Petróleo...

Espaço dedicado a todo o tipo de troca de impressões sobre os mercados financeiros de uma forma genérica e a todo o tipo de informação útil que possa condicionar o desempenho dos mesmos

Moderadores: pata-hari, Ulisses Pereira, MarcoAntonio

Petróleo...

por Nyk » 14/11/2007 11:39

Petróleo regressa aos ganhos após duas sessões em queda


14/11/2007


O petróleo regressava hoje aos ganhos, depois de duas sessões em queda, perante a especulação de que os inventários caíram na semana passada nos EUA.

O crude subia 0,52% para os 91,64 dólares enquanto o "brent" valorizava 0,81% para os 89,55 dólares.

Segundo economistas consultados pela Bloomberg, os inventários de crude nos EUA caíram pela quarta semana consecutiva na que terminou dia 9 de Novembro. Os "stocks" a nível mundial estão 113,9 milhões de barris abaixo da média em termos homólogos.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 14/11/2007 21:37

Petróleo norte-americano sobe mais de 3% com estimativas de redução de reservas
O preço do barril do 'ouro negro' subiu hoje em Londres e em Nova Iorque, devido a previsões que indicam que amanhã o Departamento de Energia (DOE) norte-americano irá anunciar uma redução nas reservas de crude nos EUA.

Susana Teodoro

Desta forma, no encerramento da sessão de hoje o barril de Brent (petróleo de referência na Europa) para entrega em Dezembro foi negociado no ICE de Londres a subir 1,98 dólares para os 90,88 dólares e os contratos de Dezembro do West Texas Intermediate (petróleo de referência na América do Norte, eram negociados em Nova Iorque a crescer 3,20% ou 2,92 dólares para os 94,09 dólares.

Segundo analistas da Bloomberg as reservas de crude nos Estados Unidos deverão cair em cerca de 750 mil barris na semana que termina a nove de Novembro

Nos últimos dois dias os preços caíram cerca de 5,3% devido à especulação que indicava que um crescimento económico mais lento iria afectar a procura de combustível.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 15/11/2007 18:14

OPEP revê em baixa crescimento da procura de petróleo para 2007 e 2008
A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) reviu hoje em baixa em 100 mil barris diários as previsões que tinha feito há um mês sobre o crescimento da procura mundial de petróleo para 2007 e diminuiu em mais 30 mil o aumento do consumo para 2008.

Rita Paz

No seu relatório mensal publicado hoje, a Organização prevê que a procura de petróleo suba este ano em 1,2 milhões de barris diários, ou 1,42% face a 2006, para 85,70 mbd e que no próximo ano cresça em 1,3 mbd, ou 1,53%, para aproximadamente 87,01 mbd.

Há um mês, os analistas do grupo eram mais optimistas, ao prever taxas claramente superiores de crescimento, de 1,54% e 1,56% para 2007 e 2008, respectivamente.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 15/11/2007 22:31

Petróleo recua com subida inesperada das reservas norte-americanas
Os preços do petróleo terminaram a recuar ligeiramente nesta quinta-feira, depois do Departamento de Energia (DoE) norte-americano ter hoje revelado uma subida inesperada das reservas petrolíferas referentes à semana passada, contrariando as estimativas dos analistas.

Tiago Figueiredo Silva

Deste modo, o contrato de Dezembro do West Texas Intermediate (petróleo de referência na América do Norte) terminou a ser negociado no NYMEX de Nova Iorque a recuar 56 cêntimos para os 93,53 dólares, acompanhado pelo barril de Brent (petróleo de referência na Europa) para entrega em Dezembro encerrou a ser negociado no ICE de Londres a descer 51 cêntimos para os 90,85 dólares.

O Departamento de Energia (DoE) norte-americano anunciou hoje uma subida inesperada das reservas de petróleo e de gasolina - relativas à semana passada - contra ao esperado pelos analistas, enquanto que os stocks de produtos destilados recuaram em linha com o previsto.

Segundo o Departamento, as reservas de crude aumentaram em 2,8 milhões de barris, em contra-ciclo com as previsões dos analistas que esperavam em média uma queda de 300 mil barris.

O DoE adianta ainda que os stocks de gasolina também surpreenderam pela positiva ao terem subido em 700 mil barris, contra o recuo esperado pelos analistas de 100 mil barris.

No que diz respeito às reservas de produtos destilados, o Departamento de Energia acrescenta que desceram em 2 milhões de barris, em linha com as previsões dos peritos que apontavam para uma queda de 300 mil barris.

Recorde-se que o petróleo negociado em Nova Iorque aproximou-se da barreira dos 100 dólares na semana passada, ao tocar nos 98,62 dólares a 7 de Novembro, mas nunca chegou a atingir os três dígitos.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 16/11/2007 8:44

Petróleo pouco alterado em Londres e nos EUA
Os preços do petróleo negociavam hoje pouco alterados, e em Londres o barril continua a cotar perto dos 90 dólares, depois de ontem ter sido anunciado uma subida inesperada das reservas. Para a próxima semana, os analistas estão a contar com novas correcções.

--------------------------------------------------------------------------------

Pedro Carvalho
pc@mediafin.pt




Os preços do petróleo negociavam hoje pouco alterados, e em Londres o barril continua a cotar perto dos 90 dólares, depois de ontem ter sido anunciado uma subida inesperada das reservas. Para a próxima semana, os analistas estão a contar com novas correcções.

Em Nova Iorque, o crude [Cot] está a valorizar 0,13% para os 93,55 dólares e no mercado londrino o "brent" está a ganhar uns ligeiros 0,03% para os 90,26 dólares.

Os preços estão a recuperar da queda sofrida ontem, quando o Departamento de Energia revelou que as reservas de crude aumentaram em 2,81 milhões de barris. Os analistas consultados pela agência Bloomberg previam um declínio de 750 mil.

O aumento inesperado não se verificou apenas na matéria-prima. Os inventários de gasolina cresceram em 714 mil barris, quando as estimativas apontavam para uma descida de 400 mil.

Na próxima semana, os analistas também estão a contar com novas correcções nos preços, que deverão ser pressionados não só pelos níveis confortáveis de reservas, mas também pela maior injecção de combustível no mercado por parte da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo).
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 16/11/2007 18:20

Petróleo sobe mais de 2%
OPEP diz que perdeu o controlo sobre os preços da matéria-prima
O preço do barril de petróleo seguia em alta nos mercados internacionais, a valorizar mais de 2%, depois dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), cartel responsável por 40% do petróleo produzido no mundo, terem afirmado que perderam o controlo sobre os preços da matéria-prima.

--------------------------------------------------------------------------------

Paulo Moutinho
paulomoutinho@mediafin.pt



O preço do barril de petróleo seguia em alta nos mercados internacionais, a valorizar mais de 2%, depois dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), cartel responsável por 40% do petróleo produzido no mundo, terem afirmado que perderam o controlo sobre os preços da matéria-prima.

O West Texas Intermediate (WTI) [Cot], transaccionado em Nova Iorque, seguia a apreciar 2,01% para cotar nos 95,31 dólares por barril. Em Londres, mercado que serve de referência para as importações nacionais, o barril de "brent" [Cot] acompanhava a tendência e somava 1,5% para 91,58 dólares.

As cotações da matéria-prima estão de novo em alta, depois de terem recuado na sessão de ontem com o aumento inesperado das reservas de petróleo norte-americano, a reagir às declarações dos membros da OPEP.

"A OPEP não pode fazer nada quanto aos preços do petróleo", afirmou o ministro do petróleo da Venezuela, Rafael Ramirez, em Riade, na Arábia Saudita, onde os membros do cartel estão reunidos. Os preços da matéria-prima poderão atingir os 100 dólares "em breve", acrescentou o responsável.

O petróleo já esteve a transaccionar próximo desta marca psicológica. A 7 de Novembro, o preço do barril, negociado em Nova Iorque, atingiu o valor mais elevado de sempre, ao tocar nos 98,62 dólares, e chegou a atingir o valor recorde de 95,19 dólares no mercado londrino.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 16/11/2007 21:38

Petróleo encerra a recuperar das quedas recentes suportado pela desvalorização do dólar
Os preços do petróleo terminaram nesta sexta-feira a subir mais de 1 dólar o barril nos mercados internacionais, a recuperarem da forte queda registada na sessão anterior devido à subida inesperada das reservas petrolíferas norte-americanas, com o enfraquecimento da 'nota verde' a dar suporte e antes de expirar o contrato de Dezembro.

Tiago Figueiredo Silva

Deste modo, o contrato de Dezembro do West Texas Intermediate (petróleo de referência na América do Norte) terminou a ser negociado no NYMEX de Nova Iorque a ganhar 1,67 dólares para os 95,10 dólares, acompanhado pelo barril de Brent (petróleo de referência na Europa) para entrega em Dezembro encerrou a ser negociado no ICE de Londres a crescer 1,28 dólares para os 91,62 dólares.

O Departamento de Energia (DoE) norte-americano anunciou ontem uma subida inesperada das reservas de petróleo e de gasolina - relativas à semana passada - contra ao esperado pelos analistas, enquanto que os stocks de produtos destilados recuaram em linha com o previsto.

Segundo o Departamento, as reservas de crude aumentaram em 2,8 milhões de barris, em contra-ciclo com as previsões dos analistas que esperavam em média uma queda de 300 mil barris.

Recorde-se que o petróleo negociado em Nova Iorque aproximou-se da barreira dos 100 dólares na semana passada, ao tocar nos 98,62 dólares a 7 de Novembro, mas nunca chegou a atingir os três dígitos.

O dólar continuou hoje a desvalorizar-se face às restantes divisas, depois da Reserva Federal ter anunciado que a produção industrial nos Estados Unidos referente ao passado mês de Outubro registou a maior queda desde Janeiro
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 17/11/2007 10:54

Terceiro encontro de chefes-de-estado da OPEP começa hoje
A terceira reunião de líderes dos países que constituem a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) começou hoje em Riad, na Arábia Saudita, estando os peritos na expectativa de que os responsáveis presentes anunciem um aumento da produção, para fazer frente à alta do petróleo.

Susana Teodoro

Isto mesmo depois de os ministros de Energia do Qatar e da Argélia já terem garantido que a decisão sobre a um eventual aumento na produção de petróleo não iria ser tomada na reunião, que se prolonga até amanhã.

Segundo noticiou a agência AFP na semana passada, o ministro argelino Chakib Khelil, afirmou que "não deve ser adoptada nenhuma decisão", ressalvando que os chefes de estado presentes no encontro Arábia Saudita

Segundo noticiou a agência AFP na semana passada, o ministro argelino Chakib Khelil, afirmou que "não deve ser adoptada nenhuma decisão", ressalvando que os chefes de estado presentes no encontro "não vão discutir o mercado do petróleo" e sim uma "estratégia a longo prazo".

A reunião de Riad irá depois dar lugar à publicação de "uma grande declaração sobre como ajudar a estabilizar o mercado, como ajudar os países pobres, sobre a cooperação com os países consumidores, sobre as tecnologias para lutar contra a poluição", indica a mesma fonte.

O secretário norte-americano da Energia, Samuel Bodman, também pediu à Opep na semana que passou para aumentar a sua produção, uma vez que "há uma falta de vontade de abastecer o mercado. E isto contribui para a situação dos preços elevados do petróleo".
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Woodhare » 17/11/2007 18:30

Yep e por muito bom bom que seja ver as minhas açõezitas da galp a valorizar custa-me saber que os preços elevados estão a alimentar regimes totalitários como a Russia, fanáticos como o Irão, China e protototalitários como a Venezuela.
"There are three faithful friends - an old wife, an old dog, and ready money." - Benjamin Franklin
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 945
Registado: 16/6/2007 12:05
Localização: 24

Chávez: petróleo chegará a US$ 200

por TraderBoy » 17/11/2007 23:18

Chávez: petróleo chegará a US$ 200 se EUA atacarem Irã ou Venezuela
Presidente da Venezuela participa de reunião de cúpula da Opep.
No início do mês, barril de petróleo atingiu cotação recorde de US$ 98,62 em NY.
Do G1, com informações da AFP
entre em contato
ALTERA O
TAMANHO DA LETRA
A-
A+
Saiba mais
» Petróleo volta a fechar acima de US$ 95 em NY
» Estoques de petróleo nos EUA surpreendem e sobem
» Chávez quer que Opep financie petróleo a países pobres
O barril de petróleo chegará aos US$ 200 se os Estados Unidos atacarem o Irã ou agredirem novamente a Venezuela, advertiu neste sábado (17) o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, na abertura da Cúpula da Opep, em Riad.

A organização, que reúne alguns dos principais produtores de petróleo mundiais, iniciou neste sábado sua terceira reunião de cúpula em 47 anos de história. Participam do encontro os chefes de estado de 11 países, entre eles o presidente do Equador, Rafael Correa, mas sem os líderes da Líbia e da Indonésia.

Os preços do petróleo vêm registrando fortes altas nos últimos meses. No início do mês, o barril negociado em Nova York atingiu o valor recorde de US$ 98,62. A desvalorização do dólar, a chegada do inverno no hemisfério norte e principalmente as tensões geopolíticas em regiões produtoras, como o Irã e a Turquia, têm exercido forte influência sobre o preço do combustível.

Novo papel
A reunião deste final de semana estará voltada para repensar o papel da entidade, num momento em que o preço do barril se aproxima dos US$ 100. A OPEP foi criada em 1960 voltada para conter os preços do petróleo, mas já perdeu parte de seu poder de manobra.

Os representantes da Opep voltam a se encontrar num momento histórico, ante a ameaça de estremecimento nas relações entre Estados Unidos e Irã e o surgimento dos biocombustíveis como alternativa à energia fóssil.

Com a chegada do Equador, que se tornará o menor membro da Opep na conferência de Riad, o cartel voltará a contar com dois membros latino-americanos. Os outros são Angola, Argélia, Indonésia, Irã, Iraque, Kuwait, Líbia, Nigéria, Qatar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos.
 
Mensagens: 175
Registado: 1/5/2007 21:23

por Nyk » 19/11/2007 19:53

Expectativa de subida das reservas e produção da OPEP pressiona petróleo
O preço do petróleo segue em queda nos mercados internacionais, devido às previsões que apontam para uma nova subida das reservas de crude nos Estados Unidos. O mercado espera ainda que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) anuncie um aumento da produção no próximo mês de Dezembro.

--------------------------------------------------------------------------------

Ana Luísa Marques
anamarques@mediafin.pt




O preço do petróleo segue em queda nos mercados internacionais, devido às previsões que apontam para uma nova subida das reservas de crude nos Estados Unidos. O mercado espera ainda que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) anuncie um aumento da produção no próximo mês de Dezembro.

No mercado norte-americano, o preço do petróleo [Cot] recua 0,53% para os 93,34 dólares e o barril de "brent" [Cot], negociado em Londres, perde 0,32% para os 91,33 dólares.

De acordo com as previsões dos analistas contactados pela agência Bloomberg, as reservas de crude nos Estados Unidos poderá ter subido em um milhão de barris na semana terminada a 16 de Novembro. O valor dos "stocks" será conhecido na próxima quarta-feira, dia 21 de Novembro.

A influenciar o preço da matéria-prima, estão ainda as expectativas em relação à próxima reunião da OPEP, que terá lugar a 5 de Dezembro em Abu Dhabi. A organização esteve reunida este fim-de-semana, na Arábia Saudita, mas não foi tomada nenhuma decisão relativamente a aumentar, ou não, a produção.

As atenções estão agora viradas para a próxima reunião, altura em que o mercado espera que a organização anuncie um novo aumento da produção de petróleo. "A reunião deste fim-de-semana veio e foi sem novidades", disse Brad Samples, analista da Summit Energy Services, citado pela Bloomberg. "Se tivesse sido anunciado um aumento da produção, isso teria tido um grande impacto", acrescenta Samples.

Os membros da organização afirmaram que o mercado não tem falta de petróleo e que a recente escalada do preço do petróleo é explicada por factores especulativos e está fora do controlo do grupo. No entanto, Samples prevê que a OPEP vai decidir aumentar a produção em Dezembro. "(...) eles querem lucrar com os actuais preços", refere o analista.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por InvestidorGlobal » 19/11/2007 19:56

quando o petroleo estiver nos $60 ou $70 e o euro nos 1,30 face ao dollar, isto volta tudo a funcionar com normalidade.
Esperar na bolsa é uma grande Virtude.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 1020
Registado: 3/8/2006 20:39
Localização: Belas-Idanha

por Nyk » 19/11/2007 21:48

Enfraquecimento do dólar impulsiona preços do petróleo
Os preços do petróleo terminaram a subir ligeiramente nesta segunda-feira, afectados sobretudo pelo constante enfraquecimento da 'nota verde' face às restantes divisas internacionais, contrariando as quedas registadas ao longo do dia provocadas pela tomada de mais-valias por parte dos investidores antes do feriado da próxima quinta-feira.

Tiago Figueiredo Silva

Deste modo, o contrato de Janeiro do West Texas Intermediate (petróleo de referência na América do Norte) terminou a ser negociado no NYMEX de Nova Iorque a ganhar 82 cêntimos para os 94,66 dólares, acompanhado pelo barril de Brent (petróleo de referência na Europa) para entrega em Janeiro encerrou a ser negociado no ICE de Londres a crescer 91 cêntimos para os 92,53 dólares.

Para além disso, o preço do 'ouro negro' foi ainda impulsionado pela decisão tomada na cimeira da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) de não aumentar a produção, por considerar que a escalada da matéria-prima se deve especulação de mercado
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 20/11/2007 12:10

Petróleo em alta com mínimo recorde do dólar face ao euro


20/11/2007


O preço do barril de petróleo seguia em alta, pela terceira sessão consecutiva em Londres. A contribuir para a valorização da matéria-prima está o novo mínimo histórico do dólar face à moeda europeia, o que torna mais barato o investimento nesta "commodity", logo, aumentando a procura.

Em Londres, o mercado que serve de referência para as importações nacionais, o "brent" [co1] somava 0,7%, pela terceira sessão consecutiva, para 92,93 dólares. O West Texas Intermediate (WTI) [cl1], negociado no mercado norte-americano, ganhava 0,5% e seguia a cotar nos 95,11 dólares.

A contribuir para a nova sessão de ganhos do petróleo está a forte valorização do euro contra a divisa norte-americana. A moeda europeia fixou hoje um novo recorde ao cotar nos 1,4784 dólares, acumulando já um valorização de mais de 11% este ano, face ao dólar.

A queda do dólar, torna as "commodities", incluindo o petróleo, denominadas na moeda norte-americanas, mais barata para os investidores estrangeiros, ou seja, que utilizam outras divisas, nomeadamente o euro. Este facto vem aumentar a procura pela matéria-prima, acabando por impulsionar as cotações.

Um dado importante para a tendência dos preços do petróleo é a divulgação do nível das reservas de crude dos EUA, números que serão dados a conhecer pelo Departamento de Energia norte-americano, durante a tarde de amanhã.

As previsões dos analistas consultados pela Bloomberg aponta para um aumento nos "stocks", pela segunda semana consecutiva. Actualmente, os inventários de petróleo dos EUA estão 1,7% acima da média para a época.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 20/11/2007 19:37

“Brent” atinge novo máximo histórico nos 95,23 dólares
O preço do barril de petróleo em Londres subiu mais de 3% para um novo máximo histórico nos 95,23 dólares. A contribuir para a valorização da matéria-prima está o facto do dólar ter tocado no valor mais baixo de sempre face à moeda europeia, o que torna mais barato o investimento nesta "commodity", logo, aumentando a procura.

--------------------------------------------------------------------------------

Ana Luísa Marques
anamarques@mediafin.pt


Ana Filipa Rego
arego@mediafin.pt




O preço do barril de petróleo em Londres subiu mais de 3% para um novo máximo histórico nos 95,23 dólares. A contribuir para a valorização da matéria-prima está o facto do dólar ter tocado no valor mais baixo de sempre face à moeda europeia, o que torna mais barato o investimento nesta "commodity", logo, aumentando a procura.

Em Londres, o mercado que serve de referência para as importações nacionais, o "brent" [Cot] somava 2,82% para os 94,88 dólares, depois de ter subido até 3,20% para os 95,23 dólares, novo máximo de sempre. O crude [Cot] aprecia 2,63% para os 97,13 dólares.

A contribuir para a nova sessão de ganhos do petróleo está a forte valorização do euro contra a divisa norte-americana. A moeda única europeia valorizou contra a divisa norte-americana e superou, pela primeira vez na história, os 1,48 dólares. O euro beneficiou da especulação em torno de uma nova quebra de vendas de casas nos EUA, o que acabou por não acontecer.

A queda do dólar, torna as "commodities", incluindo o petróleo, denominadas na moeda norte-americanas, mais barata para os investidores estrangeiros, ou seja, que utilizam outras divisas, nomeadamente o euro. Este facto vem aumentar a procura pela matéria-prima, acabando por impulsionar as cotações.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 20/11/2007 22:02

Petróleo retoma o impulso para os 100 dólares
No encerramento da sessão de hoje, o preço do crude nos mercados de Londres e de Nova Iorque alcançou um novo máximo histórico, provocado pela desvalorização do dólar face à moeda única europeia e pelas declarações da Reserva Federal (Fed) norte-americana, que prevê um abrandamento do crescimento económico para o próximo ano.

Susana Teodoro

Assim, o contrato de Janeiro do West Texas Intermediate (petróleo de referência na América do Norte) fechou no NYMEX de Nova Iorque a ganhar 3,39 dólares para os 98,03 dólares, depois de ter tocado nos 98,30 dólares, o valor mais elevado de sempre. A acompanhar está pelo barril de Brent (petróleo de referência na Europa) para entrega em Janeiro que segue a ser negociado no ICE de Londres a crescer 2,88 dólares para os 95,27 dólares.

A instituição presidida por Ben Bernanke estima um abrandamento do crescimento económico em 2008, mantendo a taxa de desemprego o mesmo ritmo, devido à crise imobiliária e às cada vez mais restritas condições de crédito.

As declarações da Fed renovaram as esperanças dos investidores de que a principal entidade económica dos EUA volte a reduzir os juros na próxima reunião agendada para 4 de Dezembro.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 21/11/2007 18:47

Petróleo volta a aproximar-se dos 100 dólares com queda das reservas
O preço do barril de petróleo inverteu a tendência e seguia a valorizar nos mercados internacionais, com os investidores a reagirem à queda inesperada dos inventários norte-americanos da matéria-prima. Os “stocks” de petróleo dos EUA caíram em 1,07 milhões de barris.

--------------------------------------------------------------------------------

Paulo Moutinho
paulomoutinho@mediafin.pt



O preço do barril de petróleo inverteu a tendência e seguia a valorizar nos mercados internacionais, com os investidores a reagirem à queda inesperada dos inventários norte-americanos da matéria-prima. Os "stocks" de petróleo dos EUA caíram em 1,07 milhões de barris.

O West Texas Intermediate (WTI) [Cot], transaccionado em Nova Iorque, avançava 0,3% para 98,31 dólares, enquanto em Londres, o "brent" [Cot], que serve de referência para as importações nacionais acompanhava a tendência e valorizava 0,4% para cotar nos 95,87 dólares.

Para a nova subida das cotações está a contribuir a divulgação do nível das reservas petrolíferas dos EUA, o maior consumidor mundial da matéria-prima. O Departamento de Energia norte-americano revelou, esta tarde, uma quebra de 1,07 milhões de barris de petróleo.

Esta descida compara com o aumento de 750 mil barris estimado pelos analistas consultados pela Bloomberg, o que acabou por impulsionar, novamente, os preços da matéria-prima, com os investidores a recearem uma escassez na oferta da matéria-prima.

Antes da divulgação, os preços tinham recuado, na perspectiva de um aumento dos "stocks". Durante a parte inicial da sessão, a matéria-prima atingiu novos recordes, com o WTI, para entrega em Janeiro, a tocar nos 99,29 dólares e o "brent", do Mar do Norte, a fixar a marca histórica nos 96,53 dólares.

O petróleo aproximou-se, assim, dos 100 dólares. O novo recorde do WTI está a escassos 71 cêntimos da barreira psicológica. À cotação actual, o barril de petróleo, negociado nos EUA, está a 1,7% da centena de dólares.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 21/11/2007 18:49

Petróleo atingirá os 200 dólares se EUA atacarem Irão
O petróleo aproxima-se cada vez mais da barreira dos 100 dólares o barril numa escalada que já provocou a revisão das previsões económicas por parte de vários países. No entanto, este não será o pior cenário possível de acordo com um dos 'gurus' do sector energético mundial: o ex-ministro do petróleo da Arábia Saudita e antigo presidente da OPEP. Ahmed Zaki Yamani prevê que o preço do 'ouro negro' atinja os 200 dólares caso os Estados Unidos decidam atacar o Irão.

Tiago Figueiredo Silva


A advertência chega de quem em 2003, vésperas da guerra do Iraque, se atreveu a afirma que o crude alcançaria os 100 dólares o barril, augúrio que não foi levado a sério até que o mercado o tomasse como verdadeiro.


"O barril nos 200 dólares será um panorama terrível para todos", sublinhou o também fundador e presidente do Centro de Estudos da Energia Global de Londres, uma das grandes autoridades mundiais em matéria de energia, citado pelo 'ElMundo'.


A projecção de Yamani coincide com as advertências catastróficas prognosticadas pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, aquando da passada reunião da OPEP em Riade, altura em que afirmou que o valor do petróleo poderia disparar para os 200 dólares o barril caso os EUA invadissem o Irão.


Caso o vaticínio se torne realidade, surgiria uma espiral de desaceleração que, na sua opinião "derrubaria" em primeiro lugar a China e a Índia, e por extensão, os Estados Unidos e a Europa.


Os países em desenvolvimento seriam os mais afectados, uma vez que "morreriam" de acordo com as palavras de Yamani.


Petróleo nos 75 dólares


Caso os EUA e o Irão não agudizem o conflito, Yamani estima que o preço do petróleo possa recuar para os 75 dólares o barril na Primavera de 2008, contando com um Inverno suave, que a OPEP suba - tal como se espera - as exportações na 145ª reunião ministeral agendada para o próximo dia 5 de Dezembro, e que a economia norte-americana não entre em recessão.


Yamani, que entre 1962 e 1986 foi ministro da energia da Arábia Saudita e converteu-se num dos impulsionadores da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), participou numa conferência organizada pelo Real Instituto Elcano, na Fundação Lázaro Galdiano, para debater o passado, o presente e o futuro do cartel.


Neste sentido, destacou o facto de que no seio da OPEP existam diversas posturas "económicas e políticas" e indicou que o barril nos 50 dólares seria actualmente um preço adequado tanto para os consumidores como para os produtores.


Actualmente, os receios com a distribuição perante a chegada do Inverno, as habituais tensões geopolíticas e a valorização do euro são os factores da recente escalada do 'ouro negro'.


Recorde-se que o barril negociado em Nova Iorque, chegou a cotar hoje nos 99,29 dólares, aproximando-se da barreira dos 100 dólares, enquanto que o Brent - de referência na Europa - atingiu igualmente um novo recorde nos 96,53 dólares.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por kpt » 21/11/2007 19:09

Há muito se sabe que isto não passa de pura especulação e com a crise do dólar a ajudar à festa! O preço não tem subido por haver excesso de procura, o preço tem subido por haver excesso de liquidez e parvoeira de muitos investidores a aproveitarem-se de qualquer fragilidade internacional, o mercado está claramente irracional e doido por ver o número mágico. A única razão para subir é realmente a desvalorização do dólar, mas até nisto os investidores estão a sobrevalorizar o crude. Desde o inicio do ano que o crude subiu 100%, já o dolar desvalorizou cerca de 15%, ou nem isso em relação ao EURO. Dá para ver a disparidade de valores certo? A conversa que a oferta anda apertada não me convence de forma a que valores destes sejam atingidos. A margem entre a oferta e a procura pode estar muito curta mas nada justifica uma escalada destas. Não tivemos nenhuma guerra, o Iraque e os curdos não passa de palavras e os EUA atacarem o Irão, calma lá, cenário altamente improvável.

Ou muito me engano ou esta especulação desmesurada vai dar numa queda brutal do crude caso ele toque nos 100$. Não vai haver compradores com perspectivas que aquilo suba ainda mais(caso as actuais condições internacionais se mantenham) e quem comprar a 100$ vai ver-se aflito.
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 1131
Registado: 11/5/2007 23:19
Localização: Lx

por Nyk » 22/11/2007 19:47

Petróleo recua com sinais de abrandamento da procura nos EUA
O preço do barril de petróleo inverteu a tendência e seguia a desvalorizar, nos mercados internacionais, com os investidores a especularem sobre uma possível quebra na procura pela matéria-prima, dadas as perspectivas de abrandamento do ritmo de crescimento da economia dos EUA.

--------------------------------------------------------------------------------

Paulo Moutinho
paulomoutinho@mediafin.pt



O preço do barril de petróleo inverteu a tendência e seguia a desvalorizar, nos mercados internacionais, com os investidores a especularem sobre uma possível quebra na procura pela matéria-prima, dadas as perspectivas de abrandamento do ritmo de crescimento da economia dos EUA.

O barril de "brent", transaccionado no mercado londrino, que serve de referência para as importações nacionais, seguia a desvalorizar 0,26% para os 94,59 dólares. Em Nova Iorque, devido ao feriado do Dia de Acção de Graças, apenas há negociação electrónica. O WTI [Cot] seguia a recuar 0,89% para 96,42 dólares.

As cotações inverteram, com os investidores a acreditarem que a procura pela matéria-prima dos EUA, o maior consumidor mundial de petróleo, poderá diminuir, dadas as perspectivas de abrandamento do ritmo de crescimento da economia do país, a maior do mundo.

Esta é a segunda sessão de queda das cotações do petróleo. Ontem, os preços fecharam em baixa, depois de durante a parte inicial da sessão terem atingido novos valores recorde. O WTI chegou a tocar nos 99,29 dólares e o "brent" a atingir a marca dos 96,53 dólares.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Nyk » 23/11/2007 20:52

Petróleo encerra acima dos 98 dólares o barril em Nova Iorque
O preço do crude negociado no mercado nova-iorquino terminou nesta sexta-feira acima da barreira dos 98 dólares e atingindo um novo recorde de fecho, animado pela compras efectuadas pelos investidores antes do fim-de-semana, numa sessão de fraco volume, e depois da moeda única ter tocado num novo máximo histórico face à 'nota verde'.

Tiago Figueiredo Silva

Deste modo, o contrato de Janeiro do West Texas Intermediate (petróleo de referência na América do Norte) encerrou a ser negociado no NYMEX de Nova Iorque a ganhar 89 cêntimos para os 98,18 dólares, um novo recorde de fecho, sendo que o valor mais elevado de sempre está nos 99,29 dólares.

Já o barril de Brent (petróleo de referência na Europa) para entrega em Janeiro terminou a ser negociado no ICE de Londres a subir 1,4 dólares para os 95,76 dólares, com o recorde a situar-se nos 96,53 dólares.

A nova escalada dos preços do 'ouro negro' está a ser impulsionada pela forte valorização do euro face à 'nota verde', depois da moeda única europeia ter hoje atingido um novo recorde nos 1,4966 dólares.
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por RJCP » 23/11/2007 21:09

O engraçado é que a subida dos preços apenas começou depois da hora de almoço, com a abertura dos mercados americanos.

Esta manhã a tendencia era de queda, devido a noticias de aumento de produção por parte da Arabia Saudita e se não me engano Iraque. De tarde esqueceram isto, na proxima semana vamos ver se os 100 dolares são atingidos, se a divulgação dos inventarios na quarta não for boa...

Segundo o bloomberg...

_____________
By Mark Shenk

Nov. 23 (Bloomberg) -- Crude oil futures rose in New York, reaching a record closing price above $98 a barrel, on concern fuel stockpiles will drop as the heating season gets under way

Futures have surged 21 percent in the past two months as the dollar fell and U.S. inventories declined. Supplies of crude oil and distillate fuel, a category that includes heating oil and diesel, fell last week, according to an Energy Department report on Nov. 21. Transactions were lighter than usual today as some traders took a long Thanksgiving holiday weekend.
 
Mensagens: 66
Registado: 30/10/2007 18:04

por pata-hari » 23/11/2007 21:27

nyk, mais uma vez, parabéns pelas fantásticas compilações de noticias que tens vindo a fazer. São insubstituiveis.

Outra questão, sabiam que já existe um etf que permite shortar petroleo? sempre é um substituto aos futuros.
Avatar do Utilizador
Administrador Fórum
 
Mensagens: 20006
Registado: 25/10/2002 17:02
Localização: Jogo de Bolsa

por Nyk » 23/11/2007 21:51

Pata-Hari Escreveu:nyk, mais uma vez, parabéns pelas fantásticas compilações de noticias que tens vindo a fazer. São insubstituiveis..


Obrigado,pelo reconhecimento. :wink:
"A incerteza dos acontecimentos,é sempre mais difícil de suportar do que o próprio acontecimento" Jean-Baptista Massilion.
"Só sabemos com exactidão quando sabemos pouco; à medida que vamos adquirindo conhecimentos, instala-se a dúvida"Johann Goethe
Avatar do Utilizador
 
Mensagens: 12031
Registado: 2/9/2005 12:45
Localização: Algures, Perdido Neste Mundo.

por Dodi » 24/11/2007 17:14

Pata,

Qual é o EFT?

Obrigado.
 
Mensagens: 5
Registado: 4/9/2007 10:22
Localização: Portugal

Próximo

Quem está ligado:
Utilizadores a ver este Fórum: Google [Bot], maceirafernandesjose, sobeoudesce, Stains e 25 visitantes