhos da Santa Casa revertem para uma causa social. Além disso não consta que alguém se arruinasse por jogar na lotaria.
Cumprimentos,
Touro
 
Mensagens: 1347
Registado: 5/11/2002 14:09
Localização: Porto

por tiagopt2 » 15/12/2007 17:52

Para quem não sabe muito sobre warrants (como é o meu caso) e quer saber um pouco mais antes de ler este artigo muito bem concebido fica um link:
https://www.bancobest.pt/finsebanking/s ... d=GotoView
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 2032
Registado: 24/11/2007 23:02
Localização: Pinhal Novo

warrants

por jarc » 15/12/2007 21:09

Está tudo muito bem explicadinho na verdade, falta é dizer alguma coisa sobre o que parece inexplicável. E esse pormenor faz toda a diferença. Para sentir o efeito desse pormenor nada como meter lá a cabeça. Os warrants tradicionais são um verdadeiro engodo para caçar tolos. Antes de comprarem olhem bem para um call e um put com a mesma maturidade e tirem as vossas conclusões.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 2320
Registado: 23/7/2003 16:05
Localização: Sul

por FHSMONTEIRO » 22/10/2009 15:57

Ando agora a estudar uma entrada em Warrants e como tal resolvi "ressuscitar" este tópico...

jarc por acaso não gostarias de fundamentar tua ultima opnião ?

Abraço
 
Mensagens: 721
Registado: 29/11/2007 2:47
Localização: Unknown

Re: warrants

por CrashXXI » 22/10/2009 16:53

jarc Escreveu:Está tudo muito bem explicadinho na verdade, falta é dizer alguma coisa sobre o que parece inexplicável. E esse pormenor faz toda a diferença. Para sentir o efeito desse pormenor nada como meter lá a cabeça. Os warrants tradicionais são um verdadeiro engodo para caçar tolos. Antes de comprarem olhem bem para um call e um put com a mesma maturidade e tirem as vossas conclusões.



Marco
Antes de mais, obrigado pelo teu post! :wink:



jarc
Eventualmente eu depreenderei o que quererás dizer. No entanto, poderás ser mais explícito, no comentário que fazes, para fundamentares a afirmação e para ter uma função pedagógica e de partilha com os colegas de fórum?
É que, desta forma, pouco valor tem.


Abraços
Crash
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 550
Registado: 20/5/2009 17:17
Localização: Gaia

por saga II » 23/10/2009 0:37

sou da opinião do jarc. meus amigos, os w tradicionais têm um veneno escondido chamado "volatilidade implícita", para os mais desatentos ou principiantes. esta variavel é extremamente complexa de calcular.
desaconselho vivamente a negociação desta classe. é preferivel os turbos onde esta variavel desaparece.
bem, o melhor é experimentar para saber o resultado. umas chamuscadelas não faz mal a ninguem :mrgreen:

ps:conselho - este produto só para day ou weektrade.
bons negocios.
 
Mensagens: 15
Registado: 21/2/2009 20:13
Localização: A VER-O-MAR - P.VARZIM

Re: warrants

por Elgenedy » 23/10/2009 10:06

CrashXXI Escreveu:Eventualmente eu depreenderei o que quererás dizer. No entanto, poderás ser mais explícito, no comentário que fazes, para fundamentares a afirmação e para ter uma função pedagógica e de partilha com os colegas de fórum?
É que, desta forma, pouco valor tem.


Olá Crash,

Apesar de não ser o Jarc, posso-te falar das minhas "chamuscadelas" (que na realidade se qualificaram mais como queimaduras de 3º grau do que meras chamuscadelas...).

A questão da volatilidade é muito "interessante", pois, do ponto de vista teórico, a volatilidade de um activo deveria ser, num determinado momento, sempre a mesma. A questão é que se olhares para um call e um put, com a mesma maturidade, sobre o mesmo activo, reparas que ambas são diferentes.

Imagina a seguinte situação: tens um activo em subida, compras um call. À medida que o activo vai subindo, a volatilidade vai descendo, "desvalorizando" essa subida. Quando acreditas que está na altura de vender porque vai corrigir/descer, até compras um Put, mas reparas que no Put a volatilidade está significativamente mais elevada, colocando o put mais caro do que deveria. Quando efectivamente o activo começa a descer, dá-se o inverso na volatilidade, e acabas por ver o warrant a valorizar muito menos do que esperavas.

Não quero com isto dizer que os warrants são totalmente manipulados e que é apenas uma forma de sacar dinheiro, mas que é preciso ter muita atenção a vários detalhes, senão tornam-se precisamente numa ratoeira para "novatos".

Os warrants acabam por ser muito atractivos, sobretudo para os novatos, devido à sua capacidade de valorização e em curtos espaços de tempo (onde facilmente se fala de rentabilidades com 3 dígitos numa questão de dias). Mas trazem consigo uma série de questões que, nmho, devem ser bem entendidos antes de o investidor se atirar de cabeça.

Pessoalmente, estoirei quase a totalidade da conta dedicada a warrants...

Cumprimentos,

Elgenedy
"When you have eliminated the impossible, whatever remains, however improbable, must be the truth." [Sherlock Holmes]
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 399
Registado: 17/12/2002 22:25
Localização: 16

por FHSMONTEIRO » 23/10/2009 14:25

Realmente tenho olhado mais para os turboWarrants, antes de me aventurar na práctica, estou a fazer a experiencia de cerca de 30 dias de uma carteira virtual, vamos lá ver como corre, embora eu saiba que há coisas que so aprendemos mesmo na prática...

Já agora vou transaccionar via BigOnLine, alguêmn que também o faça?

Uma questão, já percebi que existe o emitente que define a cotação dos Turbo, aquela cotação actual que é apresentada e que foi feito o ultimo negocio...se dermos uma ordem de venda no valor dessa cotação...é sempre realizada ou nem por isso ?

Obrigado,
Abraços
 
Mensagens: 721
Registado: 29/11/2007 2:47
Localização: Unknown

por Elgenedy » 23/10/2009 14:45

CTR2004 Escreveu:Realmente tenho olhado mais para os turboWarrants, antes de me aventurar na práctica, estou a fazer a experiencia de cerca de 30 dias de uma carteira virtual, vamos lá ver como corre, embora eu saiba que há coisas que so aprendemos mesmo na prática...

Já agora vou transaccionar via BigOnLine, alguêmn que também o faça?

Uma questão, já percebi que existe o emitente que define a cotação dos Turbo, aquela cotação actual que é apresentada e que foi feito o ultimo negocio...se dermos uma ordem de venda no valor dessa cotação...é sempre realizada ou nem por isso ?

Obrigado,
Abraços


Olá CTR2004,

A questão da ordem ser ou não realizada, vai depender. Através do banco big, podes transaccionar alguns warrants em bolsa e outros fora de bolsa.

No primeiro caso, tens ofertas de venda e de compra como nas acções. Se deres ordem de venda, a mesma será realizada da mesma forma que seria se de uma acção se tratasse. Ou seja, a tua ordem será realizada se existir comprador para o valor que tu definiste.

No segundo caso, não és tu a dar a ordem, mas sim, o emitente a apresentar-te uma cotação. E essa tu aceitas ou não (penso que tens uma janela temporal de 5 segundos para decidires se queres aquela cotação). Aqui a questão das ordens não se coloca pois o funcionamento é diferente. Neste caso, tipicamente (salvo raras excepções), quando aceitas uma cotação, a transacção é feita.

Uma nota de atenção aos preços dos warrants: eles têm sempre 2 preços associados: compra (valor a que o emitente compra o warrant) e venda (valor a que emitente vende o Warrant). Logicamente, o segundo é sempre superior ao primeiro. Ou seja, podes ter uma cotação de 0,2 como o valor a que o emitente vendeu, mas que ele só compra a 0,19. Daí, facilmente pode acontecer que não te apareça a cotação que estás a ver do último negócio.

Cumprimentos,

Elgenedy
"When you have eliminated the impossible, whatever remains, however improbable, must be the truth." [Sherlock Holmes]
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 399
Registado: 17/12/2002 22:25
Localização: 16


Quem está ligado:
Utilizadores a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 2 visitantes