Outros sites Cofina
Caldeirão da Bolsa

BCP - Novo Tópico Geral

Espaço dedicado a todo o tipo de troca de impressões sobre os mercados financeiros de uma forma genérica e a todo o tipo de informação útil que possa condicionar o desempenho dos mesmos

Moderadores: Pata-Hari, Ulisses Pereira, MarcoAntonio

Re: BCP - Novo Tópico Geral "uma opinião"

por Aqui_Vale » 17/9/2022 19:25

CumPrim/
ValeAquilino
Anexos
BCP 16Setembro.png
BCP 16Setembro.png (71.17 KiB) Visualizado 4401 vezes

Eu não sonho, faço planos. (A. S. V.)


"Se ensinares, ensina ao mesmo tempo a duvidar daquilo que estás a ensinar."
José Ortega Y Gasset
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 2497
Registado: 29/11/2007 2:04
Localização: Açores

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por XxxTOP GUNxxX » 17/9/2022 21:35

vale,
H&S são figuras técnicas, que indicam inversão de tendência, ocorrendo na generalidade em topos, o que não é o caso do bcp….
não acredito que seja validado, por um lado.
por outro lado, não tenho posição no bcp, nem tenciono ter….
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 532
Registado: 16/3/2021 21:17

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por volvista » 20/9/2022 23:00

Hoje price target a 0,40 ! Ainda sem se saber da situação da Fosum e de quem está exposto.
 
Mensagens: 310
Registado: 9/9/2017 21:28

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por Investbem » 21/9/2022 13:22

Cordiais cumprimentos
Investbem
 
Mensagens: 1762
Registado: 29/11/2007 3:56
Localização: wwwww

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por João 87 » 21/9/2022 15:58

BBVA abre a porta a novas aquisições dentro e fora de Espanha

Maria Teixeira Alves 21 Setembro 2022, 11:13
“O BBVA está aberto à exploração de potenciais aquisições de bancos”, disse Onur Genç, durante a sua participação na conferência financeira organizada pelo Bank of America nesta quarta-feira em Londres, citado pelo Expansión.

O CEO do BBVA, Onur Genç, admitiu durante uma conferência organizada pelo Bank of America que o banco espanhol poderá fazer novas “adições” à carteira dos países em que está presente. A notícia foi avançada pelo Expansión.

“O BBVA está aberto à exploração de potenciais aquisições de bancos”, disse Genç, durante a sua participação na conferência financeira desta quarta-feira.

Recorde-se que o BBVA está em Portugal com uma sucursal desde 19 de outubro de 2018, sendo de momento liderada por Luís Castro e Almeida.

O Presidente do BBVA e COO (Chief Operating Officer), salientou ainda aos investidores o historial do banco na geração de valor para os acionistas e as suas vantagens competitivas, defendendo ao mesmo tempo que está numa “boa posição” para atingir as metas estabelecidas para 2024 no seu Dia do Investidor.

Entre as metas do banco está uma rendabilidade medida pelo ROTE de 14%. O BBVA destaca também as boas perspetivas de criação de valor para o acionista, com um dividend yield de 6,3% (a partir de 16 de setembro).

O banco também reitera a melhoria nas perspetivas de negócios para 2022 em dois de seus principais mercados, México e Espanha. “Assim, prevê que em Espanha o crédito cresça abaixo de um dígito ao longo do ano e que a margem de juros aumente cerca de 5%. No México, o crescimento esperado da carteira de crédito em 2022 é de dois dígitos e prevê-se que a margem crescerá cerca de 20%”, assegura o BBVA citado pelo Bolsamania.

Falando na conferência em Londres, Genç passou ainda a mensagem de que poderá fundir-se com o seu rival espanhol Banco Sabadell. “Pode haver fusões à escala local”, disse. “Anteriormente [em 2020] tentámos uma fusão com o Banco Sabadell, precisamente porque achamos que o crescimento de escala em Espanha é fundamental. Na banca de retalho o nosso negócio é escala. Se um banco de retalho não é um dos líderes no mercado, não tem muitas hipóteses”, referiu.
 
Mensagens: 244
Registado: 28/3/2021 13:21

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por volvista » 21/9/2022 18:27

Naturalmente a haver aquisições será quando os Mercados afundarem no 4º trimestre ou 1º de 2023.
 
Mensagens: 310
Registado: 9/9/2017 21:28

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por Goya777 » 22/9/2022 9:31

Banca toda bem verde e BCP a pastelar ainda. Ainda acaba o dia a ganhar 3%
 
Mensagens: 2112
Registado: 17/7/2014 22:33

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por João 87 » 22/9/2022 10:25

Goya777 Escreveu:Banca toda bem verde e BCP a pastelar ainda. Ainda acaba o dia a ganhar 3%



O BCP, Enquanto nao se juntar ao BBVA ou ao Santander, nao passa da sua insignificância. Poderá ser uma questão de tempo , mas para quando, poucos sabem...
 
Mensagens: 244
Registado: 28/3/2021 13:21

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por JUKIMSUNG » 22/9/2022 10:29

A banca já sobe entre 3 e 5% na Europa.

O BCP deve estar a ver se acorda...
 
Mensagens: 1064
Registado: 7/3/2007 19:42
Localização: évora

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por JMTO » 22/9/2022 12:27

Decisão sobre os empréstimos hipotecários na Polónia

Acórdão do Tribunal de Justiça nos processos apensos C-80/21 a C-82/21 | D.B.P. e o. (Mútuo hipotecáriodenominado em divisas estrangeiras)


Se o contrato de mútuo não puder subsistir sem essa cláusula, deve ser declarado nulo.
Veja o texto do acórdão.

Na Polónia, vários consumidores contraíram mútuos hipotecários denominados em francos suíços (CHF) com vista à aquisição de bens imóveis. Em substância, esses mútuos foram registados em CHF e disponibilizados aos consumidores em zlótis polacos (PLN) com a aplicação do preço de compra do CHF relativamente ao PLN como preço de conversão. Em contrapartida, aquando do reembolso das prestações mensais dos mútuos, o preço de conversão correspondia ao preço de venda do CHF relativamente ao PLN. Estes consumidores apresentaram ações no Tribunal de Primeira Instância de Varsóvia – Centro destinadas à declaração, por força da Diretiva sobre as cláusulas abusivas nos contratos de consumo, do caráter abusivo das cláusulas relativas ao mecanismo de conversão acima referido, que faziam parte integrante do seu contrato de mútuo respetivo.

Este órgão jurisdicional procura saber se a diretiva se opõe a uma jurisprudência nacional segundo a qual o juiz nacional pode, após ter declarado a nulidade de uma cláusula abusiva contida num contrato de consumo que implica a nulidade do mesmo no seu todo, substituir a cláusula anulada quer por via da interpretação das declarações de vontade das partes quer aplicando à cláusula abusiva anulada uma disposição de direito nacional de caráter supletivo, pese embora o consumidor não desejar manter a validade do contrato.

Além disso, o órgão jurisdicional polaco interroga o Tribunal de Justiça sobre a questão de saber se, no âmbito da supressão de uma cláusula abusiva, o juiz nacional se pode limitar a eliminar a parte efetivamente abusiva da cláusula ou, pelo contrário, deve eliminar esta cláusula na sua totalidade. Por último, o órgão jurisdicional polaco pretende também obter precisões sobre o início do prazo de prescrição do direito ao reembolso de que beneficia o consumidor na sequência da supressão de uma cláusula abusiva.

Com o seu acórdão de hoje, o Tribunal de Justiça, em primeiro lugar, recorda que a possibilidade excecional de o juiz nacional substituir uma cláusula abusiva anulada por uma disposição nacional com caráter supletivo está limitada aos casos em que a supressão dessa cláusula abusiva obriga esse juiz a invalidar o contrato em causa no seu todo, expondo assim o consumidor a consequências particularmente prejudiciais. Ora, quando o consumidor foi informado das consequências associadas à anulação do contrato no seu todo e consentiu essa anulação, não parece que o requisito segundo o qual a anulação do contrato no seu todo o exporia a consequências particularmente prejudiciais esteja preenchido. Por conseguinte, a diretiva não permite a aplicação de uma jurisprudência nacional segundo a qual o juiz nacional pode, após ter declarado a nulidade de uma cláusula abusiva contida num contrato de consumo, que implica a nulidade desse contrato no seu todo, substituir a cláusula abusiva anulada por uma disposição de direito nacional de caráter supletivo, mesmo que o consumidor se oponha a tal solução.

Do mesmo modo, a diretiva não permite substituir uma cláusula abusiva anulada por uma interpretação judicial porque os juízes nacionais apenas estão obrigados a afastar a aplicação de uma cláusula abusiva, sem estarem habilitados a modificar o seu conteúdo.

Em segundo lugar, o Tribunal de Justiça salienta que a diretiva se opõe a uma jurisprudência nacional que permite ao juiz nacional suprimir apenas a parte efetivamente abusiva de uma cláusula, mantendo a restante eficácia da mesma, quando essa supressão equivaleria a rever o conteúdo da referida cláusula, afetando a sua substância.

Em terceiro lugar, o Tribunal de Justiça constata que um prazo de prescrição relacionado com os direitos do consumidor só pode ser compatível com o direito da União se o consumidor tiver tido a possibilidade de conhecer os seus direitos antes de esse prazo começar a correr ou de terminar. Ora, a oposição de um prazo de prescrição a um pedido de restituição apresentado por esse consumidor na sequência da supressão de uma cláusula abusiva que começa a correr a partir da data de cada prestação realizada pelo consumidor, mesmo que este não tenha tido conhecimento, nessas datas, do caráter abusivo dessa cláusula, não é suscetível de garantir ao consumidor uma proteção efetiva. Daqui resulta que o direito da União se opõe a uma jurisprudência nacional que permite essa prática.

(08-09-2022 I curia.europa.eu)
 
Mensagens: 1
Registado: 18/10/2017 19:34

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por João 87 » 22/9/2022 14:10

JMTO Escreveu:Decisão sobre os empréstimos hipotecários na Polónia

Acórdão do Tribunal de Justiça nos processos apensos C-80/21 a C-82/21 | D.B.P. e o. (Mútuo hipotecáriodenominado em divisas estrangeiras)


Se o contrato de mútuo não puder subsistir sem essa cláusula, deve ser declarado nulo.
Veja o texto do acórdão.

Na Polónia, vários consumidores contraíram mútuos hipotecários denominados em francos suíços (CHF) com vista à aquisição de bens imóveis. Em substância, esses mútuos foram registados em CHF e disponibilizados aos consumidores em zlótis polacos (PLN) com a aplicação do preço de compra do CHF relativamente ao PLN como preço de conversão. Em contrapartida, aquando do reembolso das prestações mensais dos mútuos, o preço de conversão correspondia ao preço de venda do CHF relativamente ao PLN. Estes consumidores apresentaram ações no Tribunal de Primeira Instância de Varsóvia – Centro destinadas à declaração, por força da Diretiva sobre as cláusulas abusivas nos contratos de consumo, do caráter abusivo das cláusulas relativas ao mecanismo de conversão acima referido, que faziam parte integrante do seu contrato de mútuo respetivo.

Este órgão jurisdicional procura saber se a diretiva se opõe a uma jurisprudência nacional segundo a qual o juiz nacional pode, após ter declarado a nulidade de uma cláusula abusiva contida num contrato de consumo que implica a nulidade do mesmo no seu todo, substituir a cláusula anulada quer por via da interpretação das declarações de vontade das partes quer aplicando à cláusula abusiva anulada uma disposição de direito nacional de caráter supletivo, pese embora o consumidor não desejar manter a validade do contrato.

Além disso, o órgão jurisdicional polaco interroga o Tribunal de Justiça sobre a questão de saber se, no âmbito da supressão de uma cláusula abusiva, o juiz nacional se pode limitar a eliminar a parte efetivamente abusiva da cláusula ou, pelo contrário, deve eliminar esta cláusula na sua totalidade. Por último, o órgão jurisdicional polaco pretende também obter precisões sobre o início do prazo de prescrição do direito ao reembolso de que beneficia o consumidor na sequência da supressão de uma cláusula abusiva.

Com o seu acórdão de hoje, o Tribunal de Justiça, em primeiro lugar, recorda que a possibilidade excecional de o juiz nacional substituir uma cláusula abusiva anulada por uma disposição nacional com caráter supletivo está limitada aos casos em que a supressão dessa cláusula abusiva obriga esse juiz a invalidar o contrato em causa no seu todo, expondo assim o consumidor a consequências particularmente prejudiciais. Ora, quando o consumidor foi informado das consequências associadas à anulação do contrato no seu todo e consentiu essa anulação, não parece que o requisito segundo o qual a anulação do contrato no seu todo o exporia a consequências particularmente prejudiciais esteja preenchido. Por conseguinte, a diretiva não permite a aplicação de uma jurisprudência nacional segundo a qual o juiz nacional pode, após ter declarado a nulidade de uma cláusula abusiva contida num contrato de consumo, que implica a nulidade desse contrato no seu todo, substituir a cláusula abusiva anulada por uma disposição de direito nacional de caráter supletivo, mesmo que o consumidor se oponha a tal solução.

Do mesmo modo, a diretiva não permite substituir uma cláusula abusiva anulada por uma interpretação judicial porque os juízes nacionais apenas estão obrigados a afastar a aplicação de uma cláusula abusiva, sem estarem habilitados a modificar o seu conteúdo.

Em segundo lugar, o Tribunal de Justiça salienta que a diretiva se opõe a uma jurisprudência nacional que permite ao juiz nacional suprimir apenas a parte efetivamente abusiva de uma cláusula, mantendo a restante eficácia da mesma, quando essa supressão equivaleria a rever o conteúdo da referida cláusula, afetando a sua substância.

Em terceiro lugar, o Tribunal de Justiça constata que um prazo de prescrição relacionado com os direitos do consumidor só pode ser compatível com o direito da União se o consumidor tiver tido a possibilidade de conhecer os seus direitos antes de esse prazo começar a correr ou de terminar. Ora, a oposição de um prazo de prescrição a um pedido de restituição apresentado por esse consumidor na sequência da supressão de uma cláusula abusiva que começa a correr a partir da data de cada prestação realizada pelo consumidor, mesmo que este não tenha tido conhecimento, nessas datas, do caráter abusivo dessa cláusula, não é suscetível de garantir ao consumidor uma proteção efetiva. Daqui resulta que o direito da União se opõe a uma jurisprudência nacional que permite essa prática.

(08-09-2022 I curia.europa.eu)


Fica a ideia que é uma decisão favoravel para o Banco?
 
Mensagens: 244
Registado: 28/3/2021 13:21

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por junas » 22/9/2022 18:24

Afinal o Banco Polaco tem que indemnizar os clientes ou não?
 
Mensagens: 313
Registado: 11/6/2008 21:46
Localização: 13

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por xabregas da calçada » 22/9/2022 20:00

Hoje o Banco polaco subiu mais de 4% .
 
Mensagens: 27
Registado: 18/12/2021 22:27

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por João 87 » 22/9/2022 21:39

Lone Star diz que nova administradora com experiência em fusões e aquisições dará “valiosos contributos” ao Novo Banco
Novo Banco a preparar se (...).
 
Mensagens: 244
Registado: 28/3/2021 13:21

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por João 87 » 23/9/2022 13:51

Não falta muito.

A Sonangol está a sair do sector privado, sobretudo de bancos, muito por determinação do Fundo Monetário Internacional (FMI), que quis empurrar o regime de João Lourenço para retirar peso do Estado da economia.

O Banco Caixa Geral Angola foi a segunda cotada na bolsa angolana por via da Sonangol, como também já tinha acontecido com o BAI, de onde saíram a petrolífera e a empresa de diamantes Endiama.

Em Portugal, a Sonangol é a segunda maior acionista do segundo maior banco português, o BCP, tendo 19,4% do capital, havendo há anos abertura para alternativas para essa posição, mas sem concretização.
 
Mensagens: 244
Registado: 28/3/2021 13:21

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por volvista » 23/9/2022 14:46

Pois Sonangol com 19,4% e a Fosum com 29%! Aguardamos notícias da Fosum e de quem está ligado.
 
Mensagens: 310
Registado: 9/9/2017 21:28

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por caldeirum » 23/9/2022 15:11

Acham que pode existir interesse de algum banco no BCP? Espanhol, francês?
 
Mensagens: 233
Registado: 14/10/2021 22:31

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por João 87 » 23/9/2022 15:34

caldeirum Escreveu:Acham que pode existir interesse de algum banco no BCP? Espanhol, francês?
.

Não quero com isto influenciar alguém para investir no BCP, mas no curto /medio prazo, este banco deixará de ter a Sonangol ( que já disse que quer sair) e quem sabe a Fosum, como acionistas principais.
Pode ser um banco Espanhol a entrar ou um Banco Francês , ou outra situação pode acontecer....previsões, só no fim do jogo.
 
Mensagens: 244
Registado: 28/3/2021 13:21

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por volvista » 23/9/2022 18:51

A Lone Star?! Tinha que estar a cotação a 0,05!!!!
 
Mensagens: 310
Registado: 9/9/2017 21:28

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por PXYC » 25/9/2022 17:40

Não entendo porque baixa tanto a cotação do BCP, quando as subidas das taxas de juro pelo BCE equivalem a subida de margem financeira para os bancos. Não era isso o que a banca esperava?
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 396
Registado: 13/10/2014 16:44

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por caldeirum » 26/9/2022 10:57

Acho que estão a descontar o efeito das subidas dos juros no crédito à habitação. Embora a subida de juros possa ser positiva para a banca, para quem pediu empréstimo para aquisição de casa não é. Podemos ter aqui uma crise de crédito.
 
Mensagens: 233
Registado: 14/10/2021 22:31

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por caldeirum » 26/9/2022 11:32

Acabo de ler isto sobre os empréstimos vá vários na aquisição de casa:

http://multinews.sapo.pt/noticias/quer- ... ar-ate-30/

Isto não pode colocar um travão importante ao imobiliário?
 
Mensagens: 233
Registado: 14/10/2021 22:31

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por Àlvaro » 26/9/2022 17:01

Uma ação muita perigosa, caso se confirme um cenário bear cairá fortemente. A situação geopolítica agravou-se e esta semana poderá ser decisiva. Ou o regime russo cede, ou o Bcp não se aguentará pois está no olho do furacão. :?
 
Mensagens: 8424
Registado: 31/5/2014 23:07

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por Kooc » 28/9/2022 9:43

Gráfico semanal.
A linha a vermelho sempre a limitar o preço
Os 0,12 são um forte suporte,
Não tenho posições no BCP
Anexos
chart.png
 
Mensagens: 1068
Registado: 30/11/2002 0:36
Localização: Amadora

Re: BCP - Novo Tópico Geral

por Àlvaro » 28/9/2022 9:47

Cá está o efeito "olho do furacão". A Polónia, assim que soarem os tambores será das 1.ªs a entrar na música. Daí o trambolhão ser maior.
 
Mensagens: 8424
Registado: 31/5/2014 23:07

AnteriorPróximo

Quem está ligado:
Utilizadores a ver este Fórum: Bing [Bot], HCC1, PAULOJOAO, Qualnhick e 17 visitantes